Aracaju, 19 de setembro de 2021

PLS DE MARIA DO CARMO É DEBATIDO NA COMISSÃO AGRICULTURA

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Projeto de Lei 675/2015, de autoria da senadora licenciada Maria do Carmo Alves (DEM), que estabelece a Política Nacional de Combate ao Desperdício de Alimentos, será debatido nesta quinta-feira (19), em audiência pública na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA), do Senado Federal.

O objetivo da propositura, explicou Maria, é aumentar o aproveitamento dos gêneros alimentícios disponíveis para consumo humano em território nacional, mitigar o desperdício alimentar e ampliar o uso dos alimentos impróprios para o consumo humano em atividades de reciclagem e de alimentação de animais.

A proposta da parlamentar, que sempre pautou os seus mandatos com foco nos mais carentes, prevê campanhas que visam conscientizar a população e concede incentivos para fabricantes de equipamentos de processamento de alimentos que reduzam perdas.

“A nossa proposta trata do estímulo à redução do desperdício de alimentos, pois compreendemos que essa uma questão urgente, considerando o número expressivo de pessoas que enfrentam o problema da falta de comida diariamente”, explicou Maria, ressaltando que na sua atuação sempre esteve e estará ao lado dos mais necessitados.

Participantes – Por sugestão da presidente da comissão, senadora Ana Amélia (PP-RS), serão convidados a falar aos senadores representantes de bancos de alimentos do Rio Grande do Sul e de São Paulo, além de representante do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, entre outros convidados.

Os bancos de alimentos são iniciativas mantidas por entidades empresariais, como federações de indústrias, ou órgãos públicos – como as centrais de abastecimento (Ceasas) – para recolher alimentos saudáveis que seriam descartados e os doarem a entidades beneficentes ou a pessoas carentes.

Fome- Dados da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) revelam que e cada três quilos de alimentos produzidos no mundo, pelo menos um é jogado fora. Vai para o lixo todos os anos 1,3 bilhão de toneladas de comida que poderia ajudar a alimentar 795 milhões de pessoas que passam fome.

Os números também mostram que, além do drama social, o desperdício impõe à sociedade moderna um alto custo ambiental e econômico. A produção da comida descartada consome 250 quilômetros cúbicos de água e ocupa 1,4 bilhão de hectares, quase um terço de toda a terra cultivada do planeta.

O desperdício joga anualmente na atmosfera 3,3 bilhões de toneladas de gases de efeito estufa, terceiro maior volume de emissões que provocam o aquecimento global, atrás apenas das emissões dos Estados Unidos e da China.

Os custos de tanto desperdício superam os US$ 750 bilhões a cada ano, estima a FAO. Inutilizar tamanho volume de investimentos e de recursos naturais é um contrassenso frente ao desafio mundial de alimentar uma população que deverá passar de 8 bilhões de habitantes nos próximos 15 anos.

(Assessoria Parlamentar, com informações da Agência Senado)

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Mulher é presa em flagrante pelo Denarc com centenas de munições, fuzil e drogas
Prefeitura realiza quarta edição especial do Programa Praia Limpa
Semana Acessibilidade terá roda de conversa e entrega Troféu
Bricelets: herança das freiras que viveram em clausura no convento