Aracaju, 1 de agosto de 2021

CSCP REÚNE PEQUENOS E GRANDE PRODUTORES DE PESCADO EM SERGIPE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

O Governo do Estado de Sergipe criou nesta quarta-feira, 18 de maio, a Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Pesca Extrativista e Aquicultura, formada por pequenos e grandes produtores. A Câmara funcionará no âmbito do Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural coordenado pela Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri). O ato foi realizado no auditório da Adema e contou com palestras e debate sobre “A Pesca Extrativista”, pelo empresário Humberto Almeida e a “Produção de Camarão em Cativeiro”, pelo biólogo Péricles Guimarães.

Segundo dados da Seagri e dos palestrantes, essa é uma cadeia produtiva favorecida pela característica geográfica estadual com 13 municípios litorâneas e mais oito inseridos diretamente nas cinco bacias sergipanas, que tem importância significativa para a economia do Estado, pois mantém cerca de 3.500 empregos diretos e 8.000 indiretos, somados os setores extrativistas e criadores de pescado.

A resolução que cria a Câmara Setorial da Pesca, assinada pelo secretário da Agricultura, Esmeraldo Leal, traz como objetivo “propor, orientar e discutir políticas, estratégias e diretrizes relativas à produção, comercialização e industrialização de produtos da pesca artesanal e aquicultura, visando a competitividade e fortalecimento da cadeia produtiva, estabelecendo benefícios para pescadores produtores e população consumidora”.

Esmeraldo disse que “a Câmara já nasce forte porque tem o apoio, a sensibilidade e o acompanhamento do governador Jackson Barreto, e também porque é criado por uma provocação e participação dos próprios pescadores e produtores que, inclusive, ajudaram diretamente na formatação e estruturação da Câmara aqui na secretaria”.

Pesca Extrativista

Durante o evento, o representante da Associação Sergipana dos Armadores de Pesca Artesanal (Aseapa) e empresário, Humberto Luiz Eng de Almeida, falou da pesca extrativista em Sergipe. “Vivemos um momento feliz com a criação da Câmara da Pesca que coincide com a construção do Terminal Pesqueiro de Aracaju pelo Governo Estadual em parceria do Governo Federal. Na verdade, a pesca extrativista em Sergipe terá duas histórias: uma antes, outra depois do Terminal Pesqueiro, pela capacidade que promoverá na melhoria na logística de pesca, desembarque, beneficiamento e comercialização do pescado”, diz Humberto.

Ele explicou que a Associação é representativa do ramo pesqueiro voltada para a pesca artesanal em mar aberto. Conta hoje com 40 associados e dispões de uma frota de 70 barcos pesqueiros com capacidade de 2 toneladas por barco. A atividade envolve cerca de 500 pessoas trabalhando, dentre elas pescadores, marisqueiras que limpam e processam o camarão e o peixe, carregadores, ajudantes, geleiros e pesagem.

Camarão em Cativeiro

“A produção de camarão em cativeiro é muito significativa em Sergipe”, disse o biólogo e empresário Péricles Guimarães. Ele demonstrou que 90% da aquicultura no estado, em especial do cultivo de camarão, advém de pequenos agricultores que operam com mão de obra familiar.

Segundo a Associação dos Criadores de Camarão do Estado de Sergipe, existem atualmente 700 fazendas de camarão, produzindo 3.600 toneladas por ano, gerando 3 mil empregos diretos.

Péricles explicou que não falta mercado para o camarão. “Grande parte da produção do Nordeste vai para a exportação, mas o cultivo em Sergipe tem atendido ao mercado interno que é bastante favorável”, pontuou.

Desafios

O encontro também contou com o momento de debate e participação de vários produtores, secretários municipais de agricultura e representantes de associações de pescadores. O desafio mais explorado entre eles foi o entrave ambiental, pela falta de orientação ou por rigor na legislação em vigência.

O secretário Esmeraldo Leal destacou como encaminhamentos que a Câmara promova mais dois momentos: um para debater questões especificas dos produtores de camarão em Pacatuba, lá mesmo no município, outro em Aracaju com todos os setores estaduais e federais que cuidam da legislação ambiental para aprofundar debate com os produtores.

Integram a Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Pesca Extrativista e Aquicultura: Secretaria de Estado da Agricultura Desenvolvimento Agrário e da Pesca (coordenação), Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama), Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema), Superintendência Federal de Agricultura Pecuária e Abastecimento, Associação Sergipana de Armadores de Pesca Artesanal, Associação de Criadores de Camarão do Estado de Sergipe e Federação dos Pescadores do Estado de Sergipe.

Por: Ednilson Barbosa Santos

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Belivaldo assina Ordem de Serviço da  etapa 2ª do Canal Remanso
Quinto dia de greve conta com caminhada e apitaço em Maruim
Belivaldo elogia trabalho de André e diz que Edvaldo foi feliz na parceria 
Motoristas de carro fumacê são capacitados pela Funesa