Aracaju, 1 de agosto de 2021

Temos que priorizar as nossas urgências”, diz Jackson Barreto (Foto Nena Canuto)

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Em Maceió, governadores nordestinos discutiram crise econômica, partilha fiscal e previdência

O governador Jackson Barreto participou, na tarde desta quinta-feira, 19, em Maceió, do Encontro de Governadores do Nordeste. Os gestores debateram demandas da região junto à União, como a dívida pública dos Estados e a continuidade de programas federais importantes para a promoção do desenvolvimento nordestino.

Foi discutido também a partilha fiscal, a criação de um novo regime especial de precatórios, o acesso aos recursos disponíveis pelo BID/BNB e questões relacionadas à saúde e à segurança pública.

Jackson Barreto foi pragmático em relação às dificuldades financeiras dos estados. Disse que é preciso se ater a questões objetivas nessas reuniões para não se dispersar em diversos temas, que não possuem a urgência que o momento coloca pela falta de recursos que estão sufocando os estados e municípios.

O governador pediu também que fosse incluída a reforma da previdência na pauta da reunião, pois esse é um grande gargalo de quase todos os estados. “O problema de todos nós é falta de dinheiro para fazer frente às despesas com servidores, fornecedores e os investimentos que o povo necessita. Temos que priorizar as nossas urgências. Uns estados já estão quebrados, outros estão quebrando. É preciso canalizar os esforços dos governadores para buscar o apoio do Governo Federal a fim de resolver esses problemas”, enfatizou, dizendo que existem outros problemas nos estados, mas é preciso ter claras as prioridades.

Anfitrião, o governador de Alagoas, Renan Filho, ao abrir a reunião disse que o objetivo principal é enfrentar a crise.  “Precisamos unificar a nossa pauta, encontrar convergências, definir um caminho para que juntos nós apresentemos um conjunto de ideias para abreviar a crise brasileira. Precisamos voltar os investimentos, retomar o crescimento do Brasil. Somente assim, voltaremos a viver um momento em que o povo brasileiro entenderá como o caminho correto”, frisou.

Chefe do Executivo da Bahia, Rui Costa disse que essas reuniões de governadores do Nordeste têm sido algo importante para o contexto político da região “Se nós não tivermos um processo de repactuação nacional, de construção de legitimidade política e de uma nova governança, nós não vamos superar a crise” afirmou Costa.

Já o governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria, abordou o crescimento da violência nos estados. “Estamos perdendo a guerra contra a violência. Precisamos de um plano nacional de segurança pública. Algumas questões que fragilizam a segurança são relacionadas à falta de vagas nas penitenciárias, principalmente do semiaberto. Temos que lutar para receber recursos do fundo penitenciário”, sugeriu.

No final da reunião, os governadores divulgaram a “Carta de Maceió” com pontos discutidos na reunião.

Fonte: ASN

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Policiais do Tático prendem suspeito de tráfico no Santa Maria
Boletim do coronavírus em Aracaju: 198 casos e nenhum óbito
Nenhuma aposta acertou as seis dezenas do concurso 2.395 da Mega
Prefeitos e lideranças aprovam “união” de André Moura e Fábio Mitidieri