Aracaju, 18 de outubro de 2021

LULA EDITOU MP QUE BENEFICIOU FORNECEDORAS DA PETROBRAS EM 2009

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Em 2009, o ex-presidente Lula editou uma medida provisória que beneficiou fornecedoras da Petrobras. O pedido foi feito por Augusto Mendonça, ex-executivo da Toyo Setal, que admitiu aos investigadores da Operação Lava Jato pagamentos de propina ao PT em troca de contratos na petroleira. Em 2008, Mendonça enviou um e-mail a um servidor da Casa Civil em que pede alterações em texto que tratava de um fundo de garantia para o setor da construção civil. As informações foram divulgadas pela Folha na manhã deste domingo (29).

De acordo com a publicação, o ex-executivo pediu que o benefício fosse estendido às plataformas de perfuração (navios-sonda) e produção da Petrobras. Em maio do ano seguinte (2009), Lula editou uma medida que alterava a lei aprovada, e incluiu o pedido de Mendonça.

O e-mail foi enviado ao servidor da Casa Civil Maurício Carvalho, que encaminhou o teor à então secretária-executiva da pasta, Erenice Guerra. Foi no computador dela que a força tarefa da Lava Jato encontrou o conteúdo, em 2010. Mas à época, ainda não era conhecida a participação de Maurício no esquema de corrupção na estatal. Erenice pediu, então, para que Giles Azevedo tomasse conta do pedido. Ele era chefe de gabinete de Dilma Rousseff, a então ministra da Casa Civil.

Na mensagem, Maurício argumenta que o adiamento da votação, no Congresso, da medida provisória sobre o fundo de garantia para a construção naval “nos dá um novo fôlego para tentarmos incluir a emenda” sobre a extensão para os navios sonda da Petrobras. “Peço encarecidamente que a ministra Dilma seja avisada dessa notícia e que também seja informada que o Ministério da Fazenda se posicionou contra a emenda, mas deseja incluir os navios-sonda na MP”.

O Instituto Lula informou que o ex-presidente não iria comentar. Lula já negou em depoimentos ter conhecimento da corrupção na Petrobras. Erenice Guerra informou que não conhece Augusto Mendonça e que não estava encarregada do tema, e disse que encaminhou o pleito para Giles Azevedo porque era função dele levar à então ministra Dilma Rousseff assuntos da Casa Civil.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Aziz adia para quarta-feira a leitura do relatório da CPI
Trabalhadores nascidos em outubro podem sacar auxílio emergencial
Corpo do delegado Marcelo Hercos Lyrio será cremado em Alagoinhas (BA)
Governo entrega mais de 11t de alimentos do PAA Estadual para entidades