Aracaju, 22 de outubro de 2021

INDICAÇÃO VISA CAPACITAR PORTADORES DE NECESSIDADES

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Por meio de Indicação endereçada ao Executivo estadual, a deputada Maria Mendonça (PP) propôs que o Governo do Estado envide esforços no sentido de implementar a capacitação profissional de portadores de necessidades especiais, qualificando-o a exercer uma profissão de carreira. “Há essa necessidade, dada a dificuldade que essas pessoas enfrentam para serem inseridas no mercado de trabalho”, justificou Maria.

De acordo com a deputada, em Sergipe, existem cerca de 519 mil pessoas com deficiência, conforme atestou o Censo de 2012, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O número representa 25,09% da população sergipana. “Infelizmente, o processo de exclusão sempre inabilitou os portadores de deficiência, marginalizando-os e privando-os de liberdade, sendo sempre alvos de atitudes preconceituosas e ações impiedosas”, afirmou Maria.

Apesar de ações isoladas de educadores e pais já resultarem em medidas inclusivas em escolas, por exemplo, Maria Mendonça ressaltou que os problemas de inclusão ainda acontecem em diversos setores da sociedade.  No entender da deputada, essas ações visam o respeito e a dignidade, possibilitando o pleno desenvolvimento e o acesso a todos os recursos disponíveis.

“Infelizmente, no âmbito das instâncias de poder, vemos decretos, leis e tantas proposituras com siglas sonoras, mas que na maioria das vezes, não saem do papel”, disse Maria, observando que programas similares são lançados em duas ou três pastas sem que haja integração de objetivos e metas entre eles.

Segundo Maria, muitos portadores de necessidades têm interesse em trabalhar, mas têm o entrave da falta de capacitação profissional, fato que gera restrição e o torna economicamente inativo, comprometendo a sua dignidade e autoestima.

Fonte assessoria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Morre no Hospital São Lucas, o médico Jean Santana, após infarto em academia de Lagarto
Caso Lorrany: homem de 42 anos matou, escondeu o corpo e “ajudou” a família procurar a criança que estava desaparecida
Movimento Polícia Unida só discute outra pauta depois da aprovação da Periculosidade
Relatório final da Comissão da Verdade é apresentado na Assembleia Legislativa