Aracaju, 5 de dezembro de 2021

AGRESE divulga nova regulação da distribuição do gás (Foto: Ilustração)

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

A Agência Reguladora de Serviços Públicos de Sergipe (Agrese) publicou, na Edição de 15 de setembro de 2016, do Diário Oficial do Estado de Sergipe, o regulamento da distribuição do gás natural canalizado, estabelecendo o novo marco regulatório no Estado.

O objetivo com a publicação é adequar a legislação do Estado de Sergipe às novas alterações introduzidas pela lei do gás e, consequentemente, contribuir para o desenvolvimento do mercado de gás no Estado.

A elaboração desse novo regulamento foi fruto de um longo debate com todos os segmentos envolvidos neste setor, seja a empresa concessionária, sejam os grandes consumidores industriais de gás canalizado e os outros segmentos (comercial veicular e residencial). Reuniões realizadas entre a Agrese, as empresas e as diversas entidades de classe culminaram com a realização de uma audiência pública em março de 2016. Após esse evento, a Agrese recebeu sugestões e colaborações dos participantes, as quais foram analisadas e terminaram fazendo parte do regulamento.

“Sua grande importância é estabelecer as condições entre a relação da concessionária com todos os seus consumidores e de outros futuros consumidores e fornecedores. A Petrobrás tem anunciado em seu processo de reestruturação que deverá se desfazer das atividades de transporte e comercialização de gás natural e até de sua participação acionária nas distribuidoras de gás canalizado estaduais. É possível que passem a existir, daqui para frente, outras empresas que atuem na área de gás”, ressalta Sérgio Ferrari, diretor técnico da Agrese.

Para Ferrari, a nova norma possui alguns pontos que merecem ser destacados. Segundo ele, “Em 2009, foi editada a Lei 11.909, conhecida como Lei do Gás, que é uma lei federal que mudou uma série de conceitos que existiam na indústria de gás e que não estavam previstos nos regulamentos vigentes. Ela criou três conceituações diferentes: autoprodutor; autoimportador e consumidor livre, que não existiam na lei anterior. São novos agentes da indústria de gás que poderão importar, produzir ou consumir gás, diretamente sem a interveniência da Petrobrás. Portanto esse regulamento incorpora essas novas definições que estavam previstas na lei do gás”.

Ainda de acordo com o diretor técnico, outro ponto que merece destaque é a figura “TMOV”, que é a tarifa de movimentação. “Essa tarifa será paga à concessionaria, no caso de alguém usar o seu gasoduto para transportar gás. Essas questões não existiam no regulamento anterior”, finaliza Sérgio Ferrari.

Já para o presidente da Agrese, Mendonça Prado, o novo regulamento do gás mostra a importância da atuação da Agrese. “Esse é apenas o primeiro regulamento feito por nós. Ainda temos áreas como a de saneamento básico – água e esgoto –, transporte intermunicipal de passageiro, energia elétrica, dentre outros, para que possamos atuar. Estamos trabalhando na organização da Agência e na sua efetiva ação no campo da regulação dos diversos serviços concedidos pelo Estado de Sergipe. Em muito breve, disponibilizaremos o nosso site para que os usuários desses serviços possam ser orientados e informados acerca das ações da Agência Reguladora”, destaca Mendonça.

Por ASCOM AGRESE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Alessandro protocola novo pedido para instalação de CPI sobre Orçamento Secreto
Valadares Filho reeleito presidente estadual do PSB e Rogério exalta aliança em construção com o PT para um projeto forte
Natal Iluminado: programação contempla música e oficinas neste sábado. São mais de 4,5 mi de pontos de luz enfeitando
ABIH-SE promoverá 2ª edição do road show Viva Aracaju