Aracaju, 6 de dezembro de 2021

ANVISA APROVA REGRAS PARA REGISTRO REMÉDIO A BASE DE MACONHA

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) incluiu nesta terça-feira (22) os derivados da Cannabis sativa, a maconha, na lista de substâncias psicotrópicas, vendidas no Brasil com receita do tipo A, específica para entorpecentes. A norma permite que empresas registrem no país produtos com canabidiol e tetrahidrocannabinol como princípio ativo, passo necessário para venda de remédios.

A medida faz parte da atualização da Portaria nº 344/98, que também estabelece que laboratórios registrem os derivados em concentração de, no máximo, 30 mg de tetrahidrocannabinol (THC) por mililitro e 30 mg de canabidiol por mililitro. Os produtos que tiverem concentração maior do que a estabelecida continuam proibidos no país.

Segundo nota da agência reguladora, a medida foi motivada pela fase final do processo de registro do medicamento Mevatyl®. O produto que, em alguns países da Europa, tem o nome comercial de Sativex, pode vir a ser o primeiro obtido da Canabis sativa registrado no país. O medicamento será indicado para o tratamento de sintomas de pacientes adultos com esclerose múltipla.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Polícia combate roubos de produtores agrícolas em Canindé
PMA abre inscrições de 900 vagas em oficinas online da Fundat
Horários de vacinação contra a Covid em drive-thru e unidades de saúde são alterados
Câmara de Canindé aprova Título de Cidadão para Sales Neto