30/11/16 - 10:18:37

Projeto de justiça e comunicação para comunidades afro-religiosas (Foto ascom)

O projeto de realização da Sociedade Omolàiyé em parceria com o Fundo Brasil de Direitos Humanos, visa prestar assessoria jurídica e de comunicação

No próximo dia 1º de dezembro, às 18h, no Museu do Palácio Olímpio Campos, acontece o lançamento do Olope Griots. A iniciativa tem por objetivo principal, prestar assessoria jurídica e de comunicação aos religiosos e templos afro-brasileiros em Sergipe, e a formação e consolidação de um Conselho Griot Feminino como órgão consultivo e de aconselhamento das assessorias jurídica e de comunicação. O projeto é uma realização da Sociedade Omolàiyé com apoio, parceria e financiamento do Fundo Brasil de Direitos Humanos e a parceria do Mestrado em DH da UNIT e do NEABI (Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e  Indígenas UFS). A noite de lançamento, contará com a apresentação das ações do projeto e um coquetel. O público também será agraciado com a apresentação do espetáculo de dança “Omo Yiá e com a intervenção artística “Cativeiro”

O Olope Griots beneficiará diretamente os Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz africana, profissionais da área do Direito e de Comunicação.  De acordo com a coordenação do projeto, serão atendidas diretamente 50 pessoas de Terreiros, em oficinas de formação e seminários. “O maior impacto que o projeto trará aos seus beneficiários é a oportunidade do conhecimento sobre novas temáticas, além da troca de valores e o alcance de saberes científicos e tecnológicos que as oficinas de formação e a formação do Conselho Griot permitirão aos beneficiários” explica Iyá Martha Sales, uma das coordenadoras do projeto.

Durante um ano, comunidades de matizes africanas serão capacitadas por profissionais gabaritados da área de Comunicação e Direito. “A assessoria de comunicação objetiva auxiliar os afroreligiosos no trato com os meios de comunicação e as mídias sociais e dar visibilidade às suas demandas por reconhecimento, direitos e políticas públicas. Já a assessoria jurídica contará com atendimento individual e coletivo, elaboração e acompanhamento de processos judiciais e administrativo através da técnica da assessoria jurídica popular inovadora. Além disso as entidades receberão oficina de formação e capacitação para as estratégias de defesa dos direitos e de políticas públicas” explica a yalorixá Sônia Oliveira, uma das coordenadoras do projeto.

Por: Elma Santos