Aracaju, 27 de novembro de 2021

PREJUÍZOS NA LAVOURA CAUSADOS PELA SECA SERÃO MINIMIZADOS

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Produtores rurais de Sergipe que não tiveram colheita em decorrência da escassez de chuva receberão novo empréstimo e terão prazo estendido para quitação das dívidas

O cenário verde e fecundo que, em anos anteriores, era presságio das grandes colheitas e festa no município de Carira, localizada a 112 km da capital sergipana, foi substituído por fileiras de mato seco, solo rachado e plantações sem vida.  Os agricultores da região, que dependem exclusivamente do plantio do milho, perderam toda a safra deste ano e, se não fosse a intervenção do líder do governo Michel Temer na Câmara dos Deputados, André Moura (PSC-SE), na liberação de um novo empréstimo, a situação seria ainda mais caótica.

A colheita no município sucumbiu à seca. Lavouras que, em safras passadas, colheram 100 sacos por hectare, nesta não passaram de vinte. E o agricultor sofre. “Em 2015 perdemos 80% da safra. Este ano, perdemos tudo. E o banco ainda está cobrando o empréstimo passado. A renegociação dessa dívida é uma benção de Deus. A coisa está difícil e o deputado André foi responsável por essa nova luz. Hoje a gente dorme em paz.”, disse o líder da associação de produtores rurais, Gerson do Santo Antônio.

A renegociação em questão tem relação ao empréstimo que, anualmente, os agricultores solicitam aos bancos ligados ao Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro). Com o prejuízo deste ano, os produtores não tinham como quitá-lo. Por isso a importância do trabalho do líder André nesta recombinação de prazos. Após reuniões com o Ministério da Fazenda e entidades financeiras, o líder conseguiu a autorização do Conselho Monetário Nacional (CMN) através da resolução 4532/2016. Assim, os agricultores que deveriam pagar pelo empréstimo passado, terão um novo valor dispensado com prazo estendido, diminuindo as despesas e cobrindo os prejuízos com a inexistência de colheita na última safra.

“A nota técnica com a solicitação de resolução estava no Ministério da Fazenda, adormecida. A entrada de André foi que deu a garantia de tirar da gaveta e ser aprovada essa resolução”, explicou o superintendente regional do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, vinculado à Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Sergipe (Sistema Faese/Senar), Dênio Augusto Leite.

O secretário de Políticas Agrárias do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Carira, Luciano Bastos, ressalta a importância da interferência do líder André. “Tivemos perda total este ano e a situação é preocupante. Por isso ficamos tão agradecidos com essa oportunidade, porque, graças ao deputado André, teremos condições de pagar o empréstimo e diminuir os prejuízos”, contou.

Givaldo Souza é outro produtor que se diz desolado com o prejuízo na safra de 2016.  “A roça é o nosso único meio de sobrevivência. Se não conseguimos colher, não temos como manter nossas vidas e nenhum político teve a sensibilidade de nos ajudar. Se não fosse o deputado André, estaríamos perdidos. Essa renegociação vai salvar nossas famílias de um sofrimento maior”, relatou.

Além dos agricultores de Carira, outros produtores de Sergipe e Bahia serão beneficiados com a renegociação da dívida. O crédito parcelado, com vencimento entre 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2017, será renovado, dependendo da situação de adimplência em 31 de dezembro de 2016. E o prazo para o pagamento para as operações será de até cinco anos, sendo que, no caso de empréstimo para investimento e custeio, se estenderá por 12 meses após o vencimento do contrato estabelecido.

AssCom/AM

Foto: John Santana

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Políticos e lideranças defendem Mitidieri e só a “bolha” prefere Edvaldo! 
Beneficiários da tarifa social terá bandeira verde em dezembro
PC prende investigado por homicídio praticado em São Cristóvão
Espetáculo  Parada de Natal é uma das atrações deste sábado