Aracaju, 28 de novembro de 2021

Governador solicita 740 toneladas de milho para produtores do semiárido (Foto: Roque Sá)

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Jackson solicitou a disponibilização do estoque da unidade da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) a preço subsidiário para atender os pequenos criadores dos municípios do semiárido. Com a medida, a Conab venderia a saca de milho de 50 quilos por R$ 18, valor muito abaixo do mercado, o qual cobra R$ 55 atualmente pelo produto, beneficiando mais de 14 mil pequenos criadores

Com 21 municípios sergipanos em situação de emergência, o governador Jackson Barreto busca alternativas de enfrentamento aos efeitos da estiagem junto ao governo federal. Em audiência com o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, nesta quarta-feira, 07, Jackson solicitou a disponibilização do estoque de 740 toneladas de milho da unidade da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) a preço subsidiário para atender os pequenos criadores dos municípios do semiárido. Com a medida, a Conab venderia a saca de milho de 50 quilos por R$ 18, valor muito abaixo do mercado, o qual cobra R$ 55 atualmente pelo produto, beneficiando mais de 14 mil pequenos criadores.

Ao lado do deputado federal Jony Marcos e do prefeito de Canindé de São Francisco, Heleno Silva, o governador falou sobre a situação de emergência vivenciada por municípios sergipanos. “Estamos enfrentando uma das piores secas já vividas e precisamos buscar condições de trabalho e sobrevivência para nossos produtores e agricultores. Contamos com a compreensão do ministro Blairo Maggi para disponibilizar as 740 toneladas de milho da Conab para que os produtores do semiárido possam alimentar seus rebanhos”.

O deputado federal Jony Marcos explicou que a liberação dos grãos foi acordada com o ministro Eliseu Padilha e precisa, agora, da anuência dos Ministérios do Planejamento e Fazenda.  “O ministro Padilha nos informou que essa decisão de liberação do milho que a Conab tem estocado precisa de uma portaria de três ministérios: Agricultura, Planejamento e Fazenda e que deveria sair da Agricultura a iniciativa pata os que demais tomem anuência e liberem o milho para socorrer os produtores da bacia de leite sergipana”, disse.

Para o prefeito de Canindé, Heleno Silva, a medida é fundamental para a economia da região. “A produção de leite é uma de nossas principais atividades econômicas. Temos mais de 5 mil criadores de gado em Canindé com rebanho entre 10 e 20 cabeças. Com a seca, nosso problema é a alimentação do rebanho e o milho é primordial na alimentação. Conseguir comprar o milho a valor subsidiário é de grande ajuda para nossos produtores. Saímos otimistas da reunião e o governador Jackson Barreto sugeriu que a medida fosse estendida para todos os estados do Nordeste atingidos pela seca”, afirmou.

ASN

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Arquiteta fala sobre mudanças nos lares durante a pandemia
Inscritos no Enem fazem neste domingo segundo dia de provas
Covid-19: Aracaju vacinou 17.398 mil pessoas nesta semana
Vice-governadora conhece serviços da Casa Mulher em Itabaianinha