Aracaju, 6 de dezembro de 2021

O goleiro Jackson Follmann na maca, com o cabelo raspado, protegido por um colar cervical, ao chegar a São Paulo

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

 O goleiro Jackson Follmann na maca, com o cabelo raspado, protegido por um colar cervical, ao chegar a São Paulo para se tratar no Hospital Albert Einstein. Segundo boletim médico divulgado pelo hospital na tarde desta terça-feira (13), Follmann foi submetido a uma série de exames de imagens e laboratoriais e será operado durante a tarde. O sobrevivente do acidente aéreo com o time da Chapecoense na Colômbia chegou ao Brasil nesta madrugada.

“Após a avaliação desses exames e discussão interdisciplinar, optou-se pela correção cirúrgica da fratura do processo odontóide (fixação da segunda vértebra cervical). A cirurgia será realizada na tarde de hoje (terça)”, diz o boletim médico assinado pelo Dr. Jorge Roberto Pagura. Ainda de acordo com o boletim médico, Follmann está lúcido e em bom estado geral.

Entre os exames realizados estão tomografia de crânio e coluna cervical com protocolo para neuronavegação, tomografia computadorizada de tórax e ressonância magnética da coluna cervical, de acordo com o Einstein.

Follmann ficou aliviado ao pousar no Brasil, segundo o ortopedista da Chapecoense, Marcos Nagli. O voo que trouxe o jogador deixou Medellín na tarde de segunda-feira (12) e fez uma escala em Manaus às 20h30, chegando a São Paulo já na madrugada desta terça.

“Ele não tinha expressão. A única coisa que eu vi foi que ele soltou o ar. Ele estava segurando na hora do pouso e, quando pousou, ele soltou um pouco o ar. Então, sem dúvida, uma sensação de alívio”, afirma Nagli. Segundo o médico, o goleiro ficou acordado durante todo o trajeto.

O avião, equipado com uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), pousou no Aeroporto de Congonhas à 0h20. Um dos seis sobreviventes do acidente aéreo que matou 71 pessoas no fim de novembro na Colômbia, o jogador de 24 anos teve parte da perna direita amputada e irá seguir tratamento no Hospital Albert Einstein, na Zona Sul da capital.

O jogador foi levado para o hospital de ambulância e chegou ao complexo cerca de uma hora após seu avião pousar em São Paulo.

Follmann teve a perna direita amputada na terça-feira devido à gravidade das lesões (Foto: Andre Penner/AP)Follmann teve a perna direita amputada na terça-feira devido à gravidade das lesões (Foto: Andre Penner/AP)

Follmann teve a perna direita amputada na terça-feira devido à gravidade das lesões (Foto: Andre Penner/AP)

Follmann deverá fazer uma cirurgia delicada para corrigir uma fratura na coluna cervical, em uma das vértebras, a C3. “Toda cirurgia tem um risco calculado. E nós queremos que esse risco calculado seja extremamente baixo. Por isso, tomamos as melhores decisões e usamos os melhores equipamentos possíveis. Por isso estamos aqui”, disse o ortopedista da Chapecoense no Hospital Albert Einstein.

Follmann veio a São Paulo acompanhado da noiva. “Foi um voo extremamente saudável, tranquilo, salutar, a gente teve um momento de descontração durante o voo a equipe foi extremamente humana”, disse o médico.

Jackson Follmann vai fazer tratamento na vértebra C2 da coluna cervical (Foto: TV Globo/Reprodução)Jackson Follmann vai fazer tratamento na vértebra C2 da coluna cervical (Foto: TV Globo/Reprodução)

Jackson Follmann vai fazer tratamento na vértebra C2 da coluna cervical (Foto: TV Globo/Reprodução)

No domingo (4), Follmann gravou um áudio para amigos e família. O conteúdo foi divulgado pelo programa Fantástico, da Rede Globo. No áudio, o jogador tranquiliza a todos e promete melhorar em breve.

Outras duas vítimas do acidente com o voo da Chapecoense, o jornalista Rafael Renzel e o jogador Alan Ruschell chegam a Santa Catarina na noite desta terça-feira. Ainda não há previsão para que o zagueiro Neto, que ainda está internado na Colômbia, retorne ao Brasil.

O ortopedista da Chapecoense afirma que recuperação das quatro vítimas é como a necessidade de vencer um jogo por 4×0.

“Nesse momento a gente tá comemorando o primeiro gol, nós temos que ganhar de 4 x 0, a partir do momento que a gente traz os nossos 4 sobreviventes de volta, os 3 jogadores e jornalista Rafael Henzel, a gente pode realmente comemorar a vitória!”, disse o médico.

Fonte/Foto: globo.com

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Shopping Jardins presenteia clientes com kit L’Occitane au Brésil
Solenidade marca abertura do Curso de Especialização em Segurança Pública
Fazendo festa com seu rico dinheirinho
PM apreende duas motocicletas com suspeita de roubo em Propriá e Canhoba