Aracaju, 29 de novembro de 2021

Unidade Móvel de Saúde realizou mais de 19 mil testes rápidos em 2016 (Foto assessoria)

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Durante o ano, foram 124 ações, sendo 60 em Aracaju e 64 em outros 18 municípios sergipanos

Através de ações estratégicas desenvolvidas ao longo de todo o ano, a Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio do Programa DST/Aids, intensificou ações para o enfrentamento às Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs).  As mobilizações para promoção do acesso aos testes rápidos levaram a Unidade Móvel Fique Sabendo a diversos pontos da capital e do interior. Ao todo, foram 124 ações, sendo 60 em Aracaju e 64 em outros 18 municípios sergipanos.

“A atuação da Unidade Móvel, ao longo deste ano, somou o total de 19.322 testes rápidos de HIV, Sífilis, Hepatites B e C”, ressaltou gerente do Programa estadual IST/Aids, o médico Almir Santana.

Foram 6.725 testes de HIV, sendo que 39 apresentaram resultado reagente para o vírus. Já para Sífilis, foram realizados 4.795 testes rápidos, tendo sido identificados 280 casos reagentes. Para Hepatite B foram realizados 3.877 testes, sendo que 18 foram reagentes, e para Hepatite C foram 3.925 testes, com 17 resultados reagentes.

“Além de atuar através da Unidade Móvel, também promovemos ações educativas, informativas e campanhas de conscientização com ênfase na prevenção. Demos destaque, inclusive, a prevenção combinada, que além de incentivar a utilização da camisinha masculina e feminina, também orienta  quanto a métodos de prevenção e tratamento para reduzir os riscos de transmissão e infecção”, destacou o médico.

Sobre a prevenção combinada Almir Santana explica que o Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza para a população métodos e medicamentos que protegem a pessoa da infecção pelo vírus. Entre eles está a Profilaxia Pós- exposição “ PEP,  que pode ser utilizada após a relação sexual desprotegida, violência sexual ou situações de risco, como acidentes com agulhas e seringas.

“A administração dos medicamentos deve ocorrer nas primeiras 72 horas após a exposição, sendo que o tratamento se torna mais eficiente se for iniciado nas primeiras duas horas. Esse tratamento dura 28 dias”, esclareceu.

Nas ações voltadas à conscientização, foram realizadas 28 palestras educativas em escolas públicas e particulares da capital e interior, além de 60 palestras informativas para empresas. Também foram realizadas supervisões e monitoramento de programas em diversos municípios.

Campanhas

Foram realizadas 10 campanhas educativas ao longo de 2016. Entre os temas trabalhados estiveram:  Prevenção Combinada; Novembro Azul; Dia Nacional de Combate à Sífilis; PEP: Profilaxia Pós-Exposição; Paradas  LGBT; Prevenção às Hepatites Virais; Prevenção nas Festas Juninas; Prevenção no Dia das Mães; Campanha no Dia Internacional da Mulher; Prevenção no Carnaval.

ASN

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

39 famílias retiradas de casas em áreas de risco após fortes chuvas em Canindé de São Francisco
Estudantes  universitários de Carira recebem ônibus adquirido com emenda de Alessandro Vieira
Hospital de Urgências de Sergipe abre processo seletivo de 16 vagas para Residência Médica
Gracinha participa de 24ª Conferência Nacional da Unale