Aracaju, 5 de dezembro de 2021

Psiquiatra alerta para importância do combate ao preconceito (Foto ascom)

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

O Ipesaúde se associa aos propósitos dessa campanha e, nas suas unidades especializadas (Fisioterapia e Diabetes), oferece atendimento psicológico como auxiliar das terapias convencionais, além de disponibilizar em seu corpo clínico (no Centro de Especialidades/ sede) o atendimento psiquiátrico

Um alerta importante para salvaguardar a eficácia dos tratamentos em saúde mental e enaltecer os propósitos da campanha “Janeiro Branco”: É preciso combater o preconceito. Essa é a perspectiva de um dos profissionais que atende aos beneficiários do Ipesaúde, o psiquiatra Tone Rudson. Para ele, é fundamental trazer esse esclarecimento para discussão e disseminação na sociedade, ampliando o entendimento sobre a importância da saúde mental.

“Eu vejo isso como um dos principais pontos positivos da campanha ‘Janeiro Branco’, uma vez que a própria sociedade discrimina, de forma velada ou não, os que buscam os tratamentos psicológicos ou psiquiátricos. Infelizmente, o preconceito ainda é uma realidade na nossa sociedade e atrapalha, e muito, a busca pelo tratamento”, afirma o profissional.

Qualidade de Vida

Tone Rudson aponta que muitas pessoas que começam a apresentar sintomas deixam de procurar o atendimento por medo de serem rotuladas. “A pessoa começa a apresentar alterações de comportamento ou transtornos mentais, o médico ou o psicólogo o encaminha para o atendimento psiquiátrico e, muitas vezes, a pessoa deixa de vir por medo de ser rotulado como “louco” ou adjetivos do gênero. Precisamos combater isso incisivamente. E a melhor ferramenta é a difusão de informação”, argumenta o psiquiatra.

Os prejuízos sociais e até materiais pela convivência com os transtornos mentais, sem tratamento, afetam a qualidade de vida de diversas pessoas e de suas famílias, podendo, inclusive, representar até riscos. “Os pacientes que resistem em buscar a ajuda profissional ou não dão prosseguimento aos seus tratamentos, seja através de medicação ou psicoterapia, além de terem afetada a sua qualidade de vida, podem incorrer em situações de risco, haja vista a taxa crescente de suicídios, por exemplo. Por isso, é fundamental que todas as informações acerca do tema sejam de conhecimento da sociedade mostrando que não há mistérios. O tratamento adequado poderá devolver a qualidade de vida, a produtividade e, dependendo do caso, o perfeito relacionamento social deste paciente”, lembra o profissional.

Janeiro Branco

A campanha “Janeiro Branco” é um movimento desenvolvido por profissionais da área, que visa chamar a atenção para a saúde mental como um conceito imprescindível para a vida em sociedade. Inicialmente, a mobilização nesse sentido surgiu a partir de profissionais da cidade mineira de Uberlândia (onde as ações já são amparadas por lei) e que hoje já se mobilizam em mais de 30 cidades brasileiras e até em outros países, evidenciando a necessidade de se tratar estrategicamente o tema. Hoje, grande parte da população já sofre as consequências de ansiedade, depressão e as taxas de suicídio são crescentes. Isso demonstra o quanto é importante uma abordagem estratégica do tema.

O Ipesaúde se associa aos propósitos dessa campanha e, nas suas unidades especializadas (Fisioterapia e Diabetes), oferece atendimento psicológico como auxiliar das terapias convencionais, além de disponibilizar em seu corpo clínico (no Centro de Especialidades/ sede) o atendimento psiquiátrico.

ASN

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Alessandro protocola novo pedido para instalação de CPI sobre Orçamento Secreto
Valadares Filho reeleito presidente estadual do PSB e Rogério exalta aliança em construção com o PT para um projeto forte
Natal Iluminado: programação contempla música e oficinas neste sábado. São mais de 4,5 mi de pontos de luz enfeitando
ABIH-SE promoverá 2ª edição do road show Viva Aracaju