27/05/20 - 05:44:09

Combate à Covid-19 expõe “desencontro” na Saúde do Estado e da PMA!

“Aracaju precisa de um prefeito que esteja alinhando politicamente e administrativamente com o governador do Estado para que a capital volte a ter qualidade de vida”! Quem se lembra desse tipo de discurso na campanha eleitoral de 2016, diante dos problemas registrados no final da gestão do ex-prefeito João Alves Filho (DEM)? E esse: “Aracaju precisa de um prefeito que conheça os problemas dos bairros, das comunidades e que não entre em conflito administrativo com o governador e sua equipe”! Lembram?

Quatro anos se passaram e, apesar do prefeito e do governador andarem “alinhados” politicamente, os problemas de Aracaju persistem e, em alguns casos, conseguiram ficar piores. Não custa recordar que em 2016 a capital elegeu Eliane Aquino (PT) como vice-prefeita e que, dois anos depois, ela deixou a gestão, um pouco “estremecida” com o prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) para assumir o cargo de vice-governadora do Estado, ao lado do “galeguinho” Belivaldo Chagas (PSD). Mas, como perguntar não ofende, que melhoria resultou para o povo pobre da cidade essa mudança?

A eleição de 2016 e a reeleição de 2018 foram boas para quem? Edvaldo, Belivaldo, Eliane ou todos juntos? Mas e para o povo sergipano e aracajuano? O Estado desde os tempos do já criticado Jackson Barreto (MDB), parcelava e atrasava os salários dos servidores públicos e o 13º do funcionalismo. Nada mudou! Agora ficou ainda pior com o desconto de 14% dos aposentados e pensionistas do Estado após a Reforma da Previdência do “galeguinho”. Reajuste? Tem servidor que já percebeu que em Sergipe isso é “lenda urbana”…

O Estado está “quebrado financeiramente” e, agora com a Covid-19, Belivaldo já mandou suspender todos os investimentos. O foco é combater a pandemia, pagar a folha e só! O resto fica para 2021! Apostou alto no turismo, extinguiu a Secom e não quer nem ouvir falar em “empresários” e “flexibilização”; com Edvaldo de volta na PMA os servidores estão “amargando” já quatro anos sem reajustes e reposições inflacionárias. A tão prometida “qualidade de vida” parou no tempo; obras prometidas nem foram iniciadas, e apesar do volume de dinheiro viabilizado por André Moura (PSC), muito do que foi feito ou foi iniciado ou fora projetado por João Alves…

Em 2019, de “botas” e “capote”, ele prometeu que iria resolver o problema das inundações da Jabotiana; um ano se passou, nada foi feito, as chuvas voltaram e a lama invadiu casas, destruiu móveis. Edvaldo? Para diminuir a vergonha transferiu os moradores para hotéis! Na Saúde, no combate à Covid, fez um investimento milionário para a construção de um hospital de campanha, que já poderia ter sido feito na área externa da UPA Nestor Piva, por exemplo, para ficar em definitivo. Algo importante é verdade, mas sem um leito de UTI sequer! A PMA fala em média e baixa complexidade, mas quem “mede” isso na pandemia?

Essa semana um fato triste: duas pessoas, com sintomas de Covid na capital, passaram o dia inteiro concentrando as atenções de servidores e ambulâncias do SAMU, já que em nenhuma unidade da capital o atendimento estava disponível! Após uma “saga” em defesa da vida, os servidores do SAMU conseguiram leitos, mas em Estância! É isso mesmo! Os pacientes foram deslocados por cerca de 70 km para serem atendidos com dignidade! E para onde vão os impostos dos sergipanos? E dos aracajuanos? E na hora de assumir a responsabilidade, “fica um jogando para o outro”! Mas e cadê o alinhamento de 2016? E que venha mais uma campanha eleitoral…

Veja essa!

Na publicação anterior, este colunista cobrou mais atitude, mais ações da bancada federal de Sergipe para defender o povo pobre e ajudar os gestores sergipanos neste momento de pandemia. Foi pedido aqui para se deixar a politicagem de lado, os interesses eleitoreiros e buscar recursos junto ao governo federal, na “humildade sim” e com o “pires nas mãos”. O Estado não se sustenta sozinho mais…

E essa!

Alguns membros da bancada federal de Sergipe trataram de procurar este colunista para explicar o que estão fazendo para ajudar o Estado, os gestores. Este espaço criticou o fato dos parlamentares “inundarem” suas redes sociais com discursos e críticas ao governo federal, por exemplo, mas pouco fazem efetivamente para a melhoria de vida dos sergipanos.

Eliane Aquino I

Felizmente recuperada da COVID-19, junto com seus familiares, a vice-governadora iniciou a semana concedendo entrevistas, se revelando surpresa em como foi infectada, por conta do isolamento que já vinha respeitando, defendendo que o sergipano “fique em casa” e criticando o governo federal pela falta de planejamento no combate à pandemia.

Eliane Aquino II

Foi aí que este colunista não entendeu nada! Como assim, vice-governadora? Falta planejamento ao governo federal? Com todos os defeitos, por exemplo, o governo, através da Caixa Econômica, já pagou duas parcelas de auxílios-emergenciais de R$ 600 para um volume superior a 100 milhões de pessoas, aproximadamente (considerando os dois pagamentos). E qual o “planejamento” do governo do Estado?

Subestimar

Com todo respeito que este colunista nutre pela vice-governadora, esse discurso é sim querer subestimar o povo sergipano ou não? Qual a política social do governo Belivaldo e Eliane para ajudar os informais, os trabalhadores do comércio, a baixa renda que está sofrendo nessa pandemia? Quantos foram beneficiados, efetivamente? Quem está dando assistência para os mendigos que já se aglomeram com fome em semáforos da Grande Aracaju?

PT & Belivaldo

Como é interessante, inclusive, a postura de alguns membros do Partido dos Trabalhadores em Sergipe! Passam o dia inteiro atacando e condenando o governo federal, mas simplesmente silenciam sobre a precariedade do sistema de Saúde do nosso Estado. Os cargos de comissão no governo estão falando mais alto na crise?

PT x Edvaldo

Agora o interessante é que algumas figuras do PT sergipano, que silenciam ou “amenizam” com Belivaldo, agora estão “afiadas” contra Edvaldo Nogueira. Parece que o “amor acabou”. Resta saber se foi depois que os petistas deixaram de compor com a gestão na PMA ou se foi depois que o prefeito se filiou no PDT. O povão no meio disso tudo e a culpa é de Bolsonaro…

Bomba!

Na noite dessa terça-feira (26), um fato lamentável no município de Itabaiana: duas ambulâncias do SAMU concentradas no atendimento a uma paciente, na porta do Hospital Regional, aguardando uma vaga já há algum tempo, sem qualquer previsão nem de quando e nem para onde iriam levar a paciente. A unidade está com o tomógrafo quebrado há mais de um mês.

Cortou errado

Representantes do segmento de profissionais da beleza promoveram um protesto em frente ao Palácio de Despachos com o objetivo de serem atendidas pelo governador. A turma está irritada com os decretos governamentais que não permitem a retomada das atividades. Elas alegam que metade da categoria, que não teve acesso ao auxílio, já está passando por dificuldades. Acham que o “galeguinho” fincou “cortando errando”. Tá feia a coisa…

Médicos na bronca!

Preocupado com os problemas relacionados ao fluxo de pacientes graves ainda sem definição diagnóstica (suspeitos COVID-19), e uma falta de direcionamento por parte da Secretaria de Estado da Saúde (SES) e das Secretarias Municipais de Saúde em harmonia com a SES, o Sindimed cobra efetivas soluções para tais problemas que estão afetando as famílias.

Sem planejamento!

Em ofício encaminhado nessa terça-feira, ao Governador e Prefeitos, os médicos externam um problema que este colunista há algum tempo vem cobrando aqui: a falta de planejamento, de uma ação integrada entre gestores, setores da Saúde e representantes do setor produtivo. Na nota, o Sindimed deixa claro que “falta de direcionamento por parte da SES e das Secretarias Municipais de Saúde”.

Olha a cobrança!

Eles explicam que o objetivo é “cobrar efetivas soluções para tais problemas que estão afetando as famílias destes doentes, assim como os profissionais envolvidos na assistência que ficam por horas angustiados aguardando uma definição com a vida dos pacientes em risco, seja na Unidade Básica de Saúde, seja na residência do doente, seja Unidade de Pronto Atendimento, seja dentro de uma ambulância. Meses se passaram desde meados de março, quando as entidades médicas, nos dias 19 e 20 de março, lançaram um comunicado público recomendando a definição de fluxo preferencial e prioritário para atendimento ou direcionamento desses pacientes”.

Sem solução

Em seguida, ainda no ofício, os médicos pontuam que cobranças já foram feitas em reuniões pelo sindicato com gestores quanto ao fluxo e quanto a disponibilidade de exames e agilidade nos resultados, “sem maiores soluções”, acrescentando que “urge que as autoridades sanitárias (Secretarias Estadual e Municipais de Saúde) definam obrigatoriamente alguns pontos”.

Alô Governo e prefeitos!

Os médicos apelam para “organizar para onde direcionar os pacientes que necessitam de LEITOS DE ENFERMARIA; organizar para onde direcionar os PACIENTES GRAVES; e garantir extrema prioridade na realização dos exames de COVID-19 para PACIENTES SUSPEITOS GRAVES, assim como seu resultado sair dentro das primeiras 24h. As cobranças também foram encaminhadas com cópia para os Ministérios Públicos, Federal, Estadual e do Trabalho, visando uma cobrança em paralelo desses órgãos fiscalizadores.

Fala Valdevan I

Diante do questionamento feito aqui se o deputado federal Valdevan 90 (PSC) cumpria isolamento em Sergipe ou em São Paulo, a assessoria do parlamentar que ele está “seguindo rigorosamente o Ato da Mesa nº 118/20 e o Projeto de Resolução 11/20, que institui a discussão e votação remota de proposições” e que o mesmo se encontra “com toda a sua família no município de Arauá, Região Sul de Sergipe, onde tem residência fixa”.

Fala Valdevan II

“É importante ressaltar que não é demérito para o parlamentar estar à frente do Sindicato dos Motoristas. Antes mesmo de disputar a eleição em solo sergipano, ele já tinha um trabalho alicerçado no estado paulista. Informamos, em tempo, que todas as ações do parlamentar encontram-se registradas em suas redes sociais, que por sinal, divulga as emendas parlamentares destinadas para os municípios sergipanos”. Feito o registro.

Explicação

A coluna agradece o respeito recíproco de Valdevan e reforça que a crítica não se deve a qualquer outra atividade profissional que o parlamentar exerça, mas sobre sua atuação no Congresso Nacional e, mais precisamente, naquilo que interessa em recursos para os sergipanos, em especial no combate à Covid-19. Os assuntos relacionados a outras ocupações do deputado não dizem respeito a este colunista.

Rogério Carvalho I

Este colunista criticou o senador petista que fica o dia inteiro concedendo entrevistas e defendendo o impeachment do presidente da República. Mas, justiça seja feita, nessa terça-feira (26), enfim Rogério saiu do debate político e conseguiu aprovar, no Senado, um projeto de lei que autoriza o uso de leitos não ocupados de UTI em hospitais privados para pacientes do SUS com Síndrome Aguda Respiratória Grave (SRAG) e suspeita ou diagnóstico de Covid-19.

Rogério Carvalho II

A informação da AGÊNCIA SENADO é que o uso será indenizado pelo setor público e que, de acordo com Rogério, ¾ da população brasileira dependem exclusivamente do Sistema Único de Saúde (SUS), que tem menos da metade dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do país. “É preciso agir diante da sobrecarga provocada pela pandemia”. É uma notícia realmente positiva para o povo pobre, embora em Sergipe quase 100% dos leitos de UTI da rede privada estejam ocupados, infelizmente.

Alessandro Vieira I

Outro que também se manifestou a respeito da crítica da coluna foi o senador Alessandro Vieira (Cidadania). Ele alega que está trabalhando, sem descaso, para garantir que Sergipe tenha os recursos necessários para enfrentar e vencer esta grave crise causada pela pandemia. “Hoje confirmamos com o Ministério da Saúde a chegada de 15 ventiladores para UTI e mais 15 do modelo portátil. Até sexta-feira deverão chegar mais 30 ventiladores, totalizando 60 em uma semana e viabilizando a abertura de novos leitos de UTI na capital e no interior”.

Alessandro Vieira II

“Vamos continuar cobrando um planejamento mais eficiente e maior velocidade no atendimento às demandas de vítimas e parentes. Temos técnicos capacitados e condições de fazer mais. E vamos seguir trabalhando por Sergipe e colocando todo o apoio possível para o governo do estado e as prefeituras. Repito: não é hora de política partidária, é hora de trabalhar com união por Sergipe”, completa o senador.

Prestígio em BSB

Agora, convenhamos, o senador Alessandro Vieira, que tem feito críticas contundentes ao presidente da República e até defendido uma CPI no Congresso Nacional para investigar Bolsonaro, ao conseguir a liberação de 60 ventiladores de UTI no Ministério da Saúde só prova que ele, apesar da saída do ministro Sérgio Moro da gestão, continua com muito prestígio dentro do governo federal, ou não?

Laércio Oliveira I

Quem também procurou este colunista foi o deputado federal Laércio Oliveira (PP). Ele, que também preside o sistema Fecomercio/Sesc/Senac em Sergipe diz ter atuado muito fortemente durante a pandemia em duas direções: preservar a saúde e a vida das pessoas e na manutenção das empresas e empregos dos brasileiros.

O deputado diz que remanejou grande parte das suas emendas individuais e de bancada para o combate aos coronavírus para dezenas de municípios sergipanos, governo do estado e o Hospital Cirurgia.

Laércio Oliveira II

“No total já foram pagos R$ 22,7 milhões e falta o pagamento de R$ 1,5 milhão. Paralelamente, mobilizamos empresários sergipanos que conseguiram a doação de R$ 1,7 milhão para a compra de 20 respiradores para o hospital Cirurgia”, disse Laércio, enfatizando que tem se reunido semanalmente com entidades empresariais para buscar um diálogo com governo e prefeitura, elaborando propostas de abertura das atividades comerciais.

Laércio Oliveira III

“Temos um plano de abertura econômica pronta para ser apreciado pelo governo e ser colocado em discussão, de modo que se preserve empregos e recupere a receita perdida com a falta de arrecadação”, explicou o parlamentar, dizendo que votou favorável à Medida Provisória apresentada pelo Governo Federal que retira 50% dos recursos do Sistema S por 90 dias no período de pandemia. Ele destacou que o Sistema Fecomércio/Sesc/Senac de Sergipe tem uma boa saúde financeira e pode operar com seus recursos por um período, sem demissões.

Ataque de Hackers

Semana passada este colunista informou aqui neste espaço que Hackers teriam invadido o sistema eletrônico de atendimento ao público da Energisa. A coluna não tinha maiores informações, mas até onde tomou conhecimento a ação criminosa foi detectada e já estava sob investigações, mas a empresa ainda não havia se manifestado a respeito.

Fala Energisa I

A empresa entrou em contato com este colunista para explicar que o Grupo Energisa “conseguiu conter e restringir os impactos decorrentes de um ataque cibernético ocorrido na madrugada do dia 29 de abril. O fornecimento de energia não foi afetado em nenhum momento e alguns serviços ao cliente foram retomados”.

Fala Energisa II

“Por medidas de segurança, alguns sistemas de atendimento ao cliente precisaram ser desligados, como o site, mas, foi restabelecido. O 0800 e a atendente virtual no WhatsApp, a Gisa, seguem disponíveis. A Energisa ressalta que comunicou o ataque cibernético às autoridades e continua trabalhando com especialistas em segurança da informação na resolução do caso”, completa a nota. Feito o registro e fica a explicação para a sociedade.

Rodrigo Valadares I

O deputado estadual Rodrigo Valadares (PTB) usou suas redes sociais para questionar o fato da Prefeitura de Aracaju ter realizado um investimento da ordem de R$ 3 milhões para a construção de um Hospital de Campanha para combater a pandemia do novo coronavírus (COVID-19), sem ter construído leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) para atender a sociedade.

Rodrigo Valadares II

“Tenho feito diversos questionamentos ao governo do Estado e à Prefeitura de Aracaju sobre o colapso que estamos nos aproximando de toda a rede, e a Secretaria de Saúde apenas limitou-se a dizer que não tinha responsabilidade e que a gestão da PMA era de baixa e média complexidade. Isso não é verdade porque a competência é comum para todos os entes, seja federal, estadual ou municipal”, rebateu o parlamentar.

Rodrigo Valadares III

Rodrigo Valadares revela ainda que sua equipe fez um levantamento sobre Prefeituras de cidades pelo País que construíram hospitais de campanha durante a pandemia e que investiram em UTIs. “Em Aracaju a PMA investiu R$ 3 milhões em um hospital sem uma UTI sequer? O Rio de Janeiro construiu 150 leitos de UTI, em São Paulo foram 64, em Salvador foram 50, Recife foram 80 e Teresina foram 60”.

Fiscalização

Em meios as suas denúncias, o parlamentar antecipa que vai pedir a apuração do TCE, TCU, MPF, MPE, COREN, CRM, Polícia Civil e Polícia Federal. “Temos informações que chegaram recursos federais e queremos uma investigação ampla em cima desses recursos. Queremos saber se o ‘caminhão de dinheiro’ que chegou não foi o suficiente para a instalação de leitos de UTIs”.

Georgeo Passos I

O deputado estadual Georgeo Passos (Cidadania) está preocupado com a situação na qual mulheres com gravidez de alto risco estão sendo expostas na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, em Aracaju. Segundo ele a grande maioria de pacientes grávidas com suspeita de Covid19 está sendo remaneja para a maternidade e como elas precisam ficar isoladas, alguns atendimentos do hospital ficaram prejudicados.

Georgeo Passos II

“Por causa da falta de leitos, a maioria das grávidas com suspeita de Covid19 são levadas para a Nossa Senhora de Lourdes. Como elas têm que ficar isoladas, algumas enfermarias são destinadas somente para isto e as grávidas que precisam de qualquer outro atendimento tem que esperar para serem atendidas”. O deputado explica que recebeu denúncias de que existem enfermarias sendo fechadas somente com uma paciente com suspeita de Covid. E por isso, mais outros cinco leitos ficam impossibilitados de receber gestantes.

Georgeo Passos III

“Recebi a informação de que enfermarias com seis leitos estão fechadas somente com uma gestante. Enquanto isso, outras grávidas que precisam de atendimento ficam horas à espera por causa da falta de leitos. Isso é absurdo, uma falta de respeito”. O parlamentar também informou que as gestantes de alto risco que precisam ir para UTI, chegam a esperar 24 horas por uma vaga. “A paciente já corre um risco grande por causa da gravidez e ainda precisa esperar horas por atendimento e até mesmo por uma internação em UTI. As gestantes não podem ficar sem atendimento por causa da falta de organização do Governo”

Alô Dores!

Quem está se preparando para a eleição municipal em Nossa Senhora das Dores é Mário da Clínica. Ele é pré-candidato a prefeito da cidade e promete defender mais adiante uma ampla reforma administrativa no município, focando em investimentos nas áreas da saúde, educação e outros serviços. Ele defende o discurso que tem visão empresarial e administrativa. Sonha em colocar em prática o seu conhecimento no setor privado na gestão pública, para que ele funcione de forma organizada e com regras a serem seguidas, beneficiando principalmente o cidadão que será o maior contemplado.

Apoio político!

Um plano administrativo está sendo elaborado com apoio de políticos e lideranças fortes do Estado e de Nossa Senhora das Dores, como o vereador Fabrício e o ex-prefeito Fernando Lima. Mário conta ainda com uma assessoria de técnicos extremamente competentes, que lhe ajudam na construção de um plano de governo que promete revolucionar.

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com