27/05/20 - 08:58:00

Prefeitura segue realizando mutirões de ações de combate à dengue

Por meio da Secretaria Municipal da Saúde, a Prefeitura de Aracaju mantém a realização dos mutirões de ações de combate ao Aedes aegypti em toda a cidade, para evitar a proliferação do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika. Apenas este ano, 14 mutirões já foram realizados nos bairros da capital, sobretudo nos que apresentam índices elevados de infestação. O próximo mutirão, programado para este sábado, dia 30, será realizado no bairro Dom Luciano.

Norteado pelo LIRAa (Levantamento Rápido do Índice de Infestação pelo Aedes aegypti), os mutirões de combate ao Aedes aegypti tem sido fundamental na luta contra a dengue. O trabalho é contínuo e integra o Plano de Intensificação das Ações contra o mosquito posto em prática pela Prefeitura no segundo semestre de 2019.

No último levantamento realizado pela SMS, no início de abril, Aracaju saiu da classificação de baixo risco, que vai até 1.0, pois apresentou índice de 1.6 entre os meses de janeiro e março. Dessa forma, as ações desenvolvidas pela Prefeitura para evitar a proliferação do Aedes aegypti se tornam ainda mais necessárias e o apoio da população é fundamental para o sucesso desse trabalho.

“O mutirão de combate ao Aedes aegypti tem o objetivo de reduzir o número de criadores do mosquito. Assim, atua sobre um tripé com três iniciativas fundamentais: orientação, identificação e eliminação”, afirma Jeferson Santana, gerente do programa de controle do Aedes aegypti da SMS.

Ele explica que, diante da nova realidade de distanciamento social por conta do coronavírus, o trabalho dos agentes de endemias no combate ao Aedes aegypti foi modificado. Com uma abordagem diferenciada, mas seguindo o Plano de Intensificação das Ações, a Prefeitura de Aracaju adotou novas estratégias. “Após a pandemia de covid-19, estamos apenas realizando orientações, ou seja, conversando com a população sobre a importância de se proteger também das doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti”, explica Jeferson.

Graças a esse trabalho, nenhum bairro apresentou alto índice de infestação (acima dos 4). Segundo Jeferson Santana, essas ações têm sido muito importantes para o enfrentamento do Aedes aegypti na capital. “Por isso, vamos seguir com nossa meta de manter baixo o índice de infestação nos bairros, e também seguir com o trabalho de orientação, conversando com os moradores para que eles façam a sua parte, pois a erradicação desse mosquito depende, principalmente, de cada cidadão”, afirma.