Aracaju, 28 de julho de 2021

1.047 crianças da faixa etária de 0 a 14 anos são diagnosticadas com covid-19 em Sergipe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

1.047 crianças da faixa etária de zero  a 14 anos  diagnosticadas com a covid-19 em Sergipe

Os  dados do boletim epidemiológico da Covid-19 desta terça-feira, 7, fornecido pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), aponta que 1.047 crianças, da faixa etária de zero  a 14 anos foram diagnosticadas com a covid-19 no Estado. Sendo que deste quantitativo,  11 crianças de até  um ano de idade morreram vítimas da doença. Também foram notificados dois  óbitos em  crianças de um a quatro anos e  cinco óbitos em  crianças entre cinco e 14 anos, totalizando 18 óbitos.

O diretor de Vigilância em Saúde da SES, Marco Aurélio Góes, explica  que embora a doença seja mais comum em adulto jovem, como disseminado mundialmente no início da pandemia,  em alguns grupos da infância a letalidade da doença está expressiva no Estado. “Com a doença chegando ao Brasil percebeu-se que sim, a maior proporção  de crianças  que se infectam é relativamente baixa em relação aos adultos, contudo aqui está havendo uma  oposição  em alguns grupos da infância, a mortalidade e letalidade  tem sido maior como mostra o boletim. Geralmente  esses casos são crianças recém-nascidas que tiveram essa transmissão próxima ao parto e no  Puerpério”, disse.

Por isso, um dos alertas que o médico faz é com relação ao isolamento das mulheres que estão grávidas.  “O primeiro  cuidado com a gestante é ela não se expor à infecção, é fundamental cumprir o isolamento, além disso, é interessante não haver contato com visitas e quando sair tomar todos os cuidados para não se infectar. Sabemos que essas doenças respiratórias podem ocasionar  danos na gestação, seja por causar doença mais graves  nas  gestantes , seja por antecipar o trabalho de parto, nascendo mais prematuros com risco maior de óbitos, ou por transmitir  o vírus no final da gravidez quando  a gestante está infectada. Por não ter boa defesas, o bebê pode acabar evoluindo a óbito”, salienta.

O coronavírus na criança pode apresentar  uma doença respiratória comum com sintomas gerais. “Às vezes com febre alta mal estar, já a criança de colo  pode ter muita  irritabilidade  com choro.  A complicação  maior é quando evolui para pneumonia viral, assim o vírus causa  pneumonia grave e com isso  leva a insuficiência respiratória e consequentemente a morte, mas em grande parte das crianças  vão apresentar sintomas leves, como espirros tosses , às vezes diarreia e febre, a grande maioria com uma boa recuperação”, destaca Marco.

Maternidade

A Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), unidade gerenciada pela SES, colheu de março a 6 de julho, 76 exames para Covid 19,  desses: 54 em gestantes, sendo 28 positivos, 24 negativos, dois em andamento e 22 em recém-nascidos. Desses, 13 foram positivos, oito negativos e um em andamento. De acordo com a Diretora Técnica da MNSL, Roseane Lima Santos Porto, Apesar de a Maternidade Nossa Senhora de Lourdes não ser referência para o atendimento de gestantes suspeitas ou confirmadas para Covid-19, houve o internamento de 54 pacientes com quadro suspeito.

“Fluxos e protocolos foram elaborados e processos de trabalho ajustados para que o atendimento a essas pacientes fosse realizado com o máximo de segurança e atendendo as recomendações da ANVISA”, informou Roseane.

Informações e foto SES

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Governador Belivaldo Chagas reúne gestores para alinhar estratégia de desenvolvimento do estado
Prefeitura de Barra dos Coqueiros realiza posse de 10 concursados da área de saúde  
Juíza Maria Angélica França e Souza é nova Desembargadora do TJSE
SSP abre seleção para estagiários de Publicidade e Propaganda e Jornalismo