Aracaju, 3 de dezembro de 2021

Aracaju adere à rede Urban95, voltada para ações de proteção à primeira infância

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Aracaju passa a compor, a partir desta terça-feira, 7, a primeira rede brasileira Urban95, iniciativa que reúne cidades de todo o país em prol do objetivo comum de fortalecer, incrementar e desenvolver programas e políticas para a primeira infância no país. A parceria foi firmada através de um encontro virtual, que contou com a presença de vários gestores municipais, entre eles o prefeito Edvaldo Nogueira que possui como marcas da sua administração o investimento na construção de creches e escolas e o fortalecimento da assistência em saúde para as crianças.

A rede Urban95 é uma ação conjunta da Fundação Bernard Vanleer e o Instituto Cidades Sustentáveis. O projeto tem como propósito unir a experiência das duas instituições para expandir o compromisso das cidades com o desenvolvimento urbano sustentável com foco na primeira infância. Além das cidades de São Paulo, Recife e Boa Vista, que já contam com parcerias com a fundação em prol dos avanços da agenda pela primeira infância, outros 11 municípios passam a compor a rede: Aracaju (SE), Brasiléia (AC), Campinas (SP), Caruaru (PE), Crato (CE), Fortaleza (CE), Ilhéus (BA), Jundiaí (SP), Niterói (RJ), Pelotas (RS) e Ubiratã (PR).

Para Edvaldo, a adesão de Aracaju à rede Urban95 é como “plantar uma semente de esperança”. “Temos trabalhado de maneira efetiva na melhoria da vida dos aracajuanos em todas as suas faixas etárias, tendo a primeira infância como uma de nossas prioridades. De modo que integrar esta rede significa uma semente de esperança. O projeto se iniciou com três cidades e agora passa a contar com mais 11 municípios. Que esta ideia possa crescer e conquistar o Brasil, para que toda criança, desde o seu nascimento, tenha acesso a um atendimento pleno e de qualidade. Não só creche e alimentação. Mas também pensar no transporte, com rede de saúde, áreas de lazer, entre outros pontos. Priorizar a criança é falar de futuro, de transformação e de esperança”, declarou.

O projeto

O projeto apoiará os municípios na realização de um diagnóstico detalhado sobre a experiência e acesso de crianças e bebês às cidades, oferecendo dados que poderão embasar a construção de políticas públicas mais acertadas para a primeira infância e alinhadas a outras agendas estratégicas locais.  A Urban95 oferecerá apoio técnico nos temas de urbanismo e mobilidade com foco em crianças pequenas e seus cuidadores e uma consultoria para o aprimoramento de políticas e programas oferecidos por especialistas na área.

Com o objetivo final de construir espaços públicos seguros, inspiradores e democráticos nas cidades, o projeto pretende ainda apoiar a implementação e monitoramento de Planos Municipais pela Primeira Infância, mecanismos que garantam a contínua priorização da agenda para a primeira infância pelos gestores públicos.

A representante da Fundação Bernard Vanleer, Cláudia Freitas Vidigal, se disse muito feliz com a parceria firmada com os municípios que passam a integrar a rede Urban95. Ela lembrou que Aracaju já é uma parceira da fundação através de um projeto desenvolvido junto ao Banco Interamericano do Desenvolvimento.

Participaram do lançamento da rede os prefeitos Roberto Cláudio (Fortaleza/CE), Teresa Surita (Boa Vista/RR), Raquel Lira (Caruaru/PE), Paula Mascarenhas (Pelotas/RS), Luíz Fernando Machado (Jundiaí/SP), José Ailton (Crato/CE), Haroldo Fernandes (Ubiratã/PR) e Fernanda Hassem (Brasiléia/AC), além do vice-prefeito de Campinas (SP), Henrique Teixeira.

Fonte e foto assessoria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Linda Brasil aprova em primeira discussão projeto que exige de intérprete de Libras
Dra. Paula Saab recebe Moção de Aplausos da Câmara Municipal de Aracaju
Alessandro Vieira trabalhou de forma intensa para melhorias na PEC dos Precatórios
TRE-SE cassa mandato do deputado federal Valdevan Noventa em votação unânime, mas cabe recurso junto aoTSE