Aracaju, 4 de agosto de 2021

Curso de corte e costura do Senar/SE capacita mulheres em Itaporanga D’Ajuda

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Levar capacitação e estimular o empreendedorismo é o objetivo do curso de corte e costura oferecido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural em Sergipe – Senar/SE. O curso acontece até a próxima sexta-feira, 23, no município de Itaporanga, em parceria com a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).

O objetivo do treinamento é capacitar os participantes para confecção de peças do vestuário feminino e masculino e operar a máquina de costura utilizando técnicas avançadas. A coordenadora de Formação Profissional Rural – FPR, Valéria Vilanova, destaca que o curso completo tem carga horária de 100 horas.

“Inovamos a metodologia desse treinamento com o propósito de despertar o interesse empreendedor dos participantes. O curso é divido em três momentos, o primeiro com 40h de noções básicas de corte e costura, em seguida 20h de empreendedorismo e finaliza com 40h de corte e costura teoria e prática. O curso está sendo realizado respeitando todas as medidas de segurança por conta da COVID-19 ”, afirma Valéria.

As alunas aprendem durante o curso a fazer modelagem, montagem, corte, confecção e acabamento. Segundo a instrutora Maria Auxiliadora dos Santos Barbosa, as alunas aprendem técnicas avançadas de costura e saem habilitadas para atuarem no mercado de trabalho.

“O curso mostra que elas podem conquistar sua independência financeira juntando o conhecimento que elas já têm com as técnicas ensinadas. No curso básico é passado o conhecimento sobre maquinário e suas funções e a noção da costura. Já no curso avançado, revisamos tudo e a costura é mais diversificada com peças mais trabalhadas”, afirma a instrutora Maria Auxiliadora.

A aluna Emilly Mirelle Góis conta que aprendeu a costurar através de vídeos na internet. Ela já trabalha com costura e espera com o curso do Senar aprimorar as suas técnicas e trabalhar no ramo.

“Eu já sabia costurar, mas não uma costura aprofundada. Eu reformava roupa e costurava algumas coisas. Hoje eu já sei tirar medidas, usar corretamente um tecido em determinada máquina, sei fazer acabamentos e até construir peças do zero. Tudo graças ao curso. Aprendi coisas que não faço no dia a dia, a exemplo de fardamento escolar”, afirma Emilly.

Por Adriana Freitas

Foto assessoria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Pablo Sanábio chora ao lembrar da chegada da filha durante gravação de ‘Sob Pressão’
Bruna Marquezine faz aniversário e ganha homenagens: “Você é o próprio paraíso”
Thales Bretas fala de 3 meses da morte de Paulo Gustavo: “Vácuo na vida”
Justiça condena um dos quatro acusados de matar três homens dentro de hospital em Aracaju