Aracaju, 3 de dezembro de 2021

Presidente da CBVD participa de Mesa Redonda sobre futuro do esporte brasileiro

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Na última terça-feira, 20, o presidente da Confederação Brasileira de Voleibol para Deficientes (CBVD), Ângelo Alves Neto, integrou uma Mesa Redonda voltadas ao debate sobre o futuro do esporte brasileiro. O encontro fez parte da programação da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, promovido pelo Instituto Federal de Sergipe (IFS).

Além do representante da CBVD, também marcaram presença no debate a secretária Nacional do Esporte, Lazer e Inclusão Social e ex atleta Olímpica, Fabiola Molina; a superintendente do Esporte de Sergipe, Mariana Dantas; o secretário Municipal de Esporte e Lazer de Aracaju, Sérgio Thiessen, o presidente do Conselho Regional de Educação Física de Sergipe, Gilson Dória; o vice-presidente da Confederação Brasileira de Futebol de Mesa, Paulo Degani; e o coordenador de esporte do IFS, Oswaldo Mendonça.

Iniciando seu discurso relatando sua trajetória esportiva, o presidente da CBVD fez um apanhado de todas as modalidades que já praticou. “Tive poliomielite no início da minha vida e comecei a carreira esportiva no xadrez, depois tênis de mesa, natação, até conhecer o vôlei sentado jogando pelo IFS. Meu sonho era participar do Circuito Loterias Caixa e para isso, ingressei no Ciep, fomos atrás das documentações para cadastrar e participar das competições. O trabalho deu tão certo que depois me convidaram a concorrer à presidência da CBVD”, destacou Ângelo.

De acordo com a secretária Nacional do Esporte, todo atleta tem um sonho muito forte. “Nos que fomos atletas a palavra sonho é muito forte e presente. Vi o Ângelo comentar sobre o início da carreira, que viveu o seu sonho e finalmente realizou. Fui atleta e vislumbro que o esporte posso chegar em todas as camadas da sociedade. Estou como secretária desde fevereiro, logo após veio a pandemia, e estou lutando para fomentar. Vejo como nossas deficiências podem ser superadas”, frisou Fabiola Molina.

Destacando o desporto como uma ferramenta para a felicidade, o coordenador de esporte do IFS relatou sobre a iniciativa do evento. “Mesmo antes da pandemia, o nível de ansiedade na população já era elevado. A pandemia agravou e o esporte é a ferramenta para livrar a sociedade desta doença silenciosa. Temos orgulho de Ângelo, que é um sergipano representando o Brasil em uma confederação, além de ser a única modalidade coletiva a classificar as duas seleções para os Jogos Paralímpicos Tóquio 2021”, afirmou Oswaldo Mendonça.

Por Danilo Cardoso

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Adema divulga o resultado de análise da água das barragens no município de Glória
Núcleo de Apoio ao Trabalho informa vagas disponibilizadas
Defesa Civil atua de forma conjunta na elaboração de pedido de situação de emergência em Canindé
Defesa Civil interdita a ciclovia da ponte sobre o rio Poxim