15/01/21 - 14:33:34

ALESSANDRO QUER CONVOCAR PAZUELLO PARA PRESTAR ESCLARECIMENTOS

O Senador Alessandro Vieira (Cidadania – SE) acaba de apresentar requerimento de convocação do Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para obrigá-lo a comparecer ao Senado e prestar os esclarecimentos sobre o planejamento para a vacinação, o controle da pandemia e a segurança sanitária dos estudantes durante a realização do Enem. Além de protocolar o requerimento no Senado, Alessandro tenta também apresenta-lo na Câmara dos Deputados.

Para o senador, “enquanto o Ministério da Saúde se encontra em estado de paralisia e flagrante negacionismo em relação a pandemia do coronavírus e às suas consequências na vida dos brasileiros, o país acompanha apreensivo o colapso do sistema de saúde de Manaus, onde a população local padece de falta de insumos básicos para o combate efetivo à doença, como o oxigênio, o que torna a situação dos enfermos ainda mais dramática e penosa”.

Alessandro ressalta ainda os inúmeros programas efetivos de vacinação contra a Covid-19 que já foram iniciados em mais de 50 países do mundo. Número esse que corresponde a 26% dos 193 países-membros da Organização das Nações Unidas (ONU) e o Brasil continua fora desse grupo. Entre os países sul americanos, o Brasil encontra-se em desvantagem: Argentina e Chile já começaram a vacinar sua população. “Até o presente momento, cerca de 17,5 milhões de pessoas já foram vacinadas em todo o mundo”,afirma.

O senador ressalta que a má gestão no enfrentamento à pandemia agravou a situação em diversos estados, como Manaus. “Enquanto os países caminham para a vacinação cientificamente comprovada e com planos objetivos de imunização, o Governo brasileiro, através do Ministério da Saúde, enviou ofício no dia 7 de janeiro de 2021 à Secretaria de Saúde de Manaus, de modo a constranger as autoridades do estado a adotarem a cloroquina e hidroxicloroquina, além do antibiótico azitromicina, medicações sem qualquer eficácia comprovada cientificamente para o combate à doença”, lembra.

No texto do citado ofício, lê-se: “Aproveitamos a oportunidade para ressaltar a comprovação científica sobre o papel das medicações antivirais orientadas pelo Ministério da Saúde, tornando, dessa forma, inadmissível, diante da gravidade da situação de saúde em Manaus a não adoção da referida orientação”.

Na avaliação de Vieira: “em postura ainda mais grave, o Ministro da Saúde esteve na capital amazonense no dia 11 de janeiro, ocasião em que recomendou o tratamento precoce do kit cloroquina, reforçando a adoção de protocolo contrário às melhores práticas de tratamento da doença e sem comprovação que se baseie em evidências científicas, colocando em risco milhares de vidas”.

Segundo Vieira, “ além da inação e inabilidade frente aos problemas emergenciais e complexos que resultam do descontrole da pandemia no país, o plano emergencial de vacinação apresenta vaguezas e inconsistências que aumentam as desconfianças e incertezas da população em relação a sua real efetividade e aplicabilidade na prática. Também preocupa sobremaneira a precariedade das soluções logísticas que põe em xeque a possibilidade de vacinação massiva da população, como a falta de ofertas de materiais básicos como seringas que garantam as duas aplicações, conforme declaração do Ministro dada ao Supremo Tribunal Federal (STF), no último dia 13 de janeiro”.

O senador também acredita que há outra questão central e de relevante importância  que deve ser esclarecida pelo Ministério da Saúde: o posicionamento das autoridades sanitárias do governo federal frente a realização das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), dada a inflexibilidade do Ministério da Educação em possibilitar reaplicações ou discutir o adiamento da data das provas.

“Por todos estes motivos, entre outras razões de flagrante inabilidade e insensibilidade do governo federal em lidar com seriedade e eficiência com a atual crise sanitária sem precedentes na história do país, convocamos urgentemente o Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, a comparecer no Plenário do Senado Federal para prestar os devidos esclarecimentos à população brasileira”, explica.

Fonte e foto assessoria