Aracaju, 1 de agosto de 2021

IML DISPONIBILIZA ESPAÇO DE ACOLHIMENTO ÀS MULHERES VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

O Instituto Médico Legal (IML) dispõe de um espaço com ambientação acolhedora para o atendimento às mulheres vítimas de violência doméstica e sexual, a Sala Rosa. Recentemente, uma novidade se somou ao espaço, o projeto de humanização e acolhimento no atendimento do IML. Uma equipe preparada e capacitada para receber as vítimas encaminhadas à instituição para exames de corpo de delito, atua, exclusivamente, na recepção e assistência delas. Em 2020, 568 mulheres foram atendidas na Sala Rosa, sendo 257 vítimas de violência sexual e 311 de violência doméstica.

No espaço, as mulheres são recebidas por duas profissionais, do sexo feminino, sendo uma recepcionista e outra psicopedagoga. Elas realizam o acolhimento da vítima vulnerável ainda na recepção e a encaminham para a Sala Rosa, onde as profissionais realizam o atendimento, utilizando técnicas adequadas para cada caso e, ao final, emitem um relatório, que é de grande valia para o perito.

O diretor do IML, Victor Barros, destacou que outro grande diferencial da Sala Rosa é que o local permite que as mulheres sejam atendidas com total privacidade, evitando, assim, o constrangimento de serem vistas por outras pessoas enquanto aguardam para fazer os exames de corpo de delito. “A Sala Rosa foi criada pensando nas vítimas de violência sexual e doméstica. É uma sala cuja cor transmite o sentimento de paz e de acolhimento. Nesse ambiente, realizamos a primeira abordagem dessas vítimas, o acolhimento delas”, ressaltou.

Ainda conforme Victor Barros, apenas as duas servidoras da Coordenadoria Geral de Perícias (Cogerp) – recepcionista e psicopedagoga – têm acesso à sala. “Temos duas profissionais que realizam essa abordagem, tentando passar e transmitir conforto, ganhando a confiança, o que vai favorecer bastante a realização do exame pericial, no primeiro momento e, depois, a procura pelo atendimento psicológico. É uma sala diferenciada e separada dos demais ambientes. Apenas as vítimas de violência sexual e doméstica permanecem nessa sala. O acesso é vedado a qualquer outra pessoa”, detalhou.

Victor Barros salientou também que as vítimas de violência passaram a se sentir ainda mais acolhidas na instituição e a incidência de rejeição ao exame comprobatório dos crimes praticados contra elas teve redução. “Sabemos que, quando essa vítima chega ao IML, ela está bastante abalada e tentamos abordá-la, nesse primeiro momento, fazendo com que ela tenha, principalmente, confiança, porque pelo Código de Processo Penal, não podemos forçá-la a um exame que não queira. Antes as vítimas se recusavam a realizá-lo, mas depois que instituímos esse acolhimento a taxa de rejeição caiu bastante”, realçou.

Acolhimento

A servidora do IML e psicóloga, que também atua no acolhimento das vítimas na Sala Rosa, Andreia Novais, reforçou que o atendimento especializado visa trazer confiança às vítimas de violência desde a chegada na instituição até a realização dos exames periciais. “No momento que a vítima adentra ao IML, encaminhamos, após a coleta de documentos, à Sala Rosa, propiciando a preservação da identidade e do sigilo que o caso requer. Elas aguardam até a realização do exame e, durante esse momento, fazemos a escuta dessas vítimas, colhemos o relato”, explicou.

O trabalho do diálogo junto às vítimas é essencial para o acolhimento delas no andamento dos exames e identificação da presença de sinais de violência física, psicológica e sexual. “Aqui a mulher se sente mais à vontade e tentamos estabelecer um vínculo de confiança. Em poucos minutos, tentamos estabelecer esse vínculo e explicamos sobre a realização do exame de corpo de delito e sexológico. As vítimas chegam aqui com traumas físicos e psicológicos. Elas chegam muito abaladas e tentamos tranquilizá-las, fazendo com que vençam a barreira do medo”, assinalou Andreia Novais.

Fonte e foto SSP

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Nenhuma aposta acertou as seis dezenas do concurso 2.395 da Mega
Prefeitos e lideranças aprovam “união” de André Moura e Fábio Mitidieri  
Sergipe empata na Série D enquanto o Confiança perde na Série B do brasileirão
Condutor morre após colidir veículo de passeio com poste na avenida Beira Mar em Aracaju