Aracaju, 3 de agosto de 2021

MUNICÍPIOS SERGIPANOS PODEM ADERIR AO PROGRAMA DO TRANSPORTE ESCOLAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

O Estado tem contrato com 52 municípios sergipanos, 14 dos quais já fizeram adesão ao Pete e 38 continuam com o convênio

Em vigência desde julho de 2020, o Programa Estadual Transporte Escolar (Pete/SE), instituído por meio da Lei n° 8.705, do Governo de Sergipe, vem tornando a parceria Estado e municípios cada vez mais eficiente no sentido de disponibilizar recursos para transporte de estudantes da rede pública. Para tanto, o programa, que é administrado pela Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc), busca transferir aportes financeiros diretamente aos municípios que realizam, nas suas respectivas áreas de circunscrição, o transporte escolar de alunos matriculados nas escolas estaduais, vinculados ao Ensino Fundamental, Médio, Educação Profissional e Educação de Jovens e Adultos, bem como todas as demais modalidades de ensino.

O valor dos recursos do Pete/SE a ser repassado a cada município terá como parâmetro o número de alunos beneficiários do transporte escolar matriculados em unidades da Rede Estadual e a extensão territorial dos municípios. Já o repasse se destinará, exclusivamente, ao pagamento das despesas com a manutenção do serviço de transporte escolar, que pode ser executado, de forma direta ou terceirizada, pelo município. O programa também parte da premissa de que os entes federados devem atuar de forma conjunta, otimizando os esforços, reduzindo a prestação de serviços redundantes e promovendo a eficácia nas despesas públicas, de modo que nenhum aluno, quer seja da rede estadual, municipal ou federal, fique sem transporte.

Para o secretário da Seduc, professor Josué Modesto dos Passos Subrinho, a adesão é um passo concreto no regime de colaboração da Seduc com as secretarias municipais de Educação. “A colaboração com os municípios não se sustenta em abstração, mas sim em ações concretas. O programa estadual faz parte dos esforços para a sincronização dos calendários escolares, do Programa Alfabetizar Pra Valer e do ICMS Social. Tudo é pautado numa relação de respeito e de busca do sucesso dos estudantes no processo de aprendizagem”, afirma.

O coordenador da Divisão de Transportes da Seduc (Ditran), Alisson Pedral, explica que o programa possibilita uma série de vantagens para os municípios. “Dentre elas, estão a facilitação da logística do transporte e a economia de recursos com a redução da quantidade de veículos em circulação. “Muitas vezes o Estado e o município mandam ao mesmo tempo dois ônibus para um povoado, sem haver necessidade. Com o programa, tem a possibilidade de unificar esse serviço, disponibilizando apenas um veículo para atender aos alunos da rede estadual”.

Atualmente, o Estado tem contrato com 52 municípios sergipanos, 14 dos quais já fizeram adesão ao Pete e 38 continuam com o convênio, instrumento já utilizado pela Seduc antes da criação do programa estadual que regulamenta o transporte escolar. “O convênio permanece porque, em decorrência da suspensão das aulas presenciais, houve a necessidade de fazer o aditivo. Conduto, o município que tiver com o contrato em fase de conclusão, já está comparecendo à Secretaria e assinando o novo termo”, disse Alisson Pedral, informando que as equipes municipais podem acessar o Portal da Transparência da Seduc e buscar mais informações sobre valores e como fazer o cálculo de repasse.

“O pagamento é feito de forma automática. São divididos em 11 parcelas que são repassadas aos municípios. O cálculo é feito da seguinte forma: a gente trabalha sempre com o Censo Escolar do ano anterior, no qual se pega a quantidade de alunos que são matriculados e necessitam de transporte escolar, faz-se um cálculo com a faixa territorial e qual modalidade de ensino, porque hoje nós temos o Novo Ensino Médio e Ensino Médio em Tempo Integral, que têm horários diferenciados. Então, quando há municípios matriculados nessas modalidades, a Prefeitura recebe um recurso a mais por aluno”, informou Pedral.

Outro ponto que é levado em consideração e traz muitos benefícios aos munícipios que aderiram ao Pete é a unificação do calendário escolar com o ano civil. “A partir do momento em que o prefeito assinou o termo de adesão, consequentemente ele vai querer unir o calendário dele com o nosso porque fica bem mais fácil começar e terminar juntos, promovendo também mais economia de recursos”, concluiu o gestor de Transportes da Seduc.

Mais informações sobre a legislação podem ser obtidas por meio do endereço: www.seduc.se.gov.br/transparencia.asp. No espaço, também estão disponíveis os termos de adesão, documentos necessários, além das portarias da Seduc que regulamentam o programa na Rede Estadual.

Assessoria de Comunicação da SEDUC

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

UFS registra média anual de quase 19 pedidos de patentes desde 2011
PL inclui surdo unilateral nas cotas para deficientes em concursos públicos
Eduardo participa de solenidade para cidade mais sustentável
“O PSB se organiza para ser mais uma vez protagonista”, afirma Valadares Filho