Aracaju, 3 de agosto de 2021

PROCON ARACAJU INTENSIFICA VISTORIAS EM AÇOUGUES E PADARIAS NA CAPITAL

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

A partir desta segunda-feira, 22, a Prefeitura de Aracaju reforça as fiscalizações do Programa Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon Aracaju) em açougues e padarias da capital. O órgão, que integra a Secretaria da Defesa Social e da Cidadania (Semdec), averigua o cumprimento da legislação consumerista, por meio de ações sistemáticas, a partir de um cronograma de atividades.

Esse trabalho visa promover o equilíbrio nas relações de consumo e assegurar o respeito aos direitos dos consumidores. Para isso, o Procon Aracaju intensifica, rotineiramente, as vistorias nas quais realiza observações pertinentes ao segmento contemplado. Entre os aspectos verificados estão a precificação, validade dos produtos expostos à venda e a informação prévia quanto a possíveis diferenciações de preços a partir da forma de pagamento.

O coordenador do órgão municipal de proteção ao consumidor, Igor Lopes, ressalta que há questões específicas a serem analisados pelos fiscais nesses estabelecimentos, a exemplo da comercialização da carne previamente moída nos açougues.

“A Lei municipal nº 5.010/2018 proíbe essa prática. O processo de moagem precisa acontecer na presença do consumidor, exceto as carnes que já são industrializadas e possuem certificação dos órgãos oficiais, que fazem todo o processo de vistoria”, destacou.

Outro aspecto pertinente diz respeito à rotulagem dos produtos, que deve ocorrer de maneira mecânica, com base na Lei Municipal nº 5154/2018, por meio da qual fica proibido que esse processo ocorra de forma manual. “As informações referente à validade precisam ser impressas mecanicamente na própria embalagem, visando coibir que haja uma possível remarcação ou adulteração dessas informações, com foco na proteção à saúde e integridade física do consumidor”, explicou Igor Lopes.

Também é observado o possível condicionamento de um valor mínimo para pagamento no cartão de crédito ou débito, o que se configura como prática abusiva, de acordo com a Lei Federal nº 8.078/1990. “É possível que haja diferenciação de preço a partir da forma de pagamento, mediante informação prévia ao consumidor. No entanto, essa determinação do valor mínimo é proibida por Lei”, enfatizou.

Para esclarecer dúvidas ou registrar reclamações, os consumidores podem entrar em contato com o Procon Aracaju por meio do SAC 151 ou pelo telefone 3179-6040, em dias úteis, de segunda a sexta-feira, das 8h às 13h. Também é possível encaminhar a solicitação através do e-mail procon@aracaju.se.gov.br.

Fonte e foto ascom Procon Aracaju

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Eduardo participa de solenidade para cidade mais sustentável
“O PSB se organiza para ser mais uma vez protagonista”, afirma Valadares Filho
Ao visitar a Estre Ambiental, Sergas analisa a possibilidade de aproveitar  o Biogás
Operação Fio da Meada: PC cumpre mandado de busca e apreensão em Nossa Senhora das Dores