Aracaju, 5 de agosto de 2021

Faese apresenta resultados da pesquisa sobre segurança no campo

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Sergipe (Faese) apresentou nesta terça-feira, 2, o resultado da pesquisa sobre segurança no campo realizada em parceria com a Secretaria de Segurança Pública (SSP). O objetivo foi mapear as principais informações sobre a segurança no campo.

O levantamento foi realizado de novembro de 2020 a janeiro de 2021 com a participação de 186 produtores de todas as regiões do estado. A pesquisa apontou os principais tipos de violência no campo: 75% dos produtores sofreram ameaça, 30,9% agressão física, 5% violência que resultou em morte na família, entre outros. O produtor tinha a opção de responder mais de uma opção.

Já em relação à violência patrimonial no campo, a pesquisa apontou que 55,1% dos produtores já sofreram roubo/furto na residência, 45,6% roubo/furto de animais e em terceiro com 30,9% roubo/furto de equipamentos, objetos e utensílios. A pesquisa também apontou que 64% dos produtores já sofreram violência no campo e 73,4% não se sentem seguro no campo.

O presidente da Faese, Ivan Sobral, afirma que muitos produtores trabalham com insegurança e a pesquisa é importante para auxiliar a SSP no combate ao crime rural.

“Com a pesquisa, colhemos diversas informações com o produtor rural em relação aos crimes que ocorrem na zona rural. O resultado colabora com a SSP no sentido de apresentar um diagnóstico e com o trabalho e planejamento desta delegacia especializada. A nossa intenção é que esses dados colaborem na elucidação de crimes e desarticulação de quadrilhas para que o ambiente na zona rural seja o melhor possível e o produtor produza alimento com segurança”, afirma Ivan Sobral.

Delegacia de Repressão aos Crimes Rurais

Um dos pleitos defendido pela Faese, atendido pelo Governo do Estado, foi a criação de uma delegacia especializada em combate aos crimes rurais que já está em funcionamento. Durante a apresentação dos resultados da pesquisa, a Faese realizou a doação de equipamentos para a delegacia que ajudarão no desempenho dos trabalhos e deslocamento das equipes nos locais onde ocorrem os crimes.

“A Delegacia de Repressão aos Crimes Rurais representa mais uma conquista para os produtores rurais sergipanos. Temos uma parceria com a SSP na criação desta delegacia no sentido de auxiliar o produtor rural na ponta, que está no campo produzindo alimento e acaba sendo alvo de algumas quadrilhas. Hoje fizemos a doação de notebooks e impressoras que vão colaborar no combate e elucidação desses crimes na zona rural”, pontua Ivan.

O delegado da Unidade de Delegacia Rural, Fernando Melo, destacou a importância da parceria com a Faese e pontuou que algumas ações já estão sendo realizadas para combater o crime no campo.

“Essa parceria com a Faese facilita muito o trabalho, principalmente dos produtores. Hoje o produtor não precisa mais se dirigir à delegacia, pois a polícia vai até o local do crime para conversar com os produtores e testemunhas para colher mais detalhes e efetivamente combater o crime que vem crescendo nesta área, principalmente roubo e frutos de animais para abate e comercialização. Diversas operações estão sendo montadas e quadrilhas monitoradas. A pesquisa da Faese fez um diagnóstico de como está a segurança no meio rural e vamos tomar as devidas providências para suprir as necessidades”, explicou o delegado Fernando.

Por Adriana Freitas

Foto assessoria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Deputado Talysson cobra ponto de ônibus coberto em N. Srª Aparecida
Aprovado na Alese o pedido de regularidade de abastecimento de água em Muribeca
Deputada solicita isenção de tarifas em transportes coletivos em Aracaju
Ipesaúde inclui cirurgião torácico em seu leque de especialidades