11/03/21 - 08:23:19

Votos da discórdia

Por Adiberto de Souza

Os deputados federais João Daniel (PT) e Fábio Henrique (PDT) foram os únicos parlamentares de Sergipe a votarem contra a PEC Emergencial que, entre outras coisas, garante uma ajuda média de R$ 250 às vítimas da pandemia, desempregadas e passando fome. Diante da reação contrária aos dois votos, Fábio e Daniel correram para explicar que não são contra o auxílio emergencial, mas não poderiam votar nas “cascas de banana” colocadas na PEC pelo governo. Entre estas maldades, destaca-se uma congelando os salários, proibindo a progressão da carreira e as promoções de servidores públicos por exagerados 15 anos. Ademais, afirmam os dois deputados, os opositores da PEC defendem um auxílio emergencial de R$ 600. Quem ouve os argumentos dos contrários à proposta do governo concorda de pronto. O problema é explicar e convencer os milhões de miseráveis, que esperam ha meses pelo prometido dinheiro, rezando que a ajuda chegue antes do que o coronavirus. Misericórdia!

Novos bairros

Os vereadores aprovaram o projeto da Prefeitura criando seis novos bairros em Aracaju. Na verdade, os povoados São José dos Náufragos, Mosqueiro, Areia Branca, Gameleira e Matapuã, localizados na Zona de Expansão, foram transformados em áreas urbanas da capital. Segundo o prefeito Edvaldo Nogueira (PDT), a mudança aprovada pela Câmara facilitará o planejamento da cidade, permitindo à prefeitura atuar melhor sobre aquela região. Então, tá!

Abaixo o preconceito

As mulheres negras são o principal alvo de comentários depreciativos nas redes sociais. Estudo feito pelo pesquisador e PHD em Sociologia Luiz Valério Trindade, mostra que entre os que disseminam intolerância racial, 65% são homens na faixa de 20 e 25 anos. Já 81% das vítimas de discurso depreciativo são mulheres negras entre 20 e 35 anos. As principais vítimas de agressões na internet são médicas, jornalistas, advogadas e engenheiras negras. Home vôte!

Sem encontro de contas

O governo de Sergipe abriu mão do encontro de contas que fazia com a Energisa, desde 2018. A troca de dívidas de energia consumida por ICMS devido chegou ao fim graças a projeto do Executivo aprovado pela Assembleia. Segundo o deputado estadual Francisco Gualberto (PT), o encerramento do encontro de contas demonstra que a situação fiscal do estado voltou à normalidade, permitindo o pagamento das faturas oficiais sem precisar trocar dívida por imposto. Marminino!

Sem lockdown

E nesta quinta-feira, as atenções estão voltadas para a reunião do Comitê Técnico Científico, que pode endurecer ainda mais as medidas visando conter a pandemia em Sergipe. Pelo que tem dito o governador Belivaldo Chagas (PSD), não há risco de decretação de lockdown no estado, porém é provável que se deixe pra mais tarde a volta das aulas presenciais. A depender da avaliação do Comitê, o governador pode aumentar as restrições visando diminuir ao máximo as aglomerações de pessoas. Aguardemos, portanto!

Risco zero

Não há estudos comprovando a relação da radiação emitida pelas antenas de celular com o surgimento de doenças. O professor de engenharia elétrica Leonardo Menezes, diz que é praticamente consenso que a exposição à radiação das antenas não tem efeito notável nenhum sobre a saúde. Mas, segundo ele, ainda há dúvidas dos efeitos do uso prolongado dos aparelhos de celular. “É muito mais provável o efeito do telefone em si do que da torre”, diz Leonardo. Será mesmo?

Déda vive

Nascido em Simão Dias no dia 11 de março, se vivo fosse o ex-governador Marcelo Déda (PT) estaria completando 61 anos nesta quinta-feira. Vítima de um câncer, o petista morreu prematuramente em 2 de dezembro de 2013. Líder estudantil, deputado estadual mais votado de Sergipe, deputado federal, prefeito de Aracaju e governador por dois mandatos, Marcelo Déda deixou como exemplos a seriedade, o compromisso com a palavra empenhada e a fidalguia na forma de fazer política. Por tudo isso, a morte deste ilustre cidadão foi uma perda irreparável para Sergipe. Viva Déda!

Deixe pra depois

O deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) acha que 2022 “tem que ficar para 2022”. Segundo ele, a hora é de lidar com a triste realidade vivida pelos brasileiros, que assistem impotentes recordes diários de morte por coronavírus, sem que haja vacinas em número suficiente para enfrentar a pandemia. A preocupação de Mitidieri é idêntica à de Valadares Filho, presidente estadual do PSB: “Priorizar o debate meramente político não nos ajudará nesse momento. O cidadão quer saber quando tomará a vacina, quando vai poder voltar a tratar outras doenças e recuperar o emprego”, diz Vavazinho. Certíssimo!

Boas novas

A indústria catarinense Altenburg vai investir R$ 36 milhões numa nova fábrica no município sergipano de Socorro. Especializada em produtos de cama, mesa e banho, a empresa espera dobrar a sua capacidade produtiva com a nova unidade, que deverá ser inaugurada ainda no primeiro semestre deste ano. “Esse investimento se faz necessário em um momento de amadurecimento de nossa produção na região”, explica Tiago Altenburg, diretor comercial da empresa. Legal!

Capitão contrariado

Não esperem mais ouvir o deputado estadual Capitão Samuel (PSL) fazer a defesa ardorosa do presidente Jair Bolsonaro. O parlamentar se diz decepcionado com o capitão de pijama, que não cumpriu as promessas feitas aos profissionais de segurança. “A partir de hoje, não terei mais lados políticos em nível nacional”, prometeu o bolsonarista. Como perguntar não ofende: e como fica o Título de Cidadão Sergipano concedido a Bolsonaro por sugestão de Samuel? Será entregue mesmo após o rompimento? Crendeuspai!

Recorte de jornal

Publicado no jornal aracajuano Diário da Manhã, em 17 de dezembro de 1918.