12/03/21 - 11:21:35

Vilões viram mocinhos? Lula não é inocente ou vítima, mas joga pra plateia! 

Boa parte da “grande mídia” do País, que investigou, denunciou e contribuiu para a prisão do ex-presidente Lula e o processo de decadência do PT, hoje, insatisfeita e “faminta” após o corte de verbas vultosas pelo governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), tenta a todo custo, desgastar o atual mandatário e “vender” o retorno da hegemonia petista no Brasil. Se existe o “vale-tudo eleitoral” para alguns políticos; para alguns setores da imprensa sobre o “vale-tudo comercial”.

É inegável que a polêmica decisão do ministro Édson Fachin, do STF, anulando as condenações contra o ex-presidente “inflamou” a militância petista em todo o País, entidades sindicais, movimentos sociais e (PASMEM) parte da “grande mídia”! Se de um lado tentam descontruir o governo Bolsonaro, como um todo; do outro, agora parecem apostar “todas as fichas” na elegibilidade de Lula. E seus seguidores estão certos em acreditar e sonhar, em apostar na “única ficha” que restou…

Mas é importante sempre ressaltar que, em momento algum Lula foi inocentado, que seus processos serão retomados, ou do princípio, ou até com a ratificação das decisões da Justiça Federal do Paraná, agora no Distrito Federal. O ex-presidente “está” elegível, mas pode ou não continuar nesta condição muito em breve. Agora é inegável que sua presença mudou sim o cenário político do País! Sua coletiva/comício serviu como “teste” para 2022, mas para muitos foi um grande desabafo…

Se a turma da “Operação Lava Jato” cometeu, equívocos ou excessos, os processos andarão e todos serão investigados e/ou responsabilizados, agora o que o brasileiro, em sua maioria não aceita, é que essa “grande mídia”, partidos políticos, setores da oposição e o próprio Lula queiram pregar “moralidade e decência”! A decisão de Fachin é controversa, carregada de “interrogações”, mas o povo não quer (e nem crê) na mudança de “vilões para mocinhos”. Não é “ficção”, mas uma encenação!

Lula dizer, em alto e bom som, diante de uma plateia de jornalistas que o conheceu muito bem, que foi vítima da maior mentira já contada no Brasil? Com todo respeito, o petista já está mentindo, novamente! Será que nos governos dele e de Dilma Rousseff (PT) não existiu corrupção? O que foi o Mensalão? E o Petrolão? Para rimar, tudo mentira e pura animação? Perseguição também rima com delação? Se fizer uma “reunião”, termina montando uma “seleção”… de horrores! Haja coração!

Lula não é inocente e nem é vítima! O Instituto Paraná Pesquisas ouviu 2.215 brasileiros de todos os Estados e 57,5% discordam da decisão de Fachin, anulando as condenações; 37,1% concordaram e 5,4% não comentaram! Em outro levantamento, agora com 2.002 brasileiros, 59,2% avaliam que o ex-juiz Sérgio Moro foi imparcial no julgamento contra 35,3% que o acham parcial e 5,5% não comentaram. Em síntese, se tem alguém “mentindo” para o País, certamente não são os “números”…

Veja essa!

O Instituto Paraná Pesquisas ouviu 2.215 brasileiros de todos os Estados, entre os dias 8 e 9 de março, e 57,5% discordam da decisão do ministro Édson Fachin, do STF, anulando as condenações de Lula; 37,1% concordaram e 5,4% não comentaram! O grau de confiança é de 95% para uma margem de erro de 2%. A Paraná Pesquisas encontra-se registrada no Conselho Regional de Estatística da 1ª, 2ª, 3ª, 4ª, 5ª, 6ª e 7ª Região sob o nº 3122/20.

E essa!

Em outro levantamento, agora com 2.002 brasileiros, entre os dias 8 e 10 de março, 59,2% avaliam que o ex-juiz Sérgio Moro foi imparcial no julgamento contra 35,3% que o acham parcial e 5,5% não comentaram. O grau de confiança é de 95% para uma margem de erro de 2%. A Paraná Pesquisas encontra-se registrada no Conselho Regional de Estatística da 1ª, 2ª, 3ª, 4ª, 5ª, 6ª e 7ª Região sob o nº 3122/20.

 Luciano Bispo I

O deputado estadual Luciano Bispo (MDB) será homenageado com a Medalha Mérito Previdenciário, honraria instituída pelo governo do Estado de Sergipe, através do Decreto 40.764 de 09 de Fevereiro de 2021. A homenagem tem como objetivo principal agraciar personalidades civis e militares, instituições públicas e privadas, que tenham contribuído para o desenvolvimento do Regime Próprio de Previdência Social do Estado de Sergipe.

 Luciano Bispo II

A indicação para a outorga da honraria para Luciano Bispo partiu do Conselho Estadual de Previdência do Estado de Sergipe e obteve aprovação, por unanimidade, de seus membros. É a primeira versão da Medalha que será entregue e o deputado já foi notificado pelo Presidente do Conselho Estadual de Previdência do Estado de Sergipe, George da Trindade Góis.

 Luciano Bispo III

“Confesso que estou surpreso e honrado. Quero agradecer aos membros do Conselho pela indicação e aprovação de meu nome. Essa questão previdenciária atormentava a todos nós, havia uma preocupação geral com o equilíbrio das finanças do Estado. Hoje, felizmente, o governo vem conseguindo esse ajuste fiscal e já começou a pagar os servidores em dia”, pontua Luciano.

Georgeo Passos I

O deputado estadual Georgeo Passos (Cidadania) externou sua preocupação com o fim da vigência, no próximo dia 31, do Convênio ICMS 100/97, voltado para o agronegócio brasileiro, reduzindo nos Estados a carga de ICMS em uma série de insumos agropecuários essenciais para o segmento.

Georgeo Passos II

Georgeo explica que desde aprovado o Convênio ICMS 100/97 tem prazo finito de vigência, sendo sucessivamente prorrogado desde a sua publicação. O deputado alerta que essa prorrogação depende da provação de todos os Estados e do Distrito Federal no âmbito do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), mas que recebeu informações que Estados como Sergipe e Ceará são contrários a mais uma prorrogação.

Alimentos mais caros

“Os benefícios fiscais são concedidos em várias frentes para o setor agropecuário. Tomei conhecimento que Sergipe e Ceará são contrários e que só aceitam a prorrogação se acabar com o benefício fiscal para fertilizantes importados. O que nos preocupa é o fato de a tensão aumentar, e se não renovar esse benefício especificamente, vamos colocar em risco uma gama de outros benefícios para o setor agropecuário e, com isso, os produtos agrícolas podem ficar mais caros, e assim os alimentos, e a sociedade vai pagar a conta”, alertou o deputado.

Sergipe e Ceará

Georgeo ainda pontuou que a sociedade já vem sofrendo com a política de remarcação de preços e que tudo vem aumentando no mercado. “Temos que ter muita sabedoria e preocupação, temos que olhar essa questão dos fertilizantes, porque quem comprar mais caro vai querer repassar o preço para o consumidor final e o secretário de Estado da Fazenda já nos alertou sobre um vídeo que vem circulando nas redes sociais, muito agressivo, colocando os Estados de Sergipe e Ceará como inimigos do agronegócio”.

Outro lado I

O deputado Francisco Gualberto (PT) também entrou na discussão sobre o fim da vigência, no próximo dia 31, do Convênio ICMS 100/97, voltado para o agronegócio brasileiro. “Sou a favor de o Estado resistir sim (em não prorrogaro benefício fiscal para fertilizantes importados). Por muitas vezes fui voz solitária na Alese quando condenava a política de privatizações e a inexistência da fabricação de fertilizantes no Brasil”.

Outro lado II

“Antes os fertilizantes aqui produzidos não chegavam a 12%e agora isso diminuiu porque as Fafen não estão produzindo. O Brasil tem terra fértil, tem qualificação da micro e pequena empresa, tem água, mas sobre o fertilizante somos uma colônia. É só um cartel de preços, com as empresas multinacionais que vendem para o Brasil. Quando José Eduardo Dutra (in memoriam) era presidente da Petrobras e Lula presidente, a Fafen de Sergipe duplicou sua produção. Depois que eles saíram implementaram uma política de preços do gás que inviabilizou a Fafen”, concluiu.

Lockdown I

O deputado estadual Francisco Gualberto (PT) defendeu algumas medidas mais duras, por parte do Poder Executivo Estadual, no sentido de desacelerar os registros de novos infectados e óbitos relacionados à pandemia do novo coronavírus (COVID-19). O petista sugere que o governo do Estado e o Comitê Científico estabeleçam um lockdown, por 15 dias, permitindo apenas o funcionamento dos serviços essenciais.

Lockdown II

“Muitas cidades do Brasil já adotaram o lockdown para diminuir o crescimento dessa doença no Brasil. Mesmo que eu venha a ser uma voz solitária na Casa, faço um apelo para o que Comitê Científico indique para o governador a necessidade de um lockdown temporário em Sergipe, por 15 dias, abrindo apenas os serviços essenciais. Nessa pandemia, o que fazemos hoje só vai refletir em 15 dias. Precisamos diminuir o contágio, a contaminação e as mortes”, defendeu Gualberto.

Francisco Gualberto I

O petista insistiu em sua teoria dizendo que se o Estado não fizer o lockdown, consequentemente, teremos o aumento de internações, da contaminação e das mortes. “É a análise de todos os cientistas do Brasil e do Mundo. Não dá para ficar nessa matemática da economia e da vida”, disse. Como segundo sugestão, Gualberto defende a mudança no horário de funcionamento do comércio e dos shoppings.

Francisco Gualberto II

“Abra o shopping 11 horas e o comércio às 9 horas. Caso contrário, nós não temos como controlar e manter o distanciamento social no transporte coletivo mais cedo. É preciso diferenciar o horário de funcionamento dos serviços de economia. Não dá para manter as pessoas nesse transporte sardinha e transmissor do vírus”, criticou Gualberto.

Lojas descumprem

Como terceira sugestão o parlamentar explicou que pediu a um assessor que circulasse pelo centro comercial de Aracaju, filmando o fluxo de clientes nas lojas. “É balela essa coisa de isolamento. As imagens comprovam que temos uma pessoa pisando no pé da outra dentro das lojas! Nos shoppings as pessoas tiram às máscaras o tempo todo! Ninguém fiscaliza e esse protocolo não é verdadeiro na prática!”.

Fechar as lojas

“É preciso agir e punir as lojas que aceitam clientes sem máscara ou que permitem aglomerações. Estão contribuindo para a propagação do vírus. Se a loja insistir, não tem essa de notificar, mas de fechar mesmo! Temos uma lei aprovada nesta Casa, mas ninguém foi punido, penalizado por descumprir a legislação!”, acrescentou.

Polícia Penal

A Assembleia Legislativa de Sergipe, através dos seus deputados estaduais, apreciou e aprovou, por unanimidade, em segundo turno, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Poder Executivo que cria oficialmente a Polícia Penal em Sergipe, seguindo o modelo federal, cuja Emenda Federal foi aprovada pelo Congresso Nacional com a finalidade de aprimorar o sistema penitenciário brasileiro. A proposta já foi promulgada pelo parlamento estadual.

Estado & Energisa I

Os deputados estaduais aprovaram o projeto de lei de autoria do Poder Executivo que revoga a lei nº 8.502/2018 que autorizava o governo do Estado a realização compensação de dívidas reconhecidas com as concessionárias de serviços públicos de fornecimento de energia elétrica com créditos tributários.

Estado & Energisa II

Apesar de contar com a aprovação de todos os deputados, a proposta gerou amplo debate entre vários parlamentares. O deputado estadual Georgeo Passos (Cidadania) reconheceu que seria uma matéria tranquila de ser votada, mas entendeu que precisava deixar registrados alguns pontos que lhe chamaram a atenção. Ele recordou que a lei foi aprovada na época em que existia um litígio entre o Estado e a Energisa, inclusive gerando cortes de fornecimento de energia em alguns prédios públicos.

Encontro de contas

“Existia essa contenda por falta de pagamento e se decidiu por um encontro de contas já que o governo devia a empresa que, por sua vez, também devia ao Estado em ICMS. Consta na mensagem do projeto que, nesse período (de 2018 para cá) de sua vigência a Lei não se mostrou vantajosa para a administração tributária e nem para o interesse público, ou seja, tivemos algum prejuízo? O governo perdeu receita, caso contrário não justificaria revogar a lei”, sustentou.

Transparência

Georgeo continuou cobrando exigindo que os deputados precisam ter ciência do que aconteceu ao longo desses dois anos. Ele reconhece a legalidade da compensação, mas defende que a Alese precisa de maiores explicações. “A gente precisa de transparência! Aconteceu algo! Se o Estado não estivesse tendo prejuízo, agora não buscaria revogar essa lei. A gente precisa entender, ter conhecimento. Em janeiro eu encaminhei um ofício ao secretário da Fazenda solicitando cópia de todos os processos administrativos sobre essas compensações, qual o montante e entender as razões para o governo não querer mais”.

Zezinho Sobral I

Por sua vez, o líder do governo na Alese, deputado estadual Zezinho Sobral (PODE) tratou de explicar que quando o projeto foi aprovado as condições fiscais do Estado e a capacidade de gerenciamento fiscal eram outras. “O nosso governo tem se mostrado eficiente na condução hoje de sua realidade financeira, tanto que melhoramos na avaliação da STN (Secretaria do Tesouro Nacional) e conseguimos agora em fevereiro trazer o pagamento dos servidores para dentro do mês, assim como o 13º salário”.

Zezinho Sobral II

“As compensações fiscais são múltiplas. É um processo trabalhoso e dificultoso. Isso cria certos imbróglios. Hoje o Estado é muito mais adimplente com seus compromissos, vem apresentando resultados positivos. O Estado hoje não precisa realizar compensações porque está com suas contas em dia! A revogação desta lei é mais um resultado efetivo da qualidade fiscal e do acompanhamento meticuloso das despesas que o Estado vem realizando”, completou o líder da situação.

Momento era urgente

O deputado estadual Francisco Gualberto (PT) também saiu em defesa do Executivo dizendo que o encontro de contas não pode acontecer de forma unilateral e que é preciso ser interessante para ambas as partes. “Não quero nem saber se alguém ganhou 10 centavos ou se alguém perdeu, mas o fato é que naquele momento era urgente e necessário que houvesse esse encontro de contas, mas agora o governador Belivaldo Chagas organizou a situação fiscal ao ponto de não precisar mais fazer essas compensações”.

Zezinho Guimarães I

Outro que se manifestou sobre o assunto foi o deputado estadual Zezinho Guimarães (MDB). Apesar de reconhecer que houve prejuízo para o Estado, ele pontua que é correta a medida do governo, ainda que tardia. “Me sinto no dever de vir de público dizer que, quando este projeto chegou em 2018, eu era contrário porque traria prejuízo ao Estado. Porque premiaria gestores incompetentes que não gerenciam suas contas ao ponto de pagá-las!”.

Zezinho Guimarães II

“Hoje o governo cancela o seu encontro de contas e que cada gestor assuma a sua responsabilidade. Isso é bom para a concessionária, O Estado precisa avançar muito nessa coisa de eficiência e paga energia onde não deveria pagar. Nos perímetros irrigados, veja quanto se arrecada de energia e quanto se paga! Antes tarde do que nunca. Parabéns ao Estado que começa a acordar e isso aqui só deu despesa e foi nociva”, completou Zezinho Guimarães.

Doutor Samuel

O deputado Doutor Samuel Carvalho (Cidadania) se recordou da votação do projeto, quando havia acabado de ser eleito, mas ainda sem mandato, assistiu a tramitação em plenário das galerias da Alese. “Eu estava nas galerias da Casa quando este projeto foi votado. Os projetos de lei chegam na Casa, são aprovados numa velocidade impressionante, mas que sejam mais detalhados, para que os deputados tenham ciência daquilo que estão votando”.

João Marcelo

O deputado estadual João Marcelo (PTC) elogiou o governo do Estado por conseguir o equilíbrio de suas finanças, como também destacou a aprovação do projeto com o apoio da bancada de oposição. Ele enalteceu o momento de instabilidade financeira e que, ainda assim, o governador tem conseguido cumprir suas metas fiscais. “Eu já fui prefeito, já fui gestor e conheço as dificuldades e sei como é importante o fato de o governador conseguir manter suas contas em dia”.

Falando nele

O deputado João Marcelo defendeu a ampliação das medidas restritivas tomadas pela Assembleia Legislativa de Sergipe – Alese contra a Covid-19. O parlamentar também voltou a sugerir que o Governo do Estado adquira doses da vacina independente do cronograma de distribuição estabelecido pelo Governo Federal. “Eu já havia sugerido que, de forma coletiva, a gente busque uma forma para que o Governo do Estado seja obrigado a comprar vacinas, independente da distribuição feita pelo Governo Federal, que está desorganizado na aquisição das vacinas”, frisou.

 Belivaldo Chagas I

O governador Belivaldo Chagas divulgou novas restrições para o comércio e atividades educacionais e a manutenção das medidas restritivas anunciadas na última quinta para combater a disseminação do coronavírus. O anúncio foi feito durante coletiva de imprensa posterior à reunião com o Comitê Técnico-Científico e de Atividades Especiais (Ctcae). As medidas refletem o agravamento do cenário epidemiológico dos últimos dias no estado.

Belivaldo Chagas II

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado nesta quarta, 98% dos leitos de UTI da rede privada estão ocupados em Sergipe e 78,7% da rede pública. Segundo o relatório do Ctcae, somente na rede privada, as internações cresceram 60% nos últimos 14 dias, sendo 62,9% de aumento nas UTIs e 57,9% nas enfermarias. Já a média de óbitos geral da semana é de 11, o que representa um aumento de 32,5% em relação à semana anterior. “Com relação a óbitos, a média cresceu para 11 óbitos por dia, significa que poderemos ultrapassar 300 óbitos no mês de março”, alertou.

Serão reavaliadas

O governador explicou que todas as medidas serão reavaliadas na próxima quinta-feira (18). “Nós decidimos que nesse período mais crítico, vamos nos reunir a cada 8 dias. O que estamos anunciando hoje, são medidas que tendem a se exaurir até o dia 22. A gente espera que esse efeito Carnaval possa diminuir nos próximos dias. Então, se chegarmos na reunião do próximo dia 18, e sentirmos que pode haver queda, podemos considerar flexibilizar, mas se sentirmos que continua essa crescente, medidas outras serão anunciadas, na próxima quinta-feira. O que está se fazendo hoje é um trabalho, por conta do colapso que já é uma realidade na nossa rede”, argumentou.

Aulas presenciais

O retorno das aulas presenciais na rede pública, previsto para o próximo dia 22, foi adiado para 05 de abril. Na rede privada, as aulas presenciais ficam suspensas até o dia 5 de abril. Creches, berçários e escolas de ensino infantil continuam funcionando. No Ensino Superior, apenas as aulas e atividades práticas de cursos de ensino superior e profissionalizante seguem autorizadas.

Missas, cultos e academias

Atividades religiosas, de qualquer credo ou rito, incluídos templos, igrejas e demais estabelecimentos poderão funcionar até às 18h, respeitada a limitação máxima de 30%
do estabelecimento, ficando vedado o funcionamento nos dias 20 e 21 de março de 2021. Já as academias de ginástica terão redução da ocupação máxima de clientes, de 50% para 30% e poderão funcionar durante os dias de semana (segunda a sexta-feira).

Ponto facultativo

Quanto à Administração Pública não essencial do Poder Executivo, fica decretado ponto facultativo estadual no dia 17 de março de 2021 e, adicionalmente, será proibido o funcionamento de todas as atividades não essenciais e especiais previstas na Resolução.

Atividades econômicas 

Barbearias, salões de beleza e de higiene pessoal poderão funcionar com 30% de capacidade de segunda a sexta-feira, entre as 5h e as 22h. “A gente não quer prejudicar o comércio de ninguém. Pretendemos com isso, diminuir a quantidade de pessoas circulando”. Em Aracaju, quanto ao comércio em geral, haverá alteração de horário de funcionamento. No Centro, o comércio considerado não-essencial funcionará entre 9h e 17h, e nos outros bairros da capital, das 10h às 18h.

Outras proibições

As demais medidas restritivas anunciadas, na quinta-feira passada, continuam obrigatórias. Portanto, está mantida a proibição de eventos de qualquer tipo (festivo, técnico, corporativo, social, cultural, esportivo, comemorativo). Já parques de diversão, circos e similares estão proibidos de funcionar na semana e nos finais de semana.

André Moura I

Na manhã desta quarta-feira (10), André Moura esteve em uma audiência com o secretário de Radiodifusão do Ministério das Comunicações, Maximiliano Salvadori Martinhão, para tratar da Rádio Comunitária do Sindicato dos Radialistas do estado de Sergipe (Sterts), Imprensa FM.

André Moura II

André Moura havia solicitado à Secretaria Geral da Presidência da República e esta já ratificou a solicitação junto à Subchefia de Análise e Acompanhamento de Políticas Governamentais da Casa Civil para que o processo seja enviado ao Congresso Nacional. O secretário Maximiliano apoiou o pedido e disse que dará andamento ao processo.

Fernando Cabral

O diretor Geral do Sterts, Fernando Cabral, salientou que o sindicato está bastante satisfeito com os resultados obtidos. “Atendendo ao nosso pedido, André Moura se tornou interlocutor da categoria e não apenas interpôs o pedido junto à Presidência da República, mas também acompanha o processo de liberação do canal para a rádio, que será de extrema importância não apenas para nós, profissionais, mas para a sociedade como um todo”.

Piso nacional

O ex-deputado federal é radialista e sempre atuou em defesa de sua profissão, sendo autor do PL 3982/12 que fixa o piso salarial nacional dos radialistas com jornada de trabalho de 30 horas semanais, reajustado anualmente pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor, aprovado pela Câmara dos Deputados em junho de 2015; do PL 458/2015 para dispor sobre a identidade profissional de Radialistas, ambos aguardam apreciação pelo Senado e do PLC 323/2013 que trata da aposentadoria especial para Radialistas.

 Sheyla Galba I

A vereadora Sheyla Galba (Cidadania) chamou a atenção para a notícia repercutida na imprensa de que o Hospital de Cirurgia deixou de receber um moderno tomógrafo porque a Secretaria de Estado da Saúde não enviou as informações necessárias referentes à unidade ao Ministério da Saúde.

Sheyla Galba II

“A interventora Márcia Guimarães moveu céus e terras e o hospital construiu a estrutura necessária para receber este tomógrafo de 64 canais. Chegamos a visitar o local junto com alguns vereadores. Por irresponsabilidade da SES não vamos mais receber este aparelho, que faz exames mais precisos e seria de extrema importância para a Saúde pública de Sergipe”, destacou a parlamentar.

Informações

Sheyla Galba também destacou o compromisso da Secretaria Municipal da Saúde de Aracaju em enviar as informações necessárias sobre o Hospital São José ao Ministério da Saúde. “Com isso, o hospital vai receber um tomógrafo doado. Peço a união dos colegas vereadores para ver se ainda há possibilidade da Secretaria de Estado da Saúde mandar as informações e a gente conseguir o tomógrafo para o Cirurgia”, ressaltou.

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com