16/03/21 - 00:01:33

A transmissão irresponsável

Diógenes Braynerdiogenesbrayner@gmail.com

Ninguém sabe até onde vai chegar, mas as medidas duras adotadas na quinta-feira passada, já se transformarão em toque de recolher a partir de amanhã. Belivaldo Chagas pensou muito antes de tomar essa decisão, mas depois que foi informado das festas que aconteciam em condomínios de luxo e em casas de praia, incluindo cidades do interior e bairros da periferia, percebeu que havia chegado a hora de adotar o toque de recolher. É que há sinalização de asfixia nos hospitais públicos e privados, além do aumento de óbitos e infectados.

O lookdown está a um passo. Se não houver um recuo da doença, com a população se aglomerando de forma irresponsável, não há outro caminho que não seja fechar tudo. Mas fechar mesmo. Sabe-se que é muito difícil controlar pessoas que estão se lixando para o coronavirus e vão às ruas de forma irresponsável, sem qualquer preocupação com o que possam trazer de volta para suas residências, mesmo onde se recolhem uma família vulnerável. Em determinadas circunstâncias, corre mais rico quem toma todas as precauções para evitar a doença, do que àqueles que vão às noitadas.

Às medidas adotadas é para forçar o cidadão a não adquirir e nem transmitir a doença. De alguma forma, mais para quem teima em sair do que para quem fica. Entretanto, tem um objetivo maior: “evitar o colapso nos hospitais, para que pessoas não morram nas calçadas – e até mesmo em casa – por falta de leito”. Com a ação que o Governo está tomando pode-se não chegar a esse horror, mas se não houver cumprimento das medidas adotadas, muito dificilmente terá condições de evitar o trauma, que já afetou famílias ao assistirem esta cena e estão marcadas para o resto da vida.

Quem não acredita nessa possibilidade, está na hora de fazer uma reflexão profunda. Já aconteceu recentemente em São Paulo e anteriormente em Manaus. Não existe família que suporte isso. Ninguém está criando pânico, são fatos que foram registrados e pode nos atingir se continuarem levando o toque de recolher como mais um ato apenas para evitar aglomerações. Aos que não acreditam no vírus e aqueles que não podem deixar de curtir seus dias e noites, como vão se sentir quando testemunharem esse quadro entre familiares, sabendo que foram eles os responsáveis pela contaminação e morte?

Está na hora de pensar. Refletir bem. Avaliar e analisar o risco que todos estão reféns, mas mesmo assim vão a ele, mesmo sabendo que podem adquiri-lo e repassá-lo a terceiros, inclusive familiares próximos. Que cada um faça a sua parte, para que também não termine entubado em um leito de UTI, com poucas chances de sobrevivência. O momento carece de humildade, de se olhar na alma e ajudar vencer esse pesadelo que, de alguma forma, todos nós estamos passando.

Sergipe precisa de cada um, inclusive dos mais jovens que podem adquirir o vírus, para que não repasse unicamente ao Governo a responsabilidade de fechar todas as portas, com objetivo de salvar a sua gente. Um detalhe: o coronavirus não tem preferência política, é daltônico e sem preconceitos.

Toque de recolher

Ao decretar o toque de recolher, o governador Belivaldo Chagas disse logo que “não dá para quebrar empresário com uma decisão de apenas cinco ou seis dias”.

*** E mais: “não tenho como pensar em arrecadação por conta da vida das pessoas”.

*** E foi além: “a questão é salvar vidas. Fico na expectativa que haja essa compreensão”, disse Belivaldo.

Vão obedecer?

Belivaldo Chagas também anunciou a suspensão do ponto facultativo, anunciado para o dia 17 deste mês. Espera-se que todos os poderes atendam.

*** No carnaval não adiantou porque o Tribunal de Justiça, Ministérios Públicos e Legislativo mantiveram o ponto facultativo, liberaram servidores e ajudaram a aumentar a pandemia.

Reunião suspensa

A reunião que seria realizada sexta-feira passada pelo PT foi suspensa para outra data. É que faltou quorum, mesmo sendo online.

*** Mesmo assim, houve conversa entre algumas lideranças sobre a atual conjuntura com o retorno de Lula como provável candidato, mobilização do partido e a questão da vacina.

Hora de Lockdown

De um magistrado que solicitou off em relação à fonte: “À hora é de lockdown. O Governo deve ter coragem de fazer o certo, porque o preço poderá ser muito alto”.

*** – Porque pode vir mais mortes e colapso total do sistema de saúde, disse.

População tensa

O aumento da pandemia tem provocado tensão e medo à população, neste momento em que há um aumento de mortes de e internamento de pessoas conhecidas e atuantes no Estado.

*** Os psiquiatras e psicólogos estão com agendas cheias para atendimentos e um deles disse que o noticiário intenso sobre as mortes perturba as pessoas.

Agências por lojas

Deputado Dr. Samuel Carvalho (Cidadania) visitou o superintendente do Banco do Brasil e pediu que não houvesse fechamento de agências.

*** O superintendente do BBB que não haverá fechamentos em cidades do interior, mas algumas agências serão transformadas em lojas, sem atendimento pessoal.

Sobre aprovação

O deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) diz que não é verdade que o Congresso Nacional aprovou 15 anos sem reajuste de servidor, gratificações e o fim dos concursos públicos.

*** A PEC conta com um destaque retirando a vedação à progressão e à promoção de servidores públicos do rol de gatilhos a serem acionados em caso de crise fiscal.

Ajuda internacional

O senador Rogério Carvalho (PT) anuncia que a saúde do país já entrou em colapso. Milhares de brasileiros estão morrendo agonizando sem acesso a leitos de UTIs.

*** Rogério admite que seja urgente o pedido de ajuda internacional para que a tragédia não seja maior.

Tempo e Espaço

Caros Ayres Britto, sergipano que esteve presidente do Supremo, diz que “a mente é pra dar conta de tudo que só pode existir pela boa vontade desses dois provedores de nomes Tempo e Espaço”.

*** Para Ayres Britto, “o coração é que tem o topete de ver esses dois provedores como enxeridos e por isso passa a dar conta de coisas que para existir não precisam do abono deles”.

Igrejas são problemas

As Igrejas Evangélicas estão reagindo ao fechamento de suas portas e querem manter cultos sem problemas. Não vão conseguir dobrar as determinações para fechamento.

*** A teimosia dos evangélicos ignora que vários pastores estão se curando do coronavirus.

Auxílio Social

Valadares Filho diz que medidas restritivas baseadas em dados oficiais e na ciência são necessárias. Mas Sergipe está omisso em alternativas econômicas emergenciais e auxílio social.

*** – Não se pode ficar apenas aguardando o que vem do governo federal. O estado precisa de iniciativas próprias na crise.

População culpada

Um político sem mandato em Sergipe ficou angustiado com a Pandemia: só ontem três pessoas pediram a ele leitos de UTI para parentes com Covid-19.

*** Trabalha para conseguir vagas, mas não está conseguindo.

*** Concorda que a popular que se aglomera em festas é culpada.

Uma boa conversa

Adalberto Almeida – Publicado na Veja. O que nós já sabíamos Bolsonaro não tem vocação para a política, não gosta de governar.

Flávio Dino – Nesta terça-feira iniciaremos o pagamento do auxílio emergencial a bares e restaurantes que estarão de portas fechadas até o dia 21.

Celso Rocha de Barros – Todo apoio ao Felipe Neto, e vamos anotando o nome de todos os envolvidos para o Nuremberg pós-Bolsonaro.

Andrade – Repórter do Estado de Minas agredido pela seita bolsonarista durante os atos antidemocráticos de ontem.

Revista Oeste – Interferência política do STF gera ‘insegurança jurídica’ no Brasil, alerta Ives Gandra.

Revista Oeste – Desembargador recusa pedido de ‘lockdown’ no Maranhão: ‘Não há comprovação robusta de que a medida irá surtir o efeito prático afirmado’.

Agência Brasil – Dólar e bolsa iniciam semana em alta: moeda norte-americana fechou o dia em R$ 5,64 e a bolsa de valores chegou perto dos 115 mil pontos.

Revista Fórum – Jornal Nacional volta a mostrar mansão de Flávio Bolsonaro e negócios suspeitos com rachadinha.