Aracaju, 24 de setembro de 2021

Vereador apoia implementação da lei que obriga psicólogos e assistentes sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Foi aprovado requerimento em reunião virtual, da Comissão de Educação, Cultura e Esportes da Câmara Municipal de Aracaju (CMA), sob o comando do presidente Joaquim da Janelinha (PROS); do secretário Binho (PMN); e dos membros, o pastor Diego (PP); professora Ângela Melo (PT); e Savio Neto de Vardo da Lotérica (PSC), na tarde da última segunda-feira, 15, que trata sobre a lei nº 13.935/2019, que prevê inserção de profissionais da Psicologia e Serviço Social nas escolas da rede básica de ensino.

“Também já deixamos agendada reunião com o coordenador do Conselho Regional de Psicologia de Sergipe CRP/SE, e coordenador do GT de psicologia escolar e inclusão, Marcus Paulo Argolo, além dos demais membros, para a próxima segunda-feira, 22”, disse Joaquim que ainda complementou.

“Com a pandemia, percebemos ainda mais a necessidade da presença desses profissionais no âmbito escolar. Na ocasião, nós iremos discutir sobre a importância e o papel do psicólogo escolar dentro da educação básica, quais são as atividades exercidas e, nesse contexto, as dificuldades existentes na escola pública”, pontuou.

Sobre a lei nº 13.935/2019, ela diz que esses profissionais deverão desenvolver ações para a melhoria da qualidade do processo de ensino-aprendizagem, com participação da comunidade escolar, atuando na mediação das relações sociais e institucionais. O trabalho da equipe deverá considerar o projeto político-pedagógico das redes públicas de educação básica e dos seus estabelecimentos de ensino.

Por Monique Costa

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Hospital Cirurgia realiza ação de incentivo à doação de órgãos
Prefeitura de Aracaju pagará salários dos servidores nesta segunda-feira, 27
Oficiais e praças do CBMSE recebem medalhas do centenário da corporação
PL de Talysson institui obrigatoriedade de atendimento em pavimento térreo a idosos