Aracaju, 1 de agosto de 2021

PL QUE TRATA SOBRE FUNDEB SERÁ VOTADO NA PRÓXIMA QUARTA-FEIRA PELA CMA

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

A Câmara Municipal de Aracaju (CMA) votará na próxima quarta-feira, 24, em 2ª discussão, durante Sessão Deliberativa on-line o Projeto de Lei ° 42/2021 que trata sobre o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) no município de Aracaju. Além disso, essa propositura pretende reorganizar o Conselho Municipal de Acompanhamento e Controle Social do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de valorização dos profissionais da Educação, em conformidade com a Lei (Federal) n° 14.113, de 25 de dezembro de 2020, e é de autoria do Poder Executivo.

O PL que foi entregue à Câmara Municipal pelo prefeito Edvaldo Nogueira na última sexta-feira, 12, foi apreciado e votado em 1ª discussão pelo Plenário da Casa durante a sessão de quinta-feira, 18. Agora, a propositura seguirá sua votação com emendas na próxima sessão.

De acordo com o líder da bancada da situação na CMA, Professor Bittencourt (PCdoB) esse é um projeto baseado em uma Lei Federal aprovado em 25 de dezembro de 2020 e que reformula o Fundeb de modo geral. “O Fundeb teria vencimento ao final do ano passado, agora se torna permanente a partir de emenda Constitucional. E essa Lei 14.113/2020 exige a reformulação do Conselho de acompanhamento de fiscalização social do Fundeb”, informou.

Bittencourt explica ainda que esse Conselho é formado por alunos, professores, técnicos da secretaria da Educação, diretores de escolas, membros da sociedade civil, entidades do movimento estudantil e o que irão fazer agora é adequar o atual Conselho a essa nova Lei. “Gostaria de contar com o apoio dos colegas vereadores. Esta Lei aumentará a fiscalização do Conselho, aprimora a fiscalização do Fundeb, portanto, é um avanço”, opinou.

Ainda segundo Bittencourt, a vereadora Professora Ângela Melo (PT) apresentou um total de 15 emendas que serão analisadas e debatidas entre os vereadores da CMA. Sobre o assunto, Professora Ângela declarou que é a favor da tramitação do projeto, mas com algumas ressalvas e por isso, apresentou algumas emendas. “O projeto de tanta grandeza que é preciso ser bem debatido. As emendas que apresentei é no sentido de agregar e transformar o Conselho num espaço democrático”, acrescentou.

Segundo o Poder Executivo, as adequações na legislação foram necessárias as adequações na legislação do Fundeb tornaram-se obrigatórias após o presidente Jair Bolsonaro sancionar a Lei que regulamenta o fundo. O novo Fundeb, agora definitivo, foi inserido na Constituição por meio da Emenda nº 108/2020 e necessitava de regulamentação para ser implementado.

Por Viviane Cavalcante

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Belivaldo assina Ordem de Serviço da  etapa 2ª do Canal Remanso
Quinto dia de greve conta com caminhada e apitaço em Maruim
Belivaldo elogia trabalho de André e diz que Edvaldo foi feliz na parceria 
Motoristas de carro fumacê são capacitados pela Funesa