24/03/21 - 06:02:36

Denúncia de negociação de apoio político com a oferta de cargos públicos e dinheiro no município de Tobias Barreto

No início da tarde desta terça-feira (23), foi exibido ao vivo no programa A Hora da Verdade – Luandê FM, áudios que fizeram o município de Tobias Barreto parar e que revelou um suposto esquema de cargos fantasmas e negociação de cargos em Tobias Barreto.

Acontece que Adinelço Vidal, candidato a vereador na última eleição pelo agrupamento do atual prefeito Dilson de Agripino e também  ex-secretário de Agricultura da última gestão de Dilson, teve uma conversa vazada onde confirma haver um esquema na Prefeitura de Tobias Barreto de nomeação de cargos, com altos salários, sem o conhecimento dos nomeados.

NOMEACAO FANTASMA?

“Desde dezembro do ano passado eu disse a Dilson que eu não queria coordenação,[…] que eu queria ser secretário […] Se fosse uma coordenação seria para eu não (receber sem) trabalhar.”, destacou Adinelço nos áudios.

Adinelço relatou que em fevereiro surgiu uma conversa e questionamentos se ele estava trabalhando na prefeitura. Segundo ele, tomou conhecimento da nomeação por populares. Munido dessa nomeação, que datava 04 de janeiro de 2021, ou seja, mais de um mês antes dele saber, ele esteve na prefeitura para questionar um dos secretários da gestão.

“Surgiu uma conversa e eu peguei esse decreto que (depois) ele mesmo mandou pra mim e fui lá na prefeitura. (Em mãos). Perguntei sobre o que se tratava isso aqui.”, afirmou nos áudios Adinelço, comprovando que foi nomeado coordenador da Prefeitura de Tobias Barreto sem ter tido conhecimento prévio.

ACORDO DE TROCA DE CARGO POR APOIO EM FUTURA CANDIDATURA?

Além dessas situações envolvendo sua possível nomeação fantasma na gestão do prefeito Dilson, Adinelço revelou o que está acontecendo nos bastidores do agrupamento do prefeito. Segundo ele, estaria sendo feito um acordo com Beta para que ele recebesse seu apoio ano que vem (referindo-se a uma possível candidatura de Beta a deputado, apoiado por Dilson).

“Eu já disse a Dilson em dezembro que a promessa foi uma secretaria. […] Eu vou ter uma conversa com Beta, vou fazer um acordo com Beta pra <<eu>> apoiar ele na próxima e se ele concordar, vou pedir emprego pra Berto!”, comentou ele em outras partes do áudio, afirmando que fez um acordo prévio com Dilson sobre a cadeira de secretário e que estaria negociando uma espécie de acordo com o ex-vereador Beta, para que ele pudesse apoiá-lo na próxima eleição, referindo-se as eleições de 2022.

DILSON SABIA DE TUDO

Segundo Berto, Dilson confirmou que Adinelço ganha mais de 5 mil reais na prefeitura e que Rui (braço direito de Adinelço) ganha 1500. “A mentira tem perna curta. Você (Adinelço) recebe sem trabalhar. Dilson já lhe nomeou faz tempo. O que eu estou dizendo eu provo e você mente!”, declarou sem titubear Berto, sobre a nomeação de Adinelço e o recebimento dos seus salários na prefeitura.

O QUE A JUSTIÇA VERSA SOBRE O CASO

Segundo o advogado Pablo Forlan, que comentou o caso, afirmou que o Ministério Público precisa averiguar as informações ofertadas por Adinelço e Berto, pois se ele foi nomeado pelo prefeito e um mês depois disse que não trabalhou, ele não podia receber o salário. Porém, mesmo assim, Berto afirmou que Adinelço recebia mais de 5 mil, trazendo inclusive o nome do prefeito Dilson ao afirmar que o prefeito sabia de tudo.

“A gestão precisa esclarecer, porque Adinelço falou de maneira clara e explicita que ele sequer estava ciente que exercia um cargo de comissão no município, e quando fomos verificar a nomeação assinada ela estava assinada pelo prefeito. E mais, o artigo segundo diz que retroage a 4 de janeiro, então tecnicamente essa portaria diz que está num cargo desde o início da gestão, e que ele só soube um mês depois. Como é que se nomeia alguém sem que ela tenha ciência da situação?”, comentou o advogado, enfatizando que existe algo de errado em toda essa história e que precisa ser esclarecido.

Sobre o suposto acordo de troca de cargo por apoio numa pretensa candidatura do ex-vereador Beta, Dr. Pablo Forlan afirmou que se comprovado, é crime e caracteriza-se em captação ilícita futura.

“Adinelco fala de fazer um acordo com Beta para futura eleição. O voto tem que ser feito sem troca de situações, mas da vontade. Que tipo de acordo seria essa que Adinelço faria com Beta?

O caso agora está nas mãos da justiça.

Por Gerliano Brito