30/03/21 - 16:16:10

ASSOCIAÇÃO DOS CORRETORES DE IMÓVEIS GANHAM FORÇA E SE REINVENTAM NA PANDEMIA

Fundada em 21 de agosto de 2019, a Associação dos Corretores de Imóveis tem ganhado espaço em Sergipe, através de parcerias, ações sociais e debates. Em tempos de pandemia, precisaram se reinventar e buscaram alternativas para ajudar os mais afetados.

O presidente da associação, Anderson Ramos, conta como tudo começou: “Após o registro no cartório fizemos uma apresentação à categoria, onde trouxemos corretores da Associação do Estado de Alagoas, juntamente com a superintendente da SPU alagoana, gerente de banco e vários outros parceiros conveniados”, disse, frisando que a reunião serviu para buscar agilidade nos processos de transferência do laudêmio e a venda de imóveis.

A partir disso, a Associação passou a crescer e, em reunião a Superintendente da SPU de Sergipe, Professora Jovanka Leal, apresentaram uma demanda que buscava possibilidades para que os Corretores vendessem os Imóveis do patrimônio da União, contribuindo com a valorização do exercício destes profissionais.

Em seguida, junto ao Superintendente da Polícia Federal, levaram o debate sobre a prática do exercício ilegal da profissão e, com bastante engajamento, começaram a criar parcerias com os maiores portais de divulgações de imóveis, onde conseguiram um ótimo desconto para a categoria. Além de participarem de congresso em outro Estado e elaborarem eventos locais.

Ainda segundo Anderson, a pandemia do novo coronavírus fez com que houvesse uma mudança de planos e esse foi o momento que demonstraram solidariedade ao próximo e foram recompensados com a ampliação da diretoria. “Começamos nossas campanhas de doações, primeiramente para alguns corretores e em seguida para algumas comunidades. Nesse momento, ampliamos nossa diretoria para mais ações e fizemos várias participações na rádio, a fim de mostrar as inúmeras vantagens de contratar um Corretor credenciado”, conta.

Para ele, uma grande conquista foi a importante parceria com o correspondente Fontes Caixa, que contribuíram ainda mais para dar continuidade às ações sociais. “Conseguimos agilizar os processos de Financiamentos dos corretores e aumentar ainda mais as doações para a população carente, começamos a ofertar alguns cursos de especialização na área, lives sobre novidades do mercado imobiliário e do auxílio emergencial, fizemos campanhas de doações de sangue, sorteio e todo apoio ao corretor na área contábil e jurídica, totalmente gratuitos”, detalhou.

A partir desse crescimento, organizaram o primeiro dia das crianças solidário, criaram novos convênios com a empresa WeR e com Apcef para disponibilizar descontos a associados, novos meios de ganhos com a Construtora JDC para o associado que indicá-la na venda da construção e, ainda, participaram de reunião em cartórios e em outros órgãos para maior agilidade no dia a dia da classe.

A diretora de ações sociais, Carmem Correia, fez questão de descrever o quanto é satisfatório participar das boas ações executadas pelos corretores. “Fazer parte da Associação dos Corretores de imóveis de Sergipe como Diretora de Ações sociais, vai além de ser Corretora de Imóveis, é estarmos unidos na profissão com o objetivo de levarmos amor, solidariedade e alegria para as crianças da comunidade do Bairro Santa Maria e várias famílias carentes. Em meio a pandemia, vivenciamos momentos difíceis e muitos desafios. Foi nesse cenário de receios e medos que nos unimos mais ainda”.

Além do dia das crianças, ela listou outros eventos que serviram para ajudar estas pessoas. “Com o apoio dos associados, e parceiros do mercado imobiliário, a união do Projeto caminho do bem e unidos pela Fé conseguimos realizar vários eventos, como no dia das crianças, Natal, entregas de cestas básicas, máscaras, cobertores para moradores de rua, lanches, refeições, tanto nas comunidades Jardim Recreio, paraíso do Sul, sovaco da gata, como para vários profissionais que estavam precisando… nossa maior realização, é ver o sorriso no rosto das crianças e a alegria das famílias. Essa é a nossa maior gratidão a todos que tornam isso possível”, finalizou.

Para Adriana Fontes, associada benemérita, essa é uma forma de trazer lições benéficas à humanidade, para que mais pessoas possam ter tais iniciativas. “Pudemos realizar e ainda estamos realizando mais que uma doação, mas também uma lição de humanidade para a sociedade que juntos somos mais fortes em poder contribuir para matar a fome de alguém”.

Satisfeito com a trajetória, o presidente comemora: “Com todos esses benefícios, posso afirmar que tivemos grande apoio da categoria e sei que, através do empenho de cada um, ainda teremos muito a conquistar”.

Reconhecendo a mudança após a associação e o trabalho do presidente, o corretor Wagner, do Rebouças Busines Serviços Imobiliários destacou a sua gratidão. “Tive alguns problemas de processos de transferência totalmente parados junto à SPU, mas graças ao empenho e muita boa vontade do nosso presidente Anderson, conseguimos solução e resolução dos processos com chave de ouro”.

Por fim, o diretor jurídico da associação, Gustavo Figueiredo, reiterou o importante papel que esta desempenha para os corretores, contribuindo ainda mais para que os brasileiros possam realizar o sonho da casa própria. “Integrar a ACI, como Diretor Jurídico, trouxe novo propósito à minha advocacia: construir uma plataforma de valorização contínua àqueles que realizam o mais importante sonho da família brasileira. Sendo o imóvel tão importante para toda sociedade, não é à toa que existe um ramo do direito dedicado ao que lhe circunda: o Direito Imobiliário. Isso já não é suficiente: o mister que gentilmente me foi confiado pela ACI admite dizer que estamos mesmo a construir o Direito da Corretagem Imobiliária”.

Sobre o período de pandemia, o diretor conta que, apesar da associação ter surgido nesse momento, serviu de ponte para demonstrar ainda mais a força que possuem. “A ACI praticamente surgiu dentro da crise pandêmica que ainda sofremos. Os corretores e o mercado imobiliário foram tocados de maneiras diversas, exigindo da Diretoria da ACI, principalmente de sua Presidência, muita criatividade e resiliência. Todo empenho, é certo, tem frutificado. Já são muitos os convênios e soluções (também jurídicas) realmente inovadoras que a(o) corretor(a) só tem acesso como associado. Isso é muito. Ainda é pouco para o que ousamos”.

Por Luísa Passos