Aracaju, 1 de agosto de 2021

INICIADA A ENTREGA DE ALIMENTOS DO PAA ESTADUAL A ENTIDADES SOCIOASSISTENCIAIS

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Agricultores selecionados forneceram 8,5 T de produtos à APAE, GACC, IBEM, LICRE e FMAS

As entregas de produtos ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) Estadual tiveram início na última quarta-feira (07), quando seis instituições sediadas em Aracaju receberam quase 8,5 toneladas de alimentos in natura da Cooperativa dos Produtores Agrícolas do Território Sul De Sergipe (Coopatsul) cultivados em Salgado. Até dezembro, 2 mil famílias em situação de vulnerabilidade social e insegurança alimentar atendidas por 29 entidades socioassistenciais, selecionadas em chamada pública realizada pela Secretaria de Estado da Inclusão e Assistência Social (SEIAS), terão acesso aos alimentos produzidos e entregues quinzenalmente por 186 agricultores familiares sergipanos, também habilitados na seleção. Mais de R$ 3 milhões serão investidos pelo Governo de Sergipe, em parceria com o Ministério da Cidadania, como ação de combate e à insegurança alimentar e fomento à geração de renda no campo, durante a pandemia de Covid-19.

Nesta primeira entrega, a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), o Grupo de Apoio a Criança com Câncer de Sergipe (GACC), a Casa Maternal Amélia Leite, a Instituição Beneficente Emmanuel (IBEM), o Lar Infantil Cristo Redentor (LICRE) e o Fundo Municipal de Assistência Social (FMAS) receberam 5.626,13 kg de macaxeira,  1.195,16kg maracujá, 1.094,43kg  de couve e 550kg de cebolinha da Coopatsul. Agricultor familiar e vice-presidente da cooperativa, Matheus Costa explica que, neste momento de dificuldades, é muito importante para o produtor de Salgado poder contar com esse novo aporte de recursos através da SEIAS. “São duas alegrias: os produtores escoando e as entidades recebendo o produto através do PAA. A gente agradece ao Governo do Estado, por este trabalho. Daqui pra frente vamos ter um grande caminho, torcemos para que essa parceria só continue crescendo e agregando para nós”, disse Matheus Costa.

Edite dos Santos é avó de um usuário atendido pela APAE – primeira instituição a receber os alimentos do PAA Estadual. “Meu neto estuda aqui. Ele chegou aqui pequeno e está com 22 anos. As verduras ajudam na alimentação. Temos que agradecer primeiramente a Deus e depois à APAE, que chegou junto da gente”, avalia. Ingrid Waleska, assistente social da APAE Aracaju, explica que as doações serviriam para a alimentação dos usuários na instituição mas, com o agravamento da pandemia, os planos precisaram mudar. “Hoje, a gente está trabalhando com um número pequeno de usuários dentro do serviço, devido aos rodízios. Então, iremos retificar o termo de compromisso com a SEIAS para que possamos também montar kits para levar até as residências, e distribuir para as mães que vêm aqui na instituição”, revela Ingrid Waleska.

Coordenadora de Segurança Alimentar e Nutricional na SEIAS, Emily Cristina Santos conta que o programa tem como objetivo promover a alimentação adequada e ao mesmo tempo incentivar a agricultura familiar. “É através da modalidade de ‘compra com doação simultânea’ que funciona o programa. Iniciamos agora em abril e temos até dezembro para concluir a execução”, informa. De acordo com a secretaria de Estado da Inclusão e Assistência Social, Lucivanda Nunes, existe a perspectiva de uma segunda rodada de seleção, através de edital, para quem ainda não conseguiu participar. “Estamos trabalhando para abrir um novo chamamento público, possivelmente no mês de maio, para convocar mais agricultores e entidades para participar do programa. Esta é mais uma das ações que compõem o conjunto de medidas do Governo do Estado para auxiliar as famílias sergipanas que mais precisam neste momento de pandemia”, pontua a secretária Lucivanda Nunes.

Leila Almeida Gomes é nutricionista da Gerência de Segurança Alimentar e Nutricional da Secretaria de Assistência Social de Aracaju, e explica que os alimentos destinados ao FMAS vão ser distribuídos nos equipamentos da Proteção Social Especial de Alta Complexidade do Sistema Único de Assistência Social mantidos pelo município: abrigos, casas-lares e casa de passagem. “É de uma importância muito grande em vários aspectos. É um alimento de qualidade, que a gente sabe que vem da agricultura familiar, de um lugar próximo, e que é bem cuidado. Para nossas crianças, adolescentes e idosos, é uma alimentação melhor, saudável, para garantir melhor qualidade de vida a eles, que geralmente chegam nos nossos abrigos com uma alimentação totalmente industrializada, cheia de alimentos ricos em calorias, sódio e açúcar. A gente está muito feliz por receber esses alimentos, mas também por estarmos ajudando uma causa social e um programa tão interessante como é o PAA”, concluiu.

Informações e foto ASN

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Belivaldo assina Ordem de Serviço da  etapa 2ª do Canal Remanso
Quinto dia de greve conta com caminhada e apitaço em Maruim
Belivaldo elogia trabalho de André e diz que Edvaldo foi feliz na parceria 
Motoristas de carro fumacê são capacitados pela Funesa