11/05/21 - 14:14:49

Prefeitura de Aracaju inicia nova etapa do terceiro LIRAa do ano

A Prefeitura de Aracaju iniciou a segunda etapa do novo Levantamento Rápido do Índice de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa). A partir desta terça-feira, 11, as equipes do Programa de Combate ao Aedes aegypti, da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), começaram a fazer a análise das coletas realizadas semana passada em todos os bairros de Aracaju.

Este é o terceiro levantamento realizado pelo Município e, segundo o gerente do Programa, Jeferson Santana, essa análise é essencial para monitorar o risco de surtos ou epidemias causadas pelo mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya.

“O LIRAa acontece simultaneamente em todos os bairros da capital, com a metodologia que norteia grande parte do trabalho de combate ao Aedes. O levantamento é realizado na capital a cada dois meses e calcula a presença das larvas do mosquito na cidade. A nova coleta para o terceiro LIRAa de 2021 iniciou semana passada, e hoje passamos a analisar o material coletados dos bairros da cidade”, enfatiza.

Fluxo da coleta

Com os quarteirões definidos, o supervisor da área faz a distribuição com os agentes. “Nesse momento da coleta, não fazemos o tratamento, mas a orientação à população. O que rege o trabalho é a educação em saúde, seja no LIRAa, no tratamento ou no trabalho rotineiro dos agentes. O diferencial do LIRAa é que, ao encontrar o foco, o agente faz a coleta para que na análise laboratorial, possamos identificar se é positivo ou não para o Aedes”, declarou Jeferson.

Cronograma semanal

Paralelo ao trabalho de coleta, os agentes executam o cronograma semanal de ações de combate ao Aedes, com as visitas domiciliares, a coleta de pneus, a aplicação do fumacê costal e mutirão aos finais de semana.

Para esta semana, a aplicação do fumacê costal acontecerá nos bairros 17 de Março (dia 11), 18 do Forte (dia 12) e Industrial (dia 13). No sábado, dia 15, será realizado mais um mutirão de combate ao Aedes, cujo local ainda será definido.

“Precisamos da participação das pessoas. É preciso haver uma maior conscientização e responsabilidade. Cada um fazendo a sua parte, mantendo a casa limpa, observando se há locais armazenando água. Se houver, jogar a água fora e evitar o acúmulo de água parada em pontos de risco, a exemplo de pneus, lavanderias e vasos de plantas. Se cada cidadão fizer a sua parte, a gente consegue eliminar os focos de dengue”, orienta Jeferson.

Fonte e foto assessoria