Aracaju, 2 de agosto de 2021

APROVADA CRIAÇÃO DE 150 CARGOS DE GUARDA DO SISTEMA PRISIONAL EM SERGIPE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Foi aprovado, nesta quarta-feira, 09, o Projeto de Lei Complementar Nº 5/2021, de autoria do Poder Executivo, que cria 150 cargos da carreira de guarda de segurança do sistema prisional (polícia penal). O Governo explicou, em mensagem anexa ao PLC, que o número de servidores está aquém da necessidade.

A Secretaria de Estado da Justiça, do Trabalho e de Defesa do Consumidor (SEJUC) informou que mantém um efetivo de 613 guardas e agentes em seus quadros. O Sistema de Administração Prisional (SAP) identificou que Sergipe mantém uma população carcerária de 5.325 internos, distribuídos nas nove unidades penitenciárias do estado.

“Fazendo uma relação entre o número de internos e o número de servidores em atividade, tem-se uma proporção de nove custodiados por Policial Penal, número que extrapola a recomendação do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária (CNPCP), diz a mensagem.

Além disso, no final do ano será inaugurada a Penitenciária de Regime Semiaberto de Areia Branca, com capacidade de acomodar 632 internos, o que acarretará em necessidade de servidores para atuação no local. O Governo ainda declara que haverá a equalização orçamentária e financeira das 150 vagas.

“Essa equalização foi submetida ao exame da Secretaria de Estado da Administração (SEAD), que, através da Superintendência Geral de Recursos Humanos (SGRH/SEAD), chegou à conclusão de que a propositura é viável, conforme Análise Técnica”, afirma.

Os deputados se manifestaram favoravelmente ao projeto, mas com ressalvas. O deputado Georgeo Passos (Cidadania) falou que já era uma matéria esperada pela Casa para auxiliar o Estado na segurança.

“Não é apenas uma preocupação com os nossos trabalhadores. Desde 2013, tramita uma Ação Civil Pública do Ministério Público contra o Estado para realização desse concurso. A sentença foi em 2016 e o Estado foi condenado a realizar em seis meses”, afirmou.

Ele lembrou que é preciso ter uma relação de cinco presos para cada agente. Mesmo com esta criação de cargo, vai ficar uma relação de sete e, portanto, não vai cumprir o que é necessário para garantir a segurança no Sistema Prisional.

A deputada Kitty Lima (Cidadania) falou que é preciso aumentar esse número. Ela explicou que irá buscar formas de criar novos cargos para assegurar o melhor andamento da Polícia Penal em Sergipe.

O líder do Governo na Alese, deputado Zezinho Sobral (Podemos), explicou que é preciso ter calma para esse tipo de ação. Ele disse que os custos são altos e, desta forma, não é possível aumentar muito o número de cargos.

“Quando a gente convoca, a gente tem que pagar e a gente ver que tem um custo a ser cumprido. Então é a austeridade, é o exercício correto da boa gestão público e é o dialogo com as categorias e com o servidor, com o objetivo especifico de fortalecer e apoiar a sociedade sergipana, construindo um sistema que está deficitário, que não vem só com convocação de agentes, mas com obras importantes, com construção de equipamentos necessários”, declarou.

O PLC foi aprovado na sessão mista da Assembleia Legislativa de Sergipe.

Foto assessoria

Por Wênia Bandeira

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Prefeitura de Aracaju avança na vacinação contra a covid-19 e inclui população de 26 e 27 anos
Prefeitura de Salgado inicia pavimentação no Conjunto de Gileno
População de Telha ganha o Estádio “Caldeirão Mamaê”
Hemose convoca doadores para recompor estoques de sangue