Aracaju, 30 de julho de 2021

Saúde orienta como proceder em casos de reação adversa à vacina contra covid

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Desde o início da campanha de vacinação contra a covid-19, na capital sergipana, das 190.107 pessoas já vacinadas, apenas 657 notificaram reações à vacina nos canais disponibilizados pela Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS). O município possui, atualmente dois canais de notificação: um formulário online e as Unidades Básicas de Saúde, onde o paciente notifica pessoalmente.

Segundo a técnica do Centro de Informação Estratégica em Vigilância em Saúde do Estado de Saúde (CIEVS), Larissa Ribeiro Lobo, o objetivo da notificação é monitorar e investigar os casos de ração adversa à vacina.

“No formulário de notificação, disponível no site da Prefeitura, a pessoa pode fazer a notificação em seu nome ou em nome de um familiar, preenchendo todos os dados necessários. Caso não seja possível acessar a internet, a pessoa pode se dirigir até a UBS onde recebeu o imunizante, para que o profissional de saúde avalie e faça a notificação, caso se enquadre como evento adverso”, orienta

Canais de Notificação

A SMS disponibiliza um formulário eletrônico para a notificação de reações adversas que a pessoa vacinada, seja com a primeira ou a segunda dose, possa apresentar após a aplicação, que pode ser acessado por qualquer pessoa através do link: https://bit.ly/3kipZSg.

“Outro canal de notificação é através do E-SUS Notifica, que é um sistema nacional, onde qualquer profissional de saúde que atua no Sistema Único de Saúde pode acessar e fazer a notificação. Assim, os pacientes podem procurar uma UBS, caso apresentem alguma reação adversa, e a própria Unidade notifica diretamente no sistema nacional”, explica.

Reações mais registradas

Entre os casos notificados, as cinco reações mais registradas foram: dor local, cefaleia (dor de cabeça), mialgia (dor muscular, localizada ou não), fadiga e febre.

De acordo com a infectologista da SMS, Fabrizia Tavares, toda vacina aplicada gera um despertar no organismo do indivíduo para o início da produção de anticorpos, e algumas reações acabam se tornando comuns e até esperadas. Entretanto, isso pode variar de um organismo para o outro.

“A maior parte das reações é de nível leve, que geralmente permanecem por até dois dias. Isso quer dizer que o sistema imunológico do indivíduo está reagindo, respondendo àquele antígeno, àquele vírus morto que foi inoculado. Vale salientar que se deve evitar a automedicação, e se tiver sintomas desse tipo, procure de forma precoce o atendimento médico, caso persistam os sintomas”, enfatiza.

Fonte e foto assessoria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Prefeitura monitora áreas de risco no período chuvoso em Aracaju
Estudantes de Arquitetura desenvolvem manual com base na NBR 15575 para habitações em Sergipe
Polícia Civil divulga imagens de furto em uma loja de roupas na cidade de Itabaiana. Veja o vídeo
Nova Lei contra violência auxiliará a Procuradoria da Mulher na Câmara de Pacatuba