Aracaju, 3 de agosto de 2021

Bastidores do São João da Gente Sergipana revelam inventividade, tecnologia e poesia

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

O programa especial de São João irá ao ar neste sábado, dia 19, após a novela das 21h, na TV Sergipe

Os preparativos para o ‘São João da Gente Sergipana 2021’, projeto realizado pelo Grupo Banese, através do Instituto Banese, e Governo de Sergipe, com o apoio da TV Sergipe, e que esse ano tem como tema ‘Nós e eles pra sempre’, revelam um processo desafiador. Colocar em prática um conceito que retrata as tradições e as raízes culturais por meio da alta tecnologia exigiu percorrer um caminho longo de idas e vindas, porém gratificante, até chegar ao programa especial de São João, que será exibido pela TV Sergipe no dia 19 de junho, após a novela das 21h.

A iniciativa grandiosa, que há meses começou a ser projetada, surgiu do desejo de mais uma vez proporcionar aos sergipanos uma programação que permitisse celebrar a cultura junina mesmo de casa. Em seguida, a temática foi definida com o intuito de, em uma época de tantas partidas, registrar a importância daqueles que se foram, mas deixaram legados marcantes para nossa cultura. No entanto, o diferencial está nos reencontros promovidos entre os que se foram e os que permanecem aqui.

A partir do desafio de promover esses reencontros o projeto passou a ser executado. Após ser aprovado por algumas instâncias, concretizadas algumas parcerias, e com o roteiro programado, teve início a busca por profissionais habilitados para desempenhar toda a parte técnica exigida. Mas o São João da Gente Sergipana também é feito de poesia e arte, sendo necessário agregar pessoas com vasto conhecimento não só técnico, mas com experiência e sensibilidade musical, cenográfica, audiovisual e artística.

Roteiro, cenografia, repertório, figurino, iluminação, produção, maquiagem, operação de câmera, produção de arte, direção musical, direção de imagem, entre tantos outros segmentos, foram imprescindíveis na construção desse produto audiovisual. ”Cada detalhe foi cuidado com muito zelo e profissionalismo pela equipe multidisciplinar composta por cerca de 150 profissionais. O Instituto Banese trabalhou para entregar ao povo sergipano um programa bem feito do ponto de vista técnico, mas também com muito encantamento. E isso foi possível graças ao empenho de todos os envolvidos nesse processo”, afirma Ezio Déda, Diretor Superintendente do Instituto Banese.

No São João da Gente Sergipana, o cenário é onde tudo acontece, mas é mais que um lugar, é um ambiente de identificação. É o alpendre onde muitos já viveram, conviveram e festejaram o São João, de onde dá pra sentir o cheiro da terra, o canto dos pássaros e a resistência dos cactos. O projeto cenográfico executado no foyer e no auditório do Museu da Gente Sergipana, com assinatura de Vera Souza e Eduardo Lucas, traz elementos de grande significado, tal como os balões, os candeeiros, a madeira, a taipa, as cercas de gravetos, a fotopintura e a xilogravura, que também faz parte do cenário através de projeções. De acordo com Vera Souza, a criação e execução do cenário permitiu revisitar as raízes do povo nordestino e sua população do sertão. “Com inspiração na forma de vida desse povo forte e guerreiro, foi possível rememorar de forma afetiva e respeitosa a vida do nordestino, contemplando de maneira especial os artistas homenageados nesse programa de São João”, destaca Vera.

Homenagens são feitas de revisitações ao passado e por conta disso foi necessária uma busca minuciosa por imagens que retratam da melhor forma possível esses artistas que se foram. Nessa busca, o projeto contou com a colaboração valiosa do jornalista Pascoal Maynard, que também fez a direção artística do projeto ao lado de Ezio Déda. “Muito me orgulha ter recebido o convite para participar deste projeto, principalmente pelo recorte histórico, artístico e cultural que o representa. Por se tratar de registro em áudio e vídeo de personalidades da cultura musical nordestina que já não estão entre nós, foi necessário um trabalho de pesquisa em entidades de comunicação televisiva, além de acervos de familiares e amigos destes. Importante ressaltar que o material buscado teria que ter qualidade de áudio e vídeo que pudessem ser trabalhado através de computação gráfica para a consecução do projeto”, ressalta Pascoal.

Em um programa que celebra o autêntico forró, estilo próprio do ciclo junino, o repertório é fundamental por ser capaz de provocar emoções. Com a direção musical dos compositores e músicos Dudu Prudente e Lucas Campelo, o programa traz o melhor da música sergipana e nordestina. Também faz parte do espetáculo o figurino, pensado para criar conexão entre o artista, a música e o cenário. Criados pela figurinista Simone Aquino para compor bem a cena e a atmosfera do programa, os figurinos apresentam referências e características que dialogam com o conceito de nordestinidade e com a música interpretada por cada artista.

E foi ao longo de três dias de gravações que o conceito pensado para o São João da Gente Sergipana foi captado dos melhores planos e ângulos, registrando elementos da nossa nordestinidade e sergipanidade, traçando uma linguagem poética e uma narrativa própria para os encontros promovidos entre aqueles que se foram e os que aqui permanecem fortalecendo a nossa cultura. Dirigido e editado pela Brasil Filmes, o programa do São João da Gente Sergipana, promete um roteiro transformado em cenas marcantes e encantadoras que os telespectadores poderão ver de casa como se estivessem em uma noite de São João.

Durante as gravações do programa não foi permitida a presença de público e todas as medidas de segurança referentes ao distanciamento e higienização foram adotadas pelos artistas e profissionais envolvidos, incluindo a realização de testes e a identificação das pessoas autorizadas a estarem no ambiente, obedecendo às medidas sanitárias preventivas contra a pandemia.

O Grupo do Banese é composto pelo Banese e pela Sergipe Administradora de Cartões e Serviços S/A (SEAC), administradora do cartão Banese Card e da rede de adquirência TKS. Ainda fazem parte do grupo, a Banese Administradora e Corretora de Seguros, o Instituto Banese de Seguridade Social (SERGUS), a Caixa de Assistência dos Empregados do Banese (CASSE) e o Instituto Banese.

Foto assessoria

Por Tarcila Olanda

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Advogada orienta empresas e órgãos sobre sanções na LGPD
Acordão não garante vitória
Maternidade e pandemia: como conciliar os desafios e o retorno ao trabalho
Governador assina decretos para atrair novas empresas ligadas ao setor de gás