Aracaju, 5 de agosto de 2021

Família Carira é atração do programa especial do São João da Gente Sergipana

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

O especial irá ao ar neste sábado, dia 19, após a novela das 21h, na TV Sergipe.

“Veja como aconteceu. Meu pai já foi sanfoneiro, hoje quem toca sou eu. Vou levando essa vida, sorte que Deus me deu”. Esses são versos de uma canção sobre herança cultural e fidelidade às raízes musicais. Trata-se do refrão da música ‘Fazenda Velha’, do cantor e compositor Erivaldo de Carira. Na letra, ele honra seu passado e ao se reunir com os filhos para tocá-la também honra sua descendência. Já ao público do São João da Gente Sergipana, resta se emocionar com esse encontro entre pai e filhos que bebem de uma mesma fonte: o autêntico forró.

Unidos pelo sangue e pelo som da sanfona, Erivaldo de Carira e seus filhos Mestrinho, Thaís Nogueira e Ester Lavyne irão compor uma das cenas irretocáveis do ‘São João da Gente Sergipana – Nós e Eles pra Sempre’, realizado pelo Grupo Banese e Governo de Sergipe, com o apoio da TV Sergipe, através de um programa especial, que será exibido no dia 19 de junho, após a novela das 21h. Além do grande sucesso ‘Fazenda Velha’, a família apresentará a música ‘Já foi’, nova composição de Erivaldo, e cujo clipe foi gravado no cenário do programa, mas também terá muito bate papo sobre a influência e o incentivo do pai na carreira artística dos filhos.

Orgulho e gratidão não faltam de ambos os lados. Erivaldo, filho de seu Manezinho de Cícero, lá do município de Carira, aprendeu a tocar sanfona ainda menino e desde então, mesmo tendo que exercer a profissão de motorista, conquistou uma trajetória musical emocionante, reconhecida em todo o Brasil, e que o fez dividir palco com renomados artistas, a exemplo de Luiz Gonzaga e Dominguinhos. Essa autenticidade e tradição, ele fez questão de transmitir aos filhos. “A maior herança que eu poderia deixar pra eles é a música, especialmente o forró, que eu aprendi com meu pai e consegui passar para meus filhos. É um orgulho e uma felicidade vê-los seguindo nessa carreira e levando a nossa tradição pelo Brasil e pelo mundo”

Já o orgulho dos filhos não se resume à contribuição do pai em suas carreiras artísticas, uma vez que foi com ele que aprenderam música, mas se traduz na importante defesa e valorização de Erivaldo à cultura sergipana e nordestina. “Meu pai é a minha maior influência e referência. Foi com ele que aprendi o que eu sei hoje. Mas não só tocar sanfona e gostar de música. Aprendi a valorizar as nossas raízes, o autêntico forró. Apesar de transitar por diversos estilos musicais foi do forró que eu vim e o levarei onde eu for”, afirma Mestrinho.

O consagrado sanfoneiro da nova geração do Brasil ainda destaca a importância do São João da Gente Sergipana. “Essa é uma iniciativa muito importante para os sergipanos que poderão relembrar e prestigiar importantes artistas da música nordestina. Os encontros que o programa está proporcionando também são muito emocionantes. Parabenizamos o Banese e o Museu da Gente Sergipana por desempenharem tão bem esse papel de valorização da cultura”, diz Mestrinho.

Para Ezio Déda, diretor superintendente do Instituto Banese, reunir a família Carira é reverenciar uma tradição que não se perde com o passar das gerações. “A família Carira é uma grande representação daquilo que o programa quer transmitir ao público. Que a nossa tradição deve existir para sempre, ser reverenciada naqueles que se foram, nos que aqui permanecem e nas novas gerações que se reinventam e fortalecem o autêntico forró”.

Além de Mestrinho, Thais Nogueira e Ester Lavyne, Erivaldinho é o outro filho de Erivaldo de Carira e que também herdou o talento do pai. Ele não participou do programa porque estava em viagem.

Durante as gravações do programa não foi permitida a presença de público e todas as medidas de segurança referentes ao distanciamento e higienização foram adotadas pelos artistas e profissionais envolvidos, incluindo a realização de testes e a identificação das pessoas autorizadas a estarem no ambiente, obedecendo às medidas sanitárias preventivas contra a pandemia.

O Grupo do Banese é composto pelo Banese e pela Sergipe Administradora de Cartões e Serviços S/A (SEAC), administradora do cartão Banese Card e da rede de adquirência TKS. Ainda fazem parte do grupo, a Banese Administradora e Corretora de Seguros, o Instituto Banese de Seguridade Social (SERGUS), a Caixa de Assistência dos Empregados do Banese (CASSE) e o Instituto Banese.

Foto assessoria

Por Tarcila Olanda

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Investigado considerado de alta periculosidade morre em confronto com policiais
Sistema “distritão” limita renovação e fortalece “eleição das celebridades” 
Polícia Civil fecha uma clínica médica veterinária clandestina localizada na cidade de Simão Dias
Câmara aprova Projeto que viabiliza que Estância receba R$ 14 milhões em empréstimo