Aracaju, 18 de outubro de 2021

Falta de emprego é estímulo à violência doméstica contra a mulher

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Deputada cita importância da autonomia financeira como ferramenta de empoderamento feminino

Cerca de 25% das mulheres que sofreram violência durante a pandemia apontaram a perda de emprego e renda e a impossibilidade de trabalhar para garantir o próprio sustento, como os fatores que mais pesaram para essa ocorrência. Outras 61,8%, que sofreram ataques físicos ou psicológicos, relataram diminuição na renda familiar. Os dados fazem parte de uma pesquisa realizada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública Visível e Invisível: A vitimização de Mulheres no Brasil.

“São dados muito preocupantes e que revelam a importância da autonomia financeira para que as mulheres consigam se desvencilhar dos seus agressores”, disse a deputada estadual Maria Mendonça (PSDB), autora da Lei 8.629/2019 que institui a política de estímulo ao empreendedorismo feminino em Sergipe. “Quando implementamos medidas que estimulam o empoderamento e a independência financeira da mulher, potencializamos a condição dela sair desse tipo de violação”, disse, ressaltando que, de acordo com a pesquisa, o agressor agora não é somente o ex-companheiro ou o atual. “Ele está dentro de casa e pode ser qualquer um familiar”.

Maria destacou que, nesse período de pandemia, o número de casos de agressão cresceu assustadoramente, pois as vítimas ficaram confinadas com seus algozes, muitas vezes dividindo um mesmo cômodo da casa. “Sem emprego e sem outro espaço social, essas mulheres passam mais tempo com o agressor e muitas delas têm medo de denunciar a violência à qual são submetidas, pela precária situação econômica em que se encontram”, explicou.

Para Maria, é preciso encontrar meios para noticiar os abusos e violações para que os agressores sejam punidos com o rigor da lei. “Não podemos continuar com esse cenário de subnotificação. Insisto e continuarei reforçando o poder da denúncia. É algo que pode salvar vidas e mudar realidades sombrias. Por isso, não hesite”, pediu a parlamentar, ao citar alguns dos canais que podem ser usados anonimamente e com segurança, como o Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM), através do telefone 79 3205-94000; Polícia Militar,190; Disque Denúncia,181 e Central de Atendimento à Mulher, 180.

Assessoria Parlamentar deputada Maria Mendonça

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Trabalhadores nascidos em outubro podem sacar auxílio emergencial
Corpo do delegado Marcelo Hercos Lyrio será cremado em Alagoinhas (BA)
Governo entrega mais de 11t de alimentos do PAA Estadual para entidades
Investigado pela DAGV de Estância por estupro e armazenamento pornografia infantil preso em SP