Aracaju, 21 de outubro de 2021

Ao suspender a vacinação, a Saúde de Aracaju revelou falta de planejamento

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Este colunista repetidas vezes diz que não faz a crítica pela crítica, mas nessa segunda-feira (21) foi imunizado com a primeira dose da vacina contra o coronavírus (COVID-19) e, apesar de ser sim um momento festivo, o titular deste espaço precisa externar alguns problemas identificados na organização da Secretaria de Saúde de Aracaju e que atingem diretamente o povo, ou seja, quem está na “ponta” e que aguarda com ansiedade pela sonhada vacinação.

Talvez por um viés político, quando está focado em tentar consolidar seu nome como pré-candidato a governador, o prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) antecipou que a partir desta terça-feira (22) vacinaria pessoas a partir de 39 anos, e a partir de amanhã (23) as pessoas com 38 anos seriam imunizadas em todas as unidades da rede municipal de Saúde. Só que, na prática, a realidade foi completamente diferente. Ontem a população foi surpreendida com o anúncio da PMA de suspender a vacinação na capital.

A explicação da Secretária Municipal de Saúde é que a vacinação das pessoas com idade superior, nos últimos dias, “surpreendeu” a gestão pela procura em massa. A todo momento o marketing da PMA tentou criar uma narrativa para justificar aquilo que é injustificável! Como assim “foi surpreendida”? Será que a gestão não possui um controle de quantos são os aracajuanos por faixa etária? Quem, afinal, deveria possui esse controle populacional?

Nós estamos diante de uma pandemia, com muitas vítimas da COVID; há um esforço concentrado de todos os entes de federados, da União, dos Estados e Municípios pela vacina da população e chega a ser surreal imaginar que, a maioria da população, ansiosa por dias normais, não vai procurar a sonhada vacinação. Com todo respeito aos que fazem a PMA, mas não existe “surpresa” em gestão pública, principalmente, quando se tem planejamento!

Falou-se também em “estimativas de possíveis vacinados”, mas ficou muito claro que ao suspender a vacinação, a Saúde de Aracaju pecou pelo açodamento e cometeu um grande equívoco de planejamento, criando uma falsa expectativa em uma população já angustiada pela imunização. Nessa segunda-feira, faltaram vacinas nos postos de Saúde, houve aglomeração em filas e muita gente voltou para casa sem a vacina no braço. Isso não pode acontecer…

Veja essa!

A Controladoria-Geral da União (CGU) participa, em Sergipe, da Operação Transparência. O trabalho é realizado em parceria com a Polícia Federal (PF). O objetivo é apurar irregularidades em contratações de caráter emergencial, promovidas pela Secretaria de Estado da Saúde (SES/SE), sob o fundamento de estarem relacionadas a diversos serviços, incluindo o enfrentamento da Covid-19.

E essa!

As contratações, realizadas em 2020, envolvem a aquisição de máscaras cirúrgicas descartáveis, a locação de contêineres que foram instalados em unidades estaduais de saúde e o fornecimento de alimentação parenteral para pacientes das unidades hospitalares.

 Investigações

A CGU realizou a análise de processos de dispensa de licitação emergencial procedidos pela SES/SE e encontrou indícios de irregularidades nas contratações, tais como ausência de elementos necessários à formalização dos processos, direcionamento indevido e sobrepreço.

Possível corrupção

O resultado da análise foi encaminhado à PF, apoiando a investigação da possível ocorrência de corrupção ativa e passiva, fraude ao caráter competitivo da licitação, bem como a realização de dispensa de licitação sem observância das formalidades pertinentes. O montante envolvido nas contratações investigadas é da ordem de R$ 4,16 milhões.

Impacto social

Em 2020, a União repassou ao Fundo Estadual de Saúde de Sergipe, por intermédio do Fundo Nacional de Saúde, mais de R$ 500 milhões para custear serviços públicos de saúde, incluindo R$ cerca de 150 milhões destinados especificamente à prevenção e combate à Covid-19.

 Prejuízos

As irregularidades investigadas podem ter ocasionado prejuízos de ordem financeira, apresentando-se prejudicial para a sociedade, na medida em que pode ter afetado a realização de outras ações de saúde, inclusive no combate à pandemia.

Diligências

A Operação Transparência consiste no cumprimento de 20 mandados de busca e apreensão nos municípios de Aracaju, Nossa Senhora do Socorro, Propriá e São Paulo (SP). O trabalho conta com a participação de 6 auditores da CGU e de 72 policiais federais.

 Pode denunciar

A CGU, por meio da Ouvidoria-Geral da União (OGU), mantém o canal Fala.BR para o recebimento de denúncias. Quem tiver informações sobre esta operação ou sobre quaisquer outras irregularidades, pode enviá-las por meio de formulário eletrônico. A denúncia pode ser anônima, para isso, basta escolher a opção “Não identificado”.

 Caso Havan

Chama a atenção a insistência de alguns setores da imprensa sergipana e dos órgãos de fiscalização em tentar desgastar o grupo “Havan”, que acaba de inaugurar sua 160ª loja no País, desta vez em Aracaju, gerando centenas de empregos, diretos e indiretos. Quando alguém se destaca e cresce, logo as “forças ocultas” operam e puxam para baixo.

Pequenez

Essa constatação da coluna não se prende apenas ao caso da Havan. Isso vale para os mais variados segmentos. Um comportamento provinciano, diga-se de passagem. Sergipe conta com bons profissionais, com gente capaz e honesta, mas está a quilômetros de uma necessária evolução. Quem gera emprego e renda tem que ser valorizado e não “taxado como bandido”. Deixem a “pequenez” de lado…

Terra sem lei?

Nas rodas políticas e entre algumas entidades sindicais chama a atenção a omissão dos órgãos fiscalizadores sobre a falta de controle dos gastos públicos de um gestor sergipano, que tem uma “conversinha mole” há uns 20 anos, pendurado em cargos comissionados, por conta de um “histórico” que, de uns tempos para cá, passou a ser muito questionado.

“Histórico de X9”

Alguns dos seus “contemporâneos” já não se contém quando falam do “exemplo de vida pública” e externam que “ele se garante com um histórico de X9”! Este colunista jura que não entendeu, mas pontua que o tal gestor público parece envolvido em uma série de “coisas estranhas”, que visam exclusivamente beneficiar e proteger seus conhecidos apadrinhados.

Barco afundando…

Segundo um dos assessores insatisfeitos (hoje já são vários), que é muito próximo desse “gestor”, a maioria hoje ainda se mantém em silêncio para não perder o sustento da família, pontuando que ninguém suporta tanta mentira, jogos de intriga, falsidade e desmandos.

Bomba!

A coluna tomou conhecimento que, na última semana, foi protocolada junto a um órgão de controle, uma denúncia com documentos que comprovam mais um suposto desmando com recursos públicos. A denúncia partiu de fornecedores de materiais para a Fundação Renascer.

Exclusiva!

Os fornecedores se queixam que não receberam por materiais entregues ao órgão com a promessa que receberiam através do suprimento de fundos. Os denunciantes entregaram vasta documentação comprovando vários pagamentos realizados com esses suprimentos para outros fornecedores que sequer entregaram mercadorias.

Lázaro na Renascer?

Um dos fornecedores, inclusive, saiu com essa: “a Fundação Renascer é igual aquela floresta onde centenas de policiais estão buscando Lázaro ou seja, chega a ser inacreditável que mesmo diante de tantas evidências, o responsável por essas ações irregulares continue sem ser capturado”. Vôte!

Alô Alguém aí?

Mais uma da Fundação Renascer, agora através das condutas da Senhora Larissa, que é “responsável” pelo setor de licitações e contratos: trata-se de uma empresa que loca rádios para o órgão e teve um largo período prestando serviços à Fundação, sem qualquer tipo de vínculo com o órgão, gerando um processo indenizatório que deverá causar mais um grande prejuízo aos cofres públicos! Cadê o MPE, minha gente?

Georgeo Passos I

O deputado estadual Georgeo Passos (Cidadania) visitou a rodovia estadual que liga o município de Nossa Senhora das Dores ao povoado Serra do Machado, em Ribeirópolis, e constatou que as obras anunciadas pelo governo do Estado estão paralisadas. O parlamentar usou suas redes sociais para anunciar que a obra foi iniciada há alguns meses, com a promessa de milhões que seriam investidos, mas nenhuma máquina foi encontrada trabalhando e executando os serviços de recuperação da rodovia.

 Georgeo Passos II

Georgeo explicou que esta tem sido uma das principais cobranças que seu mandato tem recebido na região e que fez um alerta diante da proximidade do inverno e dos dias chuvosos em toda a região. “Vamos levar este assunto para discussão na tribuna da Alese. O inverno está chegando, teremos chuva em abundância e a tendência é que os buracos nessa rodovia fiquem ainda piores. Isso vai prejudicar os condutores de veículos que trafegam na região. Sem contar que aumenta o risco de acidentes”, denuncia o deputado.

Abusos no interior

A coluna chama a atenção das autoridades competentes para alguns excessos que estão sendo cometidos, nas redes sociais, por setores da oposição em alguns municípios sergipanos. Chega a informação que vídeos estão sendo gravados, expondo crianças e idosos, gente que não tem autonomia e que não responde por seus atos, mas que estão sendo de politicagem para ataques contra as gestões. É preciso que os órgãos de fiscalização acompanhem esses abusos.

Rosário & FAMES

O prefeito interino Magno Monteiro assinou a filiação do Município de Rosário do Catete à Federação dos Municípios do Estado de Sergipe (Fames), que esteve representada pelo presidente Christiano Rogério Rego Cavalcante.  “A adesão do Município de Rosário do Catete é um passo importante para conseguirmos mais investimentos, que possam resultar em melhorias para o nosso povo. Com apoio da Fames, lutaremos por recursos junto aos poderes constituídos constitucionalmente”, destacou o prefeito.

Maria do Carmo I

“A fome corrói. A fome mata e, quando não mata, piora a qualidade de vida das pessoas. A alimentação é um direito assegurado na Constituição Federal. Nosso dever, enquanto agente público, é lutar para assegurar que todos os brasileiros possam se alimentar”. A afirmativa é da senadora Maria do Carmo (DEM/SE), ao falar sobre dados do Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19, no Brasil. Segundo os números, cerca de 19 milhões de brasileiros passaram fome nos últimos meses de 2020.

Maria do Carmo II

A análise realizada pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional, ainda, mostrou que, nesse mesmo período, 55,2% dos domicílios do país passaram por algum tipo de falta de alimento. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2019, por dia, 15 brasileiros morreram por desnutrição. “Precisamos de ações que identifiquem os lares brasileiros que passam por qualquer grau de insegurança alimentar para que o poder público possa garantir a implementação de Políticas Públicas que possam levar o alimento para cada um desses brasileiros”, defendeu Maria.

Maria Mendonça I

Cerca de 25% das mulheres que sofreram violência durante a pandemia apontaram a perda de emprego e renda e a impossibilidade de trabalhar para garantir o próprio sustento, como os fatores que mais pesaram para essa ocorrência. Outras 61,8%, que sofreram ataques físicos ou psicológicos, relataram diminuição na renda familiar. Os dados fazem parte de uma pesquisa realizada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Maria Mendonça II

“São dados muito preocupantes e que revelam a importância da autonomia financeira para que as mulheres consigam se desvencilhar dos seus agressores”, disse a deputada estadual Maria Mendonça (PSDB), autora da Lei 8.629/2019 que institui a política de estímulo ao empreendedorismo feminino em Sergipe. “Quando implementamos medidas que estimulam o empoderamento e a independência financeira da mulher, potencializamos a condição dela sair desse tipo de violação”, disse, ressaltando que, de acordo com a pesquisa, o agressor agora não é somente o ex-companheiro ou o atual. “Ele está dentro de casa e pode ser qualquer um familiar”.

Maísa Mitidieri I

Entendendo todas as dificuldades que as mulheres vítimas de violência doméstica vêm enfrentando durante a pandemia, a deputada estadual, Maisa Mitidieri (PSD) parabenizou com uma Moção de Aplausos, a realização de mais uma edição do relatório Visível e Invisível: A Vitimização de Mulheres no Brasil, realizado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública e Datafolha.

Maísa Mitidieri II

A pandemia da Covid-19 afetou diversas áreas da sociedade e a violência contra mulher é um dos pontos mais alarmantes. De acordo com o relatório, levantamentos realizados desde o início do isolamento mostram que houve um aumento nos pedidos de socorro telefônico em canais de atendimento. Em contrapartida, foi notado a queda nos registros de boletins de ocorrências. O fenômeno pode ser resultado da maior permanência da mulher dentro de casa junto a seu agressor.

Maísa Mitidieri III

Notando tal disparidade, os serviços de atendimento e acolhimento de mulheres vítimas de violências precisaram se adaptar rapidamente a esta realidade e aperfeiçoar seus canais de escuta e registro. A deputada, que além de coordenadora do PSD Mulher Sergipe, é presidente da Frente Parlamentar em Defesa das Mulheres da Alese, vem trabalhando junto a rede de proteção buscando mecanismos para minimizar tais impactos na vida dessas mulheres.

Zezinho Sobral I

Engajado na busca por melhorias da pavimentação de estradas sergipanas, o deputado estadual Zezinho Sobral (Pode) apresentou uma Indicação solicitando à Secretaria do Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (Sedurbs) e ao Departamento Estadual de Infraestrutura Rodoviária (DER) para que proceda a recuperação da infraestrutura rodoviária e pavimentação asfáltica da rodovia SE 211, no trecho que interliga os municípios de Laranjeiras a Riachuelo.

Zezinho Sobral II

“Trata-se de um trecho que atende a considerável parcela da população local e que se encontra, atualmente, em precárias condições de tráfego. Isso vem causando inúmeros transtornos para a população, inclusive representa risco de ocorrência de acidentes na região. São muitas pessoas que transitam também a pé, de bicicleta ou de ciclomotor. Conheço bem a localidade e muitos laranjeirenses vieram pedir por melhorias”, comentou Zezinho Sobral.

Zezinho Sobral III

“A estrada que liga BR101 até a antiga Fafen está muito danificada e o tráfego de caminhões ali é intenso. É uma área pequena, mas muito importante. Ela precisa de uma nova pavimentação e vou sugerir para incluir no Pró-Rodovias, programa do Governo do Estado que está reconstruindo nossas vias”, complementou.

Kitty Lima I

A valorização da arte e da cultura sergipana sempre esteve em pauta no mandato da deputada estadual Kitty Lima (Cidadania), que por conta de sua atuação no fomento à preservação da sergipanidade em todas as suas formas e manifestações, foi convidada pela Associação de Rendeiras e Artesãs de Maruim para ouvir a demanda das artesãs que buscam apoio para impulsionar a renda irlandesa, artesanato local que carrega um enorme significado da cultura sergipana.

Kitty Lima II

A Associação de Rendeiras e Artesãs de Maruim desenvolve um artesanato que representa a manifestação artística e cultural típica de Maruim. A renda irlandesa produzida no município é Patrimônio Histórico e Cultural de Sergipe pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), e contribui para a manutenção da identidade cultural de Sergipe. As artesãs relatam que estão enfrentando dificuldade para divulgar sua arte e para comercializar todo o material produzido na associação. Segundo elas, falta participação do poder público no incentivo à produção de uma das manifestações artísticas mais ricas do nosso estado, além da falta de apoio para que elas possam expor e vender os produtos.

Sargento Vieira I

Com a possível chegada de Bolsonaro ao PATRIOTA, algumas lideranças já procuram o presidente estadual Uezer Marquez para uma possível filiação, outras já garantem seu espaço no partido por saberem que na legenda tem nomes já confirmados para concorrer à Assembleia Legislativa e a Câmara dos Deputados, que é o caso do Sargento Vieira que na última eleição concorreu uma vaga a vereador de Aracaju, que deixa o Cidadania do senador Alessandro, e chega no Patriota da vereadora Emília Corrêa.

Sargento Vieira II

“Tenho uma boa relação com os membros do PATRIOTA e a maneira como o partido conduziu as tratativas na última eleição para a capital, onde me deixou muito satisfeito com esse modelo democrático que o presidente conduz que é escutando seus filiados e tomando à decisão em grupo. E para coroar a minha admiração pelo partido, a possível chegada de Jair Bolsonaro a quem eu tenho muita estima e serei um verdadeiro soldado para contribuir com a reeleição dele a presidência”, fala Vieira, esperançoso com sua chegada.

Uezer Marquez

Com a habilidade já comprovada no pleito de 2018 e 2020, o Uezer diz que espera que o partido saia muito mais forte nas próximas eleições. “Eu acredito que faremos história em Sergipe, sairemos das eleições de 2022 com um representante na Câmara Federal – um na Assembleia Legislativa; um vereador na capital, e quem sabe, outras surpresas que podem acontecer como a possível eleição majoritária de um dos nossos membros”.

 CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Governo de Sergipe paga o auxílio tecnológico a mais de 5.700 professores
Simula Enem aplicado presencialmente em todos polos Preuni
Belivaldo mostra o “dever de casa” que fez nas contas do Estado para “Sergipe avançar”
18 anos do Bolsa Família são destacados pelo deputado João Daniel em sessão da Câmara