Aracaju, 1 de agosto de 2021

Secretário da Fazenda faz exposição das finanças do estado para deputados na Alese

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Durante a prestação de contas referente ao 1º Quadrimestre de 2021, na manhã dessa terça-feira (22), em mais uma Sessão Extraordinária Mista da Assembleia Legislativa, o secretário de Estado da Fazenda, Marco Antônio Queiroz, falou sobre o cumprimento das Metas Fiscais do Governo do Estado de Sergipe.

Na oportunidade, o secretário transmitiu para os deputados um cenário de equilíbrio nos gastos públicos, com o Estado conseguindo racionalizar as despesas e garantir o crescimento de suas receitas. “Ainda não atingimos a meta estabelecida pelo governador Belivaldo Chagas, com crescimento das receitas tributárias”.

O auxiliar reconheceu que o Estado ainda depende muito dos repasses formalizados pelo governo federal, mas pontuou que o Estado atravessa um momento de esperança. “Superamos a primeira onda da covid-19 e trouxemos a experiência para enfrentar a segunda onda que tem sido devastadora, respeitando os protocolos e sem precisar enfrentar uma queda brusca de receita”.

Iran Barbosa

Durante a exposição, o primeiro a interpelar o secretário foi o deputado estadual Iran Barbosa (PT). Diante do cenário de finanças equilibradas apresentado pelo auxiliar do governo, o petista destacou o crescimento das receitas, mas enxergou uma possível queda na arrecadação do Estado com o ICMS.

“Queria aproveitar a oportunidade para sugerir que o governo do Estado possa atender as reivindicações dos servidores públicos, agora que vislumbramos esse crescimento na arrecadação e entendo que é a hora do Estado abrir a mesa de negociação com o funcionalismo no sentido de se reparar todo esse prejuízo e defasagem salarial”, pontuou Iran, avaliando que a queda do ICMS estaria relacionada com a política de benefícios e descontos fiscais.

Por fim, Iran cobrou do deputado que o Estado invista o montante de recursos determinados pela legislação com Educação. “Há o gasto constitucional de 25% e o Plano Estadual de Educação estabelece que esse montante seja de 26% de todos os tributos estaduais. Pelo o que estamos percebendo, o governo não cumpre nem o que a Constituição determina e nem o que diz o Plano Estadual”.

Secretário

Por sua vez, o secretário Marco Antônio Queiroz explicou que o deputado fez uma pequena confusão sobre a arrecadação do ICMS que, ao invés de ter queda, houve sim um incremento em relação a 2020. “Sobre a mesa de negociação proposta eu entendo a preocupação do deputado, mas nós temos um impedimento de acordo com a Lei Complementar 173/2020 que impede que o governo promova reajustes. Se outros Estados e Municípios fazem, estão trabalhando em desacordo e terão que se explicar junto à STN (Secretaria do Tesouro Nacional)”.

Outros deputados

O secretário também foi saudado pelas deputadas estaduais Diná Almeida (PODE) e Maria Mendonça (PSDB). “Essa evolução é fruto do trabalho dos técnicos e técnicas da Sefaz, comandados pelo secretário garantindo o equilíbrio das contas fiscais. Estamos vendo números positivos e a gente fica na expectativa que o Estado possa garantir os direitos de quem, de fato, faz a máquina funcionar”, destacou Maria Mendonça.

Já o deputado Luciano Pimentel (sem partido) evidenciou o fato de o Estado, segundo o Banco Mundial, ser o primeiro no Brasil em cumprimento de contratos e o oitavo em ambiente de negócios. “Fiquei muito feliz e certamente isso é reflexo do trabalho desenvolvido pelo nosso governador, buscando colocar o nosso Estado nos trilhos, garantindo o equilíbrio econômico. Outro que fez vários elogios na exposição foi o líder do governo na Alese, deputado Zezinho Sobral (PODE).

Zezinho Guimarães

O deputado estadual Zezinho Guimarães (MDB) aproveitou a ida do secretário para fazer dois apelos ao governo do Estado. Primeiro ele externou sua preocupação com o prazo do decreto governamental que precisa ser renovado e trata sobre a prorrogação do Imposto Antecipado para Micro e Pequenas Indústrias de Confecção de Sergipe, em especial dos municípios de Tobias Barreto, Itabaianinha, Tomar do Geru, Umbaúba e Aracaju.

“Gostaria de pedir que o governo providenciasse a renovação desse decreto que é fundamento para os pequenos empresários, ainda mais nesse momento de muita dificuldade. Pagar o imposto antecipado já é uma penalidade tripla, em minha opinião. Você tira o capital de giro dessas pessoas antes deles venderem e nem sabem se vão receber. Essas empresas vivem sufocadas com a falta de crédito e, ao mesmo tempo que o governo abre créditos, poucos se habilitam por essas dificuldades”, explicou.

Zezinho também sugeriu que o governo do Estado, através da Sefaz, promova estudos no sentido de, preservando a responsabilidade com as finanças públicas, mas garantindo um aumento salarial linear os servidores públicos e aposentados aumentando o desconto do Imposto de Renda. “Isso não alteraria os limites estabelecidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal. Estamos vendo o déficit cair pela metade e o crescimento de outras receitas”.

Foto: Jadílson Simões

Por Habacuque Villacorte

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Belivaldo assina Ordem de Serviço da  etapa 2ª do Canal Remanso
Quinto dia de greve conta com caminhada e apitaço em Maruim
Belivaldo elogia trabalho de André e diz que Edvaldo foi feliz na parceria 
Motoristas de carro fumacê são capacitados pela Funesa