Aracaju, 4 de agosto de 2021

Município de Aracaju soma 40% da população vacinada contra covid-19

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

A máxima “vacina boa é vacina no braço”, a cada dia, toma mais pessoas na capital sergipana. São sorrisos e até lágrimas de satisfação e, mais que isto, são vidas protegidas, histórias que poderão continuar a ser contadas.

E é com esse empenho que a Prefeitura de Aracaju tem tocado a campanha de vacinação contra a covid-19, coordenada pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS). Com um trabalho meticulosamente organizado, Aracaju segue avançando e, nesta segunda-feira, 28, chegou a 39,93% da população geral vacinada contra a doença causada pelo coronavírus.

Com o aumento dos números, o que se vê é a multiplicação de esperança. Hoje, mais 2.333 aracajuanos foram vacinados, totalizando 265.518 pessoas imunizadas, na capital sergipana.

Nesta segunda, o cronograma continuou a vacinação de pessoas acima de 39 anos, e gestantes e puérperas sem comorbidades a partir de 18 anos, como também, assegurou a aplicação antecipada da segunda dose de AstraZeneca nos aracajuanos que estão a dose agendada até o dia 3 de julho. A estratégia auxilia a população a concluir seu esquema vacinal de maneira tranquila, evitando aglomerações e o risco de atrasos por não comparecimento.

Para essa logística, foram ofertados o drive-thru montado no Parque da Sementeira (1ª e 2ª doses); auditório da escola Presidente Vargas (gestantes e puérperas 18+); além das UBSs Joaldo Barbosa (bairro América), Celso Daniel (Santa Maria), Oswaldo de Souza (Getúlio Vargas), Manoel de Souza Pereira (Jabotiana), Augusto Franco (Farolândia) e Anália Pina (conjunto Almirante Tamandaré) para a segunda dose.

Vacinados

Mesmo sendo mostrada através de números, a vacinação trata de pessoas, histórias de vida, e o momento da aplicação causa, em muitos dos vacinados, uma volta no tempo, como foi o caso da jornalista Andréa Oliveira. No mesmo braço em que recebeu a vacina, ela carrega a tatuagem com a data de nascimento da mãe “27/06/1956”. No ano passado, ela se despediu da mãe que vinha se tratando de um câncer e não resistiu à covid-19.

“É uma junção de coisas que passam pela cabeça. É uma dose de esperança e alegria, depois de um ano tão difícil. Perdi minha mãe, perdi amigas e pessoas muito próximas pra covid-19. Ontem, minha mãe completaria 65 anos, então, hoje, meu pedido é que as pessoas se vacinem e, mesmo depois de vacinadas, mantenham os cuidados até que todos estejam imunizados. Não deixem que alguém da família seja a próxima vítima, salve a vida das pessoas”, frisa Andréa, entre lágrimas.

Trajados com uma camisa com os dizeres “Vacina Sim”, o casal Jocineide Cunha, artesã, e José Adailton Cunha, agente comunitário, eram só alegria e motivação. Ela foi quem recebeu. Ele foi vacinado no início da campanha e, antes de ser imunizado, chegou a ter complicações por causa da covid-19.

“É uma alegria muito grande. Durante esse período de pandemia, nossa vida era trancado em casa, tomando todos os cuidados, zelando por nós e pelos outros. Agora, vacinada, é mais um, em casa, imunizado e com a esperança renovada”, afirma Jocineide.

“Quase morri por causa da covid-19, com complicações sérias e, hoje, pude acompanhar minha esposa para ser vacinada. É uma emoção muito grande e que não cabe em palavras. No meu trabalho, vi muitas pessoas que eu acompanhava morrendo por covid-19, um sofrimento enorme para muitas famílias. Por isso, as pessoas precisam continuar se cuidando, precisam pensar no próximo. Que sigamos utilizando a máscara, higienizando as mãos com frequência e mantendo o distanciamento social até todo mundo estar com a vacina no braço”, destaca José Adailton.

Apesar de não ter tido casos graves em sua família, a administradora Jaqueline Aragão nunca precisou que algo ruim acontecesse dentro de casa para entender a gravidade do momento. Vestindo uma camisa a favor da vacina, seja ela qual for, ela reforçou a importância do momento.

“Estava numa expectativa muito grande pela vacinação porque somente ela é capaz de nos proteger contra esse vírus que já causou tanta tristeza. Por isso, defendo a vacina, defendo o SUS, defendo a ciência. Precisamos ter consciência do que é certo e defender a saúde das pessoas é o caminho”, reforça Jaqueline.

Foto André Moreira

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Trabalhadores nascidos em março podem sacar auxílio emergencial
Em visita a JHC, Rodrigo Valadares elogia gestão do prefeito e declara: “Modelo a ser seguido”
Deputado Georgeo Passos quer apuração sobre “rachadinhas” na Fundação Renascer
2ª Assembleia Geral do Movimento Polícia Unida acontece nesta quinta-feira