Aracaju, 4 de agosto de 2021

Edvaldo: “a maternidade do 17 de Março será  o maior complexo materno-infantil”

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

O prefeito Edvaldo Nogueira inspecionou, nesta quarta-feira, 30, a construção da primeira maternidade pública de Aracaju. Ao visitar o local, acompanhado da secretária municipal da Saúde, Waneska Barboza, e do presidente da Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), Sérgio Ferrari, o gestor se disse “extremamente feliz” por ver o avanço do projeto, que já alcançou 80% de execução, entrando em sua fase final. Localizada no bairro 17 de Março, zona Sul, a unidade hospitalar é resultado de um investimento de mais de R$ 17 milhões e contará com 50 leitos, Unidades de Terapia Intensiva neonatal, salas de parto, entre outras inovações.

“Vim visitar a obra da nossa maternidade, no bairro 17 de Março, e estou imensamente feliz por ver os avanços do projeto, que já está em sua fase final, com 80% de execução. Sonhamos com essa unidade hospitalar e vê-la quase pronta nos deixa muito emocionados, porque sabemos que será um local que permitirá às mães receberem seus filhos de maneira humana, com o melhor tratamento. Muito em breve estaremos inaugurando com toda a infraestrutura que os aracajuanos merecem”, destacou Edvaldo.

O gestor ressaltou, ainda, que o local se tornará “o maior complexo de saúde materno-infantil de Aracaju”. “Serão 50 leitos, Unidades de Terapia Intensiva neonatal, salas de parto, quartos, além de outras novidades, como alojamentos para que pais ou familiares possam acompanhar as mulheres, em caso de complicações. Começaremos com a construção da maternidade e depois ergueremos outros equipamentos, que farão deste local o maior complexo materno-infantil da cidade. E o melhor: pela primeira vez, sendo municipal. Um sonho que, aos poucos, tem se tornado realidade, para que possamos garantir uma melhor assistência às mulheres aracajuanas”, salientou Edvaldo.

Maternidade

Com capacidade para 500 partos por mês, a maternidade contará com dez Unidades de Terapia Intensiva neonatal (Utin); dez leitos de Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal Convencional (UCINCo) e cinco leitos de Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal Canguru (UCINCa).  Para garantir um atendimento humanizado, também irá dispor de 50 alojamentos conjuntos (mãe e bebê agrupados); duas salas cirúrgicas com três leitos de recuperação pós-anestésica; três leitos de cuidados intermediários; dois leitos de estabilização; nove leitos de aplicação de medicação e observação; e oito quartos PPP (pré-parto, o parto e o pós-parto).

Além dos moradores do bairro em que está localizada, a maternidade beneficiará as comunidades do Santa Maria, São Conrado, Atalaia, Coroa do Meio, Aeroporto, Farolândia e toda a Zona de Expansão.

Foto Ana Lícia Menezes/PMA

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Vereadora ressalta negligência que gerou o incêndio no Nestor Piva
Sem título
Trabalhadores nascidos em março podem sacar auxílio emergencial
Em visita a JHC, Rodrigo Valadares elogia gestão do prefeito e declara: “Modelo a ser seguido”