Aracaju, 27 de julho de 2021

Veja entrevista do secretário e ex-vice-presidente do Creci Sergipe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Corretor de imóveis há 23 anos, André Cardoso Costa é gestor imobiliário, perito avaliador, ex-diretor, secretário e ex-vice-presidente do Creci Sergipe, atualmente Conselheiro Federal do Cofeci fala sobre a sua atuação no órgão. André também foi membro titular da Comissão de Reavaliação de Imóveis (CRI).

André Cardoso Costa, profissional da área de corretagem de imóveis há 23 anos, encabeça a Chapa 2 na disputa pelo novo comando do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Sergipe – Creci/SE.

Veja a entrevista

Por que o senhor resolveu compor uma chapa para concorrer na eleição Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Sergipe (Creci-SE)?

Participo do quadro de Conselheiros há alguns anos, mas infelizmente com autonomia limitada. E com todo o conhecimento e os bons relacionamentos que tenho no mercado imobiliário, somados à vontade de emplacar ações com foco numa gestão mais participativa, mais transparente, decidi ouvir colegas e compor a chapa 2, primeira oposição que conseguiu não ser impugnada nas últimas décadas.

Sei que pode soar um tanto idealista, mas eu realmente acredito que, como Conselho de Classe, o Creci Sergipe pode e deve ser de fato a Casa do Corretor de Imóveis. Acredito que podemos fazer um trabalho sem perfil centralizador e com foco no coletivo.

Qual a formação da chapa?

A chapa é composta por 54 integrantes corretores de imóveis atuantes no mercado imobiliário sergipano.

1) ANDRE CARDOSO COSTA – CRECI no 925-PF

2) MONICA DA SILVA ANDRADE – CRECI no 1454-PF

3) JOSE HUNALDO LIMA DO NASCIMENTO – CRECI no 506-PF

4) LUCIANO COSTA DE MIRANDA – CRECI no 1153-PF

5) RODRIGO TORRES DA SILVA CALFA – CRECI no 1948-PF

6) CARLA LAVINIA DA SILVA PIMENTEL – CRECI no 3278-PF

7) EDJOU CORREIA DANTAS – CRECI no 1530-PF

8) ANTONIO CARLOS ARAGAO DE MELO – CRECI no 24-PF

9) CARLOS ALBERTO BATISTA DOS SANTOS – CRECI no 3774-PF

10) CARMEM CORREIA DA SILVA SCOFIELD – CRECI no 3226-PF

11) CLAUDIO ALVES DOS SANTOS SOUZA – CRECI no 2930-PF

12) RIVALDO OLIVEIRA SANTOS – CRECI no 747-PF

13) JOSE HERVAL MACHADO – CRECI no 170-PF

14) MONICA ALMEIDA SANTANA LEVITA – CRECI no 1067-PF

15) RILDON TAVARES SANTOS FILHO – CRECI no 1152-PF

16) LUIZ HENRIQUE LOPES DE CARVALHO – CRECI no 4124-PF

17) MARCIA ALVES SOUSA MOREIRA – CRECI no 891-PF

18) ADRIANA CRISTINA DE JESUS – CRECI no 3928-PF

19) TULYO HEBERT OLIVEIRA DOS SANTOS – CRECI no 3207-PF

20) CARLOS EDUARDO BARRETO MELO – CRECI no 824-PF

21) ROBERTA ALVES SILVA – CRECI no 3403-PF

22) GILSON RODRIGUES DE MENEZES JUNIOR – CRECI no 3527-PF

23) JOSE ALBERTO NASCIMENTO GARCEZ DE CARVALHO – CRECI no 2654-PF

24) MIRIAN DE OLIVEIRA SANTOS – CRECI no 4855-PF

25) DANILLO ALEXANDRE RAMOS RIBEIRO – CRECI no 2208-PF

26) WALDSON LUIZ SILVA – CRECI no 1318-PF

27) SAMUEL GOMES CHAGAS – CRECI no 702-PF

28) ANDERSEN SILVA DE OLIVEIRA – CRECI no 3630-PF

29) KALINY DA COSTA SANTOS – CRECI no 5089-PF

30) JOSE DAVI DOS SANTOS SILVA – CRECI no 4249-PF

31) ADRIELE CONCEICAO SOUZA DA SILVA – CRECI no 2918-PF

32) ERLAN SILVA TORRES – CRECI no 3873-PF

33) VANIA CARDOSO DE SANTANA SOUZA – CRECI no 2295-PF

34) JOÃO MATEUS ALVES FRANÇA – CRECI no 5061-PF

35) SARA GONZAGA DOS SANTOS – CRECI no 3914-PF

36) MAGNO DOS SANTOS FREITAS – CRECI no 3142-PF

37) JULIANA FREIRE MELO CALFA – CRECI no 2093-PF

38) TARCISIO AVELINO DA SILVA JUNIOR – CRECI no 4260-PF

39) VIRLANIA SANTOS NASCIMENTO – CRECI no 4415-PF

40) JOSE BENITZ DOS SANTOS – CRECI no 1419-PF

41) KATIA CILENE LOPES LEAL PARANHOS DE OLIVEIRA CRECI no 4940-PF

42) VALDENERIO MIRANDA CARNEIRO – CRECI no 4955-PF

43) FERNANDA FIGUEIREDO DE ALBUQUERQUE – CRECI no 4385-PF

44) ADRIANO CARDOSO COSTA – CRECI no 651-PF

45) ELINETE GOMES COSTA DE MELO – CRECI no 3668-PF

46) MARQUES SANDRO DE SANTANA BOMFIM – CRECI no 4543-PF

47) MONICA MARIA DA SILVEIRA FONTES – CRECI no 3162-PF

48) WEVERTON PEREIRA DE SANTANA – CRECI no 2039-PF

49) CARINE SILVA DA COSTA – CRECI no 5180-PF

50) ALBERT GEOVANNI MENEZES MACHADO – CRECI no 1771-PF

51) MARCIA NUNES BEZERRA – CRECI no 1772-PF

52) CARLOS ROBERTO DE MELO – CRECI no 1020-PF

53) MAIARA SANTANA BARROS – CRECI no 5207 PF

54) MARCO ANTONIO VIEIRA LIMA – CRECI no 810-PF

Quais as ideias e projetos da chapa 2 para o Creci/SE?

As propostas da Chapa 2 foram pensadas a partir de três pilares principais: alternância de cargos e de gestão, afinal contamos com um só presidente desde 2000, ou seja, há mais de duas décadas; participação ativa dos corretores de imóveis nas decisões que dizem respeito ao fortalecimento da categoria e o trabalho em conjunto por uma gestão mais transparente, moderna e humanizada.

Vou citar algumas propostas que vêm chamando mais a atenção dos corretores com os quais estamos conversando ao longo das últimas semanas.

Uma delas é estimular a participação/colaboração efetiva dos corretores de imóveis nas decisões referentes ao fortalecimento da categoria.

Outra, tão importante quanto, é humanizar e modernizar o atendimento ao corretor de imóveis e à sociedade. E essa proposta implica melhorar/humanizar também o tratamento aos colaboradores do Conselho, pois acreditamos que, para que essas pessoas possam prestar serviços com melhor qualidade ao corretor, é fundamental que elas se sintam respeitadas e valorizadas.

Queremos também um trabalho mais sério quanto ao monitoramento do uso dos bens e serviços do órgão, a exemplo da frota veicular, a fim de garantir que os mesmos sejam utilizados somente para fins da própria instituição.

Outra proposta relevante e necessária é sobre a desburocratização de muitos serviços do Conselho. Queremos criar um protocolo geral informatizado, tornando diversos serviços disponíveis em todos os canais possíveis. Inclusive, não vemos sentido em manter tantos pagamentos sendo feitos via cheque. Sabemos que não é tão seguro e transparente.

Temos outras propostas que podem ser conferidas no perfil oficial da Chapa no Instagram, mas perceba que todas estão alinhadas com os pilares que mencionei.

Vocês acreditam que a gestão do Conselho precisa de mudanças? Por que?

Com certeza. É importante frisar que a Chapa 2 não faz oposição a pessoas nem tem nada pessoal contra qualquer um dos integrantes da Chapa 1. Respeitamos tudo que

a atual presidência conseguiu realizar nas mais de duas décadas de gestão. Até porque se nada tivesse sido feito em prol da categoria, seria grande negligência ou mesmo desinteresse, considerando que estamos falando de uma autarquia federal que dispõe de recursos. Mas somos avessos à prática do continuísmo. Somos contra a perpetuação de um só presidente à frente do Conselho. Inclusive vamos propor ao COFECI que as eleições nos Regionais respeitem o limite máximo de uma reeleição.

E sim, nossa chapa é composta por alguns integrantes que já fizeram ou fazem parte do Conselho. Integrantes que, apesar de sofrerem com falta de autonomia e de transparência numa gestão centralizadora, muito contribuíram em seus cargos. E estamos propondo uma nova gestão que reconhece e valoriza a importância da alternância para a Democracia. Pela primeira vez em 20 anos, nós temos a oportunidade de eleger um grupo com ideias novas e disposto a investir numa gestão participativa, feita por e para corretores de imóveis.

O fato de fazer oposição a um grupo que já está no comando há tantos anos torna a disputa mais difícil ou mais fácil?

Qualquer processo eleitoral é difícil. E a chapa 2 não conta com recursos financeiros robustos para investir numa campanha, mas vou dizer o que observei desde o início: temos corretores engajados em mudar esse cenário de continuísmo e pouca transparência, e dispostos a dialogar com a classe. Em cada visita, o que sentimos é que nossos colegas de profissão não se sentem à vontade com o Creci do jeito que está. A maioria já cita o fato de o Conselho ser presidido por um mesmo corretor há mais de 20 anos, com sua esposa na diretoria administrativa e seu filho, agora, como vice-presidente. É um cenário que descredibiliza bastante o Conselho!

Agravando a situação, sendo o atual presidente do Creci também secretário do Cofeci, percebemos que existe um enraizamento no Conselho Federal. Prova disso, há mais de uma semana fizemos uma defesa a um processo de impugnação apresentado pela Chapa 1 cujo julgamento deveria ocorrer em dois dias úteis e o mesmo até o momento não foi apreciado. Na defesa, também pedimos a impugnação da Chapa 1 pela denúncia infundada. Até o momento nada foi feito.

Sendo eleita, quais seriam as prioridades da chapa?

A prioridade maior é solucionar algo que há muito tempo me dói: a falta de diálogo. Queremos ouvir a classe. Sei que o apoio de autoridades políticas e de grandes empresários é importante politicamente, mas sabe o que move tudo isso que está em jogo? O corretor de imóveis. Eu, meus colegas da chapa, os colegas que têm nos recebido e até os que não nos apoiam. Eu tenho 23 anos de mercado imobiliário. Posso dizer que é uma vida dedicada ao mercado imobiliário. E enquanto estive como conselheiro do Creci, sempre fiz questão de ouvir os corretores, apesar de não ter autonomia e não contar com transparência suficiente para agir mais. Fiz e faço amigos por onde passo porque, mais do que falar, eu sei ouvir.

Sei que, sendo eleita, nossa chapa vai precisar “arrumar a casa”. Entre um diálogo e outro, vamos priorizar também as ações que têm como foco o aumento da transparência e a modernização dos serviços. Uma questão que sempre conversamos é a seguinte: os corretores precisam conhecer o Conselho, entender como as coisas funcionam e podem sugerir ações também. Temos integrantes na chapa com mais experiência no que diz respeito à gestão de um Conselho e temos também outros que não têm essa experiência, mas que estão dispostos a trabalhar para unir e fortalecer a categoria. A experiência se adquire na prática da função.

O que queremos não é alternância de poder, e sim de gestão.

Por favor, fique à vontade para acrescentar quaisquer informações.

Nós temos feito – e assim seguiremos – uma campanha leve, respeitosa e limpa, à base de diálogo.O momento que estamos vivendo não permite aglomerações, mas temos conversado diariamente e o sentimento comum é este, de que podemos, juntos, conquistar um Creci que represente melhor nossa categoria. Finalmente, após tanto tempo sem opções, agora nós podemos escolher.

Da assessoria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Cata-treco: confira a programação desta terça-feira, 27, em Aracaju
SINDIJOR repudia agressões ao jornalista Carlos Ferreira
Boletim do coronavírus em Aracaju: 189 novos casos e dois óbitos
XXIV Missa do Cangaço será transmitida ao vivo do Museu da Gente