Aracaju, 4 de agosto de 2021

Rodrigo quer tornar festa do mastro de São Cristóvão em Patrimônio Cultural Imaterial de Sergipe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Na tarde da última sexta-feira, 02, o deputado estadual, Rodrigo Valadares, esteve em São Cristóvão para conhecer um pouco mais sobre a tradicional festa do mastro que ocorre na cidade desde o século XIX, com o intuito de torná-la patrimônio cultural imaterial de Sergipe e junho o mês do mastro.

Na oportunidade, esteve presente o jovem Danilo Dornelles, que é encantado pela cultura e é um dos fundadores do grupo ‘A Fogueterada’, grandes responsáveis por deixar a tradição viva na cidade. Em seu depoimento, ele conta que durante todo o mês dos festejos juninos, a começar da virada do dia 31 de maio a 1 de junho, acontece a festa do mastro na cidade. Neste primeiro dia, a caceteira percorre as ruas de São Cristóvão e, em ritmo de grande alegria, soltam fogos e fazem a abertura da tradicional festa.

“Acompanhei a festa do mastro desde garotinho e foi isso que fez com que eu, junto com outras pessoas, tivesse a iniciativa de dar continuidade a tradição. Por isso, o nosso lema é que a tradição não pode acabar. O nosso grupo é responsável pelo mastro da noite de véspera de São João, dia 23, que sempre ocorre na chamada pracinha dos bêbados”, conta.

Entusiasmado com a história, o parlamentar declarou que pretende contribuir na luta em deixar a tradicional festa viva entre o povo sancristovense e sergipanos. “Berço de inúmeras manifestações populares, São Cristóvão traz consigo antigas tradições que até hoje fazem parte da população e é de extrema importância que isso seja preservado. O nosso objetivo aqui é garantir que as presentes e futuras gerações possam conhecer e ter contato com essa cultura linda que vem acontecendo na cidade há mais de 80 anos”, disse.

Festa do Mastro

O ritual inicia com as caceteiras em busca de premiações a serem colocadas no mastro. Os organizadores, que são parte da própria população, retiram uma pequena árvore e enfeitam com presentes, muitas vezes alimentos, para serem disputados pelas pessoas sob chuva de fogos, como busca-pés, espadas, dentre outros.

Quando inicia o mês de junho, dão início às comemorações e aos finais de semana do mês ocorre a festa do mastro em diversos pontos do centro de São Cristóvão.

Fonte e foto assessoria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Sem título
MPSE recomenda que Japaratuba e Pirambu incluam ações e conteúdos sobre direitos humanos e prevenção à violência
Alterado  funcionamento das UBSs de síndrome gripal no final de semana
Universidade Federal lança concurso com 13 vagas para professor efetivo