Aracaju, 3 de agosto de 2021

Laboratório Central de Saúde Pública de Sergipe divulga o Boletim Genômico que estuda variantes do coronavírus

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

O sequenciamento genético realizado em amostras com alta carga viral para diagnóstico da Covid-19 confirma a alta incidência da variante P1, em circulação em Sergipe do novo coronavírus (SARS-CoV-2). Os dados constam no quarto Boletim Genômico produzido pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), unidade gerida pela Fundação de Saúde Parreiras Horta (FSPH).

A produção do boletim tomou por base amostras coletada no período de 12/03/21 a 31/05/21, em 325 indivíduos na faixa etária de 11 meses a 99 anos, residentes em 27 municípios de Sergipe. A pesquisa utilizou o critério de pessoas que apresentaram elevada carga viral nos testes RT-PCR em tempo real, incluindo pacientes internados, além de considerar os atuais indicadores epidemiológicos.

Conforme análise realizada por gestores do Lacen, o farmacêutico bioquímico Cliomar Alves e a biomédica, Aline Marinho, o cenário atual de Sergipe confirma a detecção de 12 linhagens do coronavírus, as mesmas do restante do Brasil: P.1; P.2; B.1 e B.1.1.33, sendo encontradas duas variantes de interesse em circulação, a Gamma (brasileira) e a Alfa (britânica).

“Realizamos a elaboração do boletim genômico de Sergipe com base principalmente no relatório de sequenciamento genético das amostras encaminhadas para o laboratório de Vírus Respiratório da Fiocruz/RJ”, explicou o superintendente do Lacen.

A pesquisa tem como principal finalidade detectar com mais agilidade a presença de mutações entre as variantes de preocupação, em circulação no Estado. “Esse estudo orienta as medidas de controle da doença adotada pelos gestores”, completou Aline Marinho.

Variantes

O trabalho de vigilância laboratorial monitora ainda casos suspeitos de variantes de interesse do novo coronavirus. “Recentemente encaminhamos para Fiocruz a amostra de uma mulher que havia chegado do Reino Unido e das pessoas próximas a ela. Ainda estamos aguardando os resultados do sequenciamento genético da Fiocruz”, informou Cliomar Alves.

Dados 1º semestre

Segundo ainda dados do sistema GAL, no primeiro semestre de 2021, o Laboratório Central cadastrou 261.747 exames para diagnóstico da Covid-19, e 133.934, apresentaram resultado detectável. Em junho a unidade cadastrou uma média diária de 1.568 amostras, fechando o mês com 45.327 amostras, destas 19.776 foram detectáveis.

Fonte e foto assessoria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

UFS registra média anual de quase 19 pedidos de patentes desde 2011
PL inclui surdo unilateral nas cotas para deficientes em concursos públicos
Eduardo participa de solenidade para cidade mais sustentável
“O PSB se organiza para ser mais uma vez protagonista”, afirma Valadares Filho