Aracaju, 5 de agosto de 2021

Deputada Janier Mota defende benefício para órfãos da Covid-19

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Atenta às necessidades da população, a deputada estadual Janier Mota (PL) solicitou ao Governo do Estado, através de órgãos competentes, a criação de um programa assistencial estadual com o objetivo de beneficiar crianças e adolescentes que ficaram órfãos de pai e mãe em virtude da Covid-19. O pedido foi feito por meio de indicação protocolada na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese).

Em mais de um ano de pandemia da Covid-19, e em meio a 500 mil mortes em virtude da doença no Brasil, em Sergipe, bem como no país inteiro, não existe uma estimativa oficial de quantas crianças e adolescentes perderam seus responsáveis legais.

“Infelizmente, em nosso Estado existem bebês, crianças e adolescentes que ficaram órfãos de pai e mãe em meio ao caos desta terrível pandemia e permanecem na invisibilidade. Diante deste cenário, conclamo os órgãos competentes a fazerem um levantamento urgente destes órfãos”, declara Janier Mota.

Para a parlamentar, é necessário também, urgentemente, construir políticas públicas para dar estrutura social, emocional e financeira com o objetivo de beneficiar às crianças e adolescentes com orfandade bilateral. “É uma forma de ampararmos estes órfãos e suas famílias substitutas que ficaram com a missão de garantir condições de vida a eles”, enfatiza.

“Estamos falando de crianças e jovens que estão enfrentando o luto, a dor da perda, e ainda precisam lidar com questões de sobrevivência financeira, com a insegurança de quem perdeu coisas básicas, como teto, comida, roupa e afeto. Que, da noite para o dia, precisaram se acostumar com novos lares, apadrinhados por parentes”, relata a deputada.

Janier Mota alerta ainda o quanto é importante a ajuda do Governo do Estado para que os órfãos da Covid-19 permaneçam no seio familiar para evitar mais traumas e rupturas. ” Por falta de estrutura financeira, muitos desses órfãos estão parando ou podem parar em abrigos. Pois, aqueles que o acolheram não têm condições de manter a acolhida por muito tempo, em virtude de limitações financeiras”, afirma.

Por Tatianne Melo

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Semana Pedagógica mostra estratégias de ensino e aprendizagem
Investigado considerado de alta periculosidade morre em confronto com policiais
Sistema “distritão” limita renovação e fortalece “eleição das celebridades” 
Polícia Civil fecha uma clínica médica veterinária clandestina localizada na cidade de Simão Dias