Aracaju, 4 de agosto de 2021

Medo de vacina pode ser superado com orientação e autocuidado

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Boas informações podem facilitar o enfrentamento da pandemia e acelerar a cura

O Brasil tem tradição em imunização, sendo considerado um dos países com maior capacidade e sucesso nessas campanhas. Mesmo assim, o povo conserva o medo de tomar vacina. Em alguns casos é possível manter os desconfortos psicológicos relacionados à pandemia sob controle por meio das redes de apoio e solidariedade, como família e amigos, ou do autocuidado com atividades que ajudem a manter uma dinâmica prazerosa no cotidiano.

O coordenador do curso de Psicologia da UNINASSAU – Centro Universitário Maurício de Nassau, em Aracaju, André Mandarino, explica que, embora o país tenha conseguido erradicar doenças importantes, ainda existem muitas correntes contrárias a vacinação, principalmente por segmentos religiosos e teorias sem comprovação cientifica. “A informação vinda de fontes seguras é o meio mais eficaz para colocar a população no rumo correto do enfrentamento da pandemia e até de cura”, explica André.

Ele observa que a ansiedade acelerada em tempos de pandemia está relacionada ao medo de contaminação e evolução grave da doença. “É justificável esse temor já que o Coronavírus exprime um risco real de contaminação por ser o agente causador de uma doença potencialmente letal. Apesar disso é necessário ver a pandemia dentro do contexto da realidade. Ela já se estende por um tempo considerável e não terá fim em curto prazo. Precisamos administrar nossa rotina em bases seguras e para isso, devemos buscar informações corretas sobre as formas de prevenção ao contágio”, orienta o psicólogo.

André ressalta que é preciso seguir as recomendações da Organização Mundial de Saúde, manter os protocolos, mesmo estando vacinado, para prevenir o contágio visando a informação correta, como a grande arma contra a ansiedade em níveis elevados. Porém ele lembra que em alguns casos mais graves é importante buscar ajuda profissional, de um psicólogo ou psiquiatra, quando faltam forças para superar situações conflituosas.

Por Suzy Guimarães

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Sem título
MPSE recomenda que Japaratuba e Pirambu incluam ações e conteúdos sobre direitos humanos e prevenção à violência
Alterado  funcionamento das UBSs de síndrome gripal no final de semana
Universidade Federal lança concurso com 13 vagas para professor efetivo