Aracaju, 1 de agosto de 2021

Aracaju é 2ª capital do NE que mais atende recomendações da OMS para volta às aulas

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

De acordo com um levantamento realizado por pesquisadores ligados à Rede de Pesquisa Solidária, divulgado no domingo (11) pelo jornal Folha de São Paulo, Aracaju é a segunda capital do Nordeste que mais se adequa às recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) no que diz respeito aos protocolos de segurança sanitária para o retorno de aulas presenciais.

O grupo analisou decretos, portarias e comunicados oficiais e criou o Índice de Segurança do Retorno às Aulas Presenciais (Israp), atribuindo notas de 0 a 100, em que, quanto maior a pontuação, mais próximas essas medidas estão do que é recomendado pela OMS. Neste índice, Aracaju se destacou como a sexta capital do país e segunda do Nordeste, alcançando a nota 66.

“Além do respeito ao cumprimento dos protocolos sanitários, o retorno pode ocorrer de maneira gradual. Caso o estudante ou responsável não queira retornar presencialmente para a sala de aula, pode optar por permanecer estudando em casa, por meio das aulas virtuais”, pontua a secretária municipal da Educação, Cecília Leite.

A Rede de Pesquisa Solidária é uma rede multidisciplinar e multi-institucional, criada voluntariamente para produzir análises integradas de políticas públicas desenvolvidas ou adotadas em resposta à pandemia do novo coronavírus. Neste estudo, o grupo avaliou as providências tomadas pelos governos federal, estaduais e municipais sobre a retomada das aulas presenciais.

No levantamento, foram avaliados alguns quesitos, como transporte, distanciamento, higiene, ensino remoto, máscaras, ventilação, imunização e testagem.

Medidas em Aracaju

Desde o ano passado, a Prefeitura de Aracaju, por intermédio da Secretaria Municipal da Educação (Semed), tem realizado diversas ações que visam o cumprimento das medidas sanitárias recomendas pela OMS no que diz respeito à retomada de aulas presenciais. Com verbas do Governo Federal (PDDE Emergencial) e do governo municipal (Prefin), as 74 unidades de ensino de Aracaju se equiparam com itens de higiene pessoal e coletiva.

As escolas adquiriram dispensadores para álcool, sabonete líquido e papel toalha, pulverizadores spray, termômetros digitais infravermelho, lavadoras de alta pressão, fitas para demarcação, tapetes sanitizantes, hipoclorito de sódio, álcool, máscaras, luvas, totem pia personalizado, entre outros.

Com recursos do Programa Saúde na Escola (PSE), serão distribuídos para os alunos cerca de 140 mil Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), como máscaras, protetores faciais, porta-máscaras, garrafas de água de uso individual, entre outros.

Além disso, foi realizada a instalação de pias em escolas que ainda não possuíam este acessório no refeitório. Também foi feita a avaliação física de todas as janelas das unidades de ensino, para verificar o funcionamento e garantir a circulação de ar nas salas de aula.

De acordo com a secretária Cecília Leite, as escolas já estão realizando encontros de formação sobre o Protocolo de Higiene e Cuidados para a orientação da rotina escolar no contexto da Pandemia.

Vacinação

Outro ponto avaliado no estudo da Rede de Pesquisa Solidária é a imunização. Desde maio, a Prefeitura de Aracaju incluiu os profissionais da Educação como grupo prioritário para vacinação contra a Covid-19.

Até o momento, 1.910 profissionais da Educação de Aracaju já foram vacinados. Ao todo, 3.014 profissionais da área serão imunizados contra covid-19, sendo 1.601 professores, 258 membros das equipes diretivas, 908 terceirizados e 247 pessoas em outras funções.

Foto: Walter Martins

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Belivaldo assina Ordem de Serviço da  etapa 2ª do Canal Remanso
Quinto dia de greve conta com caminhada e apitaço em Maruim
Belivaldo elogia trabalho de André e diz que Edvaldo foi feliz na parceria 
Motoristas de carro fumacê são capacitados pela Funesa