Aracaju, 28 de julho de 2021

Como deve se dar a disputa sucessória

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Diógenes Braynerdiogenesbrayner@gmail.com

A impressão é que “o tempo parou”. O zum-zum-zum incômodo das conversas sussurrantes de prováveis bastidores, sobre a sucessão estadual, quase que desapareceu. Acontece ainda, claro, mas em proporções muito menores das que existiam há duas semanas. O tempo é longo para decisões dos que já estão alicerçados por blocos coesos (ou não). Mas, extremamente curto para quem ainda precisa formar alianças e buscar consenso em torno de uma liderança que conduza a novos caminhos. Nada de se imaginar quadros grotescos em relação às candidaturas, mas em um mesmo grupo é muito fácil perceber divergências que podem repercutir para a decisão final.

O governador Belivaldo Chagas (PSD) não levou em consideração especulações e comentários. Conversou sobre política poucas horas no período, desde quando divulgou que só trataria sobre sucessão a partir da segunda quinzena de setembro. Estendeu o prazo para os limites da primeira quinzena de outubro, quando poderá sair o provável candidato da base aliada, mesmo assim depois de ouvir às lideranças e seguir a opção da maioria. Os prováveis candidatos recuaram um pouco no chamado ti-ti-ti, e tratam do assunto em conversas ao pé do ouvido, quase inaudíveis e “sem aglomeração”, para não fugir dos cuidados com a Covid.

Muita coisa vai acontecer, mas sem surpresa. O PT continua na base aliada até a decisão e tem o nome do senador Rogério Carvalho para ser avaliado pela bloco. Os sinais são de que não terá chance porque há divergências quase inconciliáveis. Não com Rogério, mas com o partido. Resquícios da rebeldia petistas, em 2020, quando saiu com candidatura divergente da que fora lançada pelo bloco. Mas isso não fará o senador recuar e sairá às ruas para disputar a sucessão, contando com o apoio de Lula. Aliás, uma observação: a base elege governadores desde 2010 e, coincidentemente, sempre votou no nome petistas a presidente da República. O quadro que se vislumbra para 2022 pode quebrar a tradição em relação ao nome para o Planalto.

Com o nome de Rogério posto à disputa ao Governo, criam-se as primeiras condições para a formação de um grupo oposicionista, que será formado naturalmente com aqueles cuja maioria sempre esteve do lado oposto ao PT – e vice versa – por questões ideológicas, quando elas valiam.  Daí em diante ainda pode surgir uma terceira via, por enquanto tendo à frente o senador Alessandro Vieira (Cidadania), caso ele abandone a ideia de estar na mesma disputa pelo Senado. Provavelmente são três candidaturas, com a polarização de divergentes de um grupo que poderá se desfazer depois de onze anos votando na mesma caçapa.

Pressão sobre candidatura

A notícia é polêmica: Há muita pressão de setores do Partido dos Trabalhadores para que o senador Rogério Carvalho desista da candidatura ao Governo do Estado e se dedique ao fortalecimento do partido para eleger deputados.

*** A informação é de um integrante do PT, influente em algumas decisões e que vê entre companheiros a “aflição pela perda de empregos.”

Absoluta questão de poder

Acrescentou, que a disputa de Rogério ao Governo, “um nome forte a nível nacional”, não é por causa de um projeto “definido de oposição ao grupo que integra, mas uma absoluta questão pessoal”.

*** Essa decisão de deixar o bloco porque não foi escolhido não oferece mudança de posição “e nem se trata de questão ideológica, mas apenas de assumir o comando do bloco e o Poder”.

*** Explica: “não há um movimento contra a candidatura, mas apenas uma reação pontual”. Conclui: “pela vontade de Rogério e dos auricos, ele não deixará de se candidatar”.

É candidato sim

Um membro da direção do PT desmentiu veementemente essa possibilidade do senador Rogério Carvalho não disputar o Governo do Estado: “ele é o nome que dará continuidade aos projetos políticos do bloco”.

*** Acrescentou que neste momento ele não anuncia candidatura, porque integra a CPI da Pandemia e deseja tratar do assunto em momento propício.

*** – Entretanto continua mantendo contatos e tem o apoio integral do partido, disse.

Rogério em conversas

O senador Rogério Carvalho (PT) chega a Aracaju na sexta-feira e vai conversar com lideranças políticas sobre a sua candidatura ao Governo do Estado.

*** Passa uns dias por aqui tratando discretamente do seu projeto eleitoral e reunindo políticos da Capital e interior para consolidação do seu nome.

*** Rogério tem boa atuação na CPI da Pandemia, mas encontra tempo para tratar de seus interesses políticos.

Encaixe perfeito

Clóvis Silveira (Avante) escreve: “existem momentos nas nossas vidas que sabemos que estamos exatamente onde deveríamos estar , com quem deveríamos estar , sabendo que tudo está em um encaixe perfeito”.

*** E continua: “Novo ciclo que se inicia e certeza de uma grande parceria de sucesso”. Clóvis é provável candidato a deputado federal.

Valadares estadual

O ex-senador Antônio Carlos Valadares (PSB) ainda não tem nenhuma decisão sobre candidatura, mas uma coisa é certa: não disputará a Câmara Federal.

*** Entretanto, tem possibilidade imensa de disputar uma vaga de deputado estadual e já atua na região centro-sul.

Jackson tende PSD

O ex-governador Jackson Barreto diz que está conversando, trocando ideias e avalia o quadro político como vai ficar. A tendência de JB é filiar-se ao PSD.

*** Admite que o bloco político em que atua sempre votou em Lula para presidente e deve se manter apoiando, como faz há alguns anos.

*** Jackson historicamente esteve com Lula da Silva e gostaria muito que o PSD o apoiasse a presidente.

Quer ajudar Lula

Jackson Barreto admite que o MDB esteja “gasto e desmoralizado pelo posicionamento que adotou contra os ex-presidentes Lula da Silva e Dilma Rousseff“.

*** E acha que dentro do PSD, caso eleito deputado, vai para Brasília com objetivo de ajudar ao Governo Lula a partir de 2022.

*** Quanto ao candidato a governador do bloco, JB diz que isso é uma decisão do governador Belivaldo Chagas.

Cego em tiroteio

O ex-deputado Mendonça Prado diz que os senadores da CPI da Covid estão mais perdidos que cego em tiroteio. Confundem testemunha com investigado e atropelam as normas legais.

*** – Mas não deixam de aproveitar o período de fama. De vez em quando um dispara: ‘teje preso’! É delírio total.

Rodrigo e eleições

O deputado estadual Rodrigo Valadares (PTB) é candidato à reeleição, em caso da legislação eleitoral ser mantida, mesmo com o fim das sobras.

*** Mas, se o voto for Distrital, Rodrigo disputa vaga na Câmara Federal, porque sabe que é um nome dos bolsonaristas em Sergipe.

Encontro no PSDB

O ex-senador Eduardo Amorim (PSDB) recebeu ontem na sede do seu partido o ex-deputado federal Valadares Filho (PSB). Tomaram um café que esfumaçava política.

*** A conversa não vazou integralmente, mas Eduardo reafirmou o desejo de disputar o Senado, e Valadares mantém o objetivo de tentar retornar à Câmara Federal.

Distritão na reforma

A deputada federal Renata Abreu (Podemos), relatora da reforma eleitoral, concluiu e protocolou, ontem, na Câmara, propostas para a legislação de 2022.

*** O Distritão é o principal item da reforma e o que mais interessa aos candidatos.

*** A proposta será debatida e aprovada na Câmara, depois segue para o Senado e deve ser definida até o mês de setembro.

Samuel é o álcool

Deputado Capitão Samuel lembra que o álcool produzido no Brasil, não tem nada com o Dólar. “Em Sergipe o litro passou de $ 5,00 e somos produtores, mas em Manaus custa $ 4,30 e não produz um litro”.

*** – Absurdo que os Procons precisem fazer fiscalização. Vamos à luta para baixar os preços dos combustíveis, disse.

Um bom bate papo

Metrópole – Decreto que penaliza quem recusar a vacina disponível ser assinado nos próximos dias pelo prefeito Rogério Cruz (Republicanos).

Frases – Evite falar do seu trabalho, do seu relacionamento, do seu progresso. Se está dando certo, agradeça. Nem todo mundo quer te ver feliz!

Eduardo Leite – Agora estou também no TikTok. Vou mostrar o meu trabalho, as minhas ideias e a minha vida de forma descontraída nessa rede social.

Revista Fórum – Atos realizados ontem foram são vistos como um “esquenta” para a próxima mobilização nacional contra Bolsonaro, marcada para o dia 24.

Rogério Carvalho – Há 31 anos o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) era aprovado. Um instrumento para combater a violência e garantir a proteção de nossos jovens.

Jailton Santana – Brasília vai liberar volta do público aos estádios e encaminha jogo do Fla no Mané pelas Libertadores.

Silvio Navarro – Sobre o que acontece em Cuba, Argentina, Venezuela e outros fracassos latinos: a esquerda nunca levou ninguém a lugar nenhum no mundo.

Brasil 247 – Em vídeo para Mourão, Renato Gaúcho, novo técnico do Flamengo, chama Bolsonaro de “mito.”

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Sergas doa à comunidade do Conjunto Augusto Franco dois abrigos para ponto de ônibus
Segunda dose da CoronaVac está disponível na Sementeira e auditório Antônio Vieira Neto
Membros, servidores e terceirizados vacinados contra gripe no MPSE
PM prende homem por violência doméstica na Grande Aracaju