Aracaju, 28 de julho de 2021

Escolha certa pelo Brasil

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Diógenes Braynerdiogenesbrayner@gmail.com

As conversas são intensas sobre as eleições de 2022, mas elas ocorrem em tom muito além de uma decisão para formação de chapas majoritárias, que a cada dia tem novas especulações, e de candidatos a deputados estadual e federal. As conversas são internas e entre lideranças estaduais e municipais, sem a menor participação pública. O povo demonstra preocupação com o momento político, mais voltado para a Presidência da República. As mortes pela Pandemia e a sinalização grave de corrupção para compras de vacinas, levou parte significativa do eleitorado a repensar na responsabilidade de nomes que vão administrar o País e, naturalmente, os Estados.

As eleições de 2018 tiveram uma reação do eleitor, que transformou em mito o então candidato e atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Tinham certeza de um novo Brasil com Bolsonaro à frente. A impressão é que a direita se organizou para derrotar a esquerda, que tinha como maior líder Lula da Silva. Seria uma vingança pelo excesso de corrupção que se detectou e a farsa de que a sociedade – principalmente os mais pobres –  estava melhorando de vida, em condições sociais acima do que fora encontrada, a ponto de frequentar faculdade e viajar de avião, exemplo preconceituosos e ridículos.

O presidente Jair Bolsonaro assumiu sem divulgar uma proposta ampla de Governo, que indicasse desenvolvimento econômico e social, mas manteve o radicalismo de direita a seu lado, que partiu para atos em defesa do “mito” e aproveitou para incentivar um golpe militar, mantendo-o ditador. Bolsonaro passou a fazer de setores da imprensa os adversários mais perigosos e administrando com um grupo de militares em pontos estratégicos. Provocou uma reação de setores da esquerda, que conseguiram retirar Lula da cadeia, anular sentenças e reiniciar julgamentos que, de alguma forma, mostrou posições do Supremos que colocaram o presidente em suspense e a reduzir o seu ímpeto de golpear a democracia.

A presença do Covid, que se transformou em Pandemia no País, revelou atitudes que provocou decepção e descrédito. Primeiro por se transformar em espécie de “laranja” de medicamentos sem comprovação científica, depois desobedecendo às determinações sanitárias e, no momento, acuado pelo que se vê e ouve na CPI da Covid, que chegou a denúncias graves de corrupção, envolvendo setores do Governo Federal, além do atraso na aquisição de vacinas, como se o objetivo fosse um projeto de letalidade para reduzir gastos com os mais idosos. Tudo muito mal explicado até o momento e sem justificativa para um comportamento lamentavelmente insano.

Para avaliação eleitoral: quem já começa a polarizar as eleições presidenciais de 2022? Exatamente o presidente Bolsonaro (sem partido) e o ex-presidente Lula da Silva (PT), praticamente os mesmo que fizeram a população se manifestar contra direita ou esquerda. As eleições presidenciais de 2022 carecem de reflexão do eleitorado, avaliação do histórico dos dois na eficiência administrativa e, acima de tudo, no mínimo de honestidade necessária para a condução de um País que dá sinais claros de que está a caminho do fundo do povo.

Cabe a cada um, com o voto soberano, escolher quem levará o Brasil a caminhos mais sólidos, oferecendo melhor estrutura de desenvolvimento para geração de emprego, educação, crescimento e justiça, sem precisar olha para o retrovisor e ter vergonha.

Engajado no cenário nacional

O senador Alessandro Vieira (Cidadania) disse ontem que tem compromisso com Sergipe, no sentido de garantir uma alternativa competitiva para aqueles eleitores que não desejam a continuidade do mesmo grupo no poder.

*** – Da mesma forma, estou engajado na construção de uma alternativa também no cenário nacional, para aqueles que não desejam o retorno do Lula e não estão satisfeitos com Bolsonaro.

Destaques nas páginas policiais

Para Alessandro, “ter o nome citado como uma alternativa nacional é motivo de orgulho, especialmente partindo de um Estado onde os destaques recentes na política frequentam as páginas policiais”.

*** – Entretanto, não tenho projeto personalista nem me deixo levar pela vaidade, disse.

*** Alessandro acha que “o Brasil precisa mudar e vou colaborar neste processo da forma que o povo entender como mais necessária”.

Mantém-se no agrupamento

Sobre a delegada Daniele Garcia (Cidadania), o senador Alessandro Vieira disse que ela continua no agrupamento, sem nenhum tipo de divergência.

*** – A estruturação partidária, olhando para 2022, está sempre em discussão para garantir o melhor resultado

Pesquisas animam Valmir

O ex-prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho (PL), está animado com as pesquisas frequentes que realiza, as quais oferecem bons índices para disputar o Governo em 2022.

*** Francisquinho está animado e diz que tem conversado muito, mas só baterá o martelo quando houver melhores condições para concretização de sua posição.

Muitas conversas

Valmir de Francisquinho dialoga com várias lideranças, inclusive que não estarão unidas. Esteve com o senador Alessandro Vieira (Cidadania), para integrar o seu bloco e sua chapa.

*** Valmir também conversou com o senador Rogério Carvalho (PT) e trataram sobre composição para as eleições futuras.

*** Conversou com o governador Belivaldo Chagas (PSD) e em pauta também tratou de candidatura à sua sucessão.

Esteve com Daniele

A delegada Daniele Garcia (Cidadania) também esteve com Valmir de Francisquinho e tiveram uma conversa longa sobre composição para o próximo pleito.

*** Francisquinho ainda não o fez, mas no próximo encontro vai convidar Daniele para filiar-se ao Partido Liberal, que a apoiou na disputa a prefeita de Aracaju.

Zezinho a federal

O deputado Zezinho Guimarães (que vai se filiar ao PL) diz que está esperando a definição do jogo, mas já decidiu que só será candidato a deputado federal.

*** Admite que o Partido Liberal seja um bom parceiro e que está aguardando a legislação para o próximo pleito. Diz que o PL está no bloco do governador Belivaldo Chagas.

Edvaldo e vereadores

O prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) vai se reunir hoje com vereadores que o apoiam na Câmara Municipal para uma avaliação do seu primeiro semestre à frente da Prefeitura.

*** Todos os vereadores estão ansiosos que a conversa se estenda pela área política. Quer saber qual será o seu destino em relação ao pleito de 2022.

*** Os vereadores dizem que desde que assumiu o prefeito não para de trabalhar e, além de obras, se dedicou ao combate do Covid. Ele agora vai construir mil casas para a comunidade.

Operações Tabajara

O senador Rogério Carvalho (PT) diz que o esquema de corrupção vai dos membros do Ministério até o Presidente da República, todos envolvidos nas Operações Tabajara.

*** Para Rogério, o presidente Bolsonaro está no centro da corrupção

Fechar bodega

Subtenente Edgar diz que só as Forças Armadas para barrar esse absurdo que foi aprovado ontem: R$ 6 bilhões para o Fundo Eleitoral é um tapa na cara de todos os brasileiros.

*** Principalmente na cara dos brasileiros que perderam o sustento da família, com a campanha fique em casa. “Fecha essa bodega”!

Sobre compra de ovo

A Assembleia Legislativa aprovou, ontem, em sua última sessão deste terceiro semestre, indicação da deputada Kitty Lima, sugerindo que o Governo não comprasse ovo de galinha engaiolada (de granja).

*** A indicação sugere que o ovo a ser comprado deve ser da galinha solta (de capoeira).

*** O gesto de Kitty virou piada entre os próprios parlamentares e todos valorizaram – em tom de chacota – a busca insistente pelo chamado “carro do ovo”.

Um bom bate papo

Manchete – Omar Aziz, presidente da CPI da Covid-19, desejou saúde ao presidente “para enfrentá-lo no bom debate, com dignidade, sem apelação”.

Jailton Santana – Toda contribuição conta. Saiba como você também pode ajudar essas organizações a combaterem a Covid-19 no Brasil.

DCM Online – Eduardo Bolsonaro se manifestou contra ao aumento do fundo eleitoral após votar a favor.

Revista Fórum – Decisão da juíza da 8ª Vara Cível da Comarca de São Paulo permite ao Google retirar o canal por violar as regras da plataforma.

Jararaca Lula da Silva – Se existisse alguma punição para os criminosos da ditadura, esse governo já teria sido deposto, ou melhor, nem existido.

O Antagonista – Notas divulgadas pela Secom indicam que há relação entre o diagnóstico do presidente e a facada que ele levou no atentado de 2018, em Juiz de Fora.

Zélia Ducan – O presidente está sendo tratado do jeito oposto ao tratamento criminoso que deu ao povo brasileiro. Ele não é digno nem de seus eleitores.

Zé Palhano – Para que serve o deputado Arthur Lira? Para descolar R$ 5,7 bi para o Fundo Eleitoral, ora bolas.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Sergas doa à comunidade do Conjunto Augusto Franco dois abrigos para ponto de ônibus
Segunda dose da CoronaVac está disponível na Sementeira e auditório Antônio Vieira Neto
Membros, servidores e terceirizados vacinados contra gripe no MPSE
PM prende homem por violência doméstica na Grande Aracaju